Chineses chegam a pagar US$ 6 mil (cerca de 4380 euros) por mulheres virgens para casamento






Mulher na China e em Taiwan é disputada a tapa. O desequilíbrio de gêneros faz do país um reduto de solteiros. Muitos deles estão cruzando as fronteiras atrás de um par. Vietnã e Brunei são destinos comuns. Lá, os chineses chegam a pagar 6 mil dólares por uma mulher virgem que tope casamento, de acordo com a revista "Time".

E a situação aquece a economia do Vietnã. A cada mês são criadas no país novas agências especializadas em recrutar candidatas para casamento com chineses e taiwaineses com maior disposição financeira. O contrato tem até seguro caso a mulher decida fugir em até um ano de matrimônio. Para as vietnamitas, casar-se com um chinês é a esperança de abandonar uma vida de pobreza e sem perspectivas - o que, muitas vezes, acaba em prostituição.

Uma agência faz propaganda da mulher vietnamita... "Ela é a esposa ideal: bonita, limpa a casa e é obediente". As agências expõem as mulheres como se fossem produtos vivos em uma vitrine. Ficam sentadas e comportadas para o deleite dos ávidos compradores. Muitas acabam vítimas de abusos.

Preve-se que a China tenha 24 milhões de solteiros em 2020. Com um comunismo cada vez mais capitalizado na terra de Mao Tse-tung, as mulheres passaram a ser mais exigentes e só estão se casando se o pretendente tenha onde morar, possua carro e uma boa renda.

Foto: Casamento coletivo em Taiwan com esposas compradas no exterior / Reuters






O Globo