Aquariofilia: 10 Erros Comuns



Aquários pequenos

Nas lojas de produtos de aquariofilia são cada vez mais populares os kits de aquários pequenos, não só porque são mais baratos, mas também porque se apresentam já prontos a usar. Contudo, é mais difícil manter um aquário pequeno do que um aquário grande, isto porque as pequenas variações químicas na água são sentidas de forma mais significativa nos aquários com um menor volume de água.

Não fazer o ciclo de Nitrogénio

O ciclo de nitrogénio é o que garante que o aquário está pronto para albergar peixes, contudo, os iniciantes mostram-se bastante ansiosos em ter peixes e não aguardam que o aquário faça a ciclagem antes de os introduzirem na água. Muitas vezes compram os peixes juntamente com o aquário e introduzem-nos assim que chegam a casa. Com os parâmetros da água instável, os iniciantes perdem rapidamente alguns, se não todos os peixes introduzidos. Antes de introduzir peixes no novo aquário, faça testes ao nível de nitritos da água. Só é seguro introduzir peixes, quando se apresentarem nulos, depois de uma subida acentuada.

Utilizar água da torneira

A água da torneira é potável, mas não é indicada para ir directamente para um aquário, isto porque o cloro e outros químicos que possui para matar as bactérias, são prejudiciais para a saúde dos peixes. Se pretende utilizar água da torneira, trate-a previamente.

Não aclimatizar o novo peixe

A mudança de ambiente causa stress nos peixes. O peixe deve ser apresentado gradualmente ao novo aquário. Primeiro mantendo-o dentro do saco de plástico a flutuar para se acostumar à temperatura e depois ir acrescentar água do aquário ao saco de plástico para se habituar à composição química da nova água.

Adicionar muitos peixes de uma vez

O ambiente criado num aquário é frágil e ao inserir muitos peixes ao mesmo tempo está-se a aumentar significativamente o “lixo” produzido. É necessário dar tempo para que o aquário seja capaz de funcionar em condições óptimas com mais inquilinos. Juntar demasiados peixes de uma vez não só prejudica o equilíbrio químico do aquário, como também prejudica a saúde dos peixes.

Sobrepopulação

Os peixes necessitam de espaço e deve contar-se sempre com o tamanho que vão atingir em adultos. Um aquário demasiado cheio é um dos principais erros dos iniciantes. Existem várias fórmulas para se calcular o rácio entre peixes e volume de água. Uma delas é 1 cm de peixe por cada litro de água. Contudo, esta formula não é muito precisa e em alguns casos, sobretudo com animais mais pesados ou territoriais, pode ser necessário uma maior quantidade de água.

Comida a mais

Os peixes são animais oportunistas e raramente dizem não a mais comida. Sabendo disso, devem ser os donos a controlar as quantidades que os peixes devem comer por dia. Os iniciantes costumam deixar o peixe determinar quanto quer comer, o que pode pôr em risco a vida do animal.

No primeiro dia do peixe na nova casa não o alimente. Nos dias seguintes, alimente-o uma vez por dia, e retire a comida que ainda está no aquário cinco minutos após o início da refeição.

Pouca variedade

Os peixes gostam de uma dieta variada e a dieta de um peixe em estado selvagem é composta por vários alimentos. Dentro das categorias carne, peixe, insectos e vegetais, há uma grande variedade de opções para os peixes. Pesquise sobre aquilo que é mais indicado para o seu peixe e introduza alguma variedade na sua alimentação.

Peixes incompatíveis

Os peixes têm necessidades diferentes que não se limitam apenas à temperatura ou salinidade da água: peixes de água fria ou quente, tropicais ou marítimos. Estas diferenças são fundamentais, mas fazem já parte do senso comum. Aquilo que muitas vezes é desconhecido é que os peixes têm necessidades diferentes de PH e dureza da água. Alguns são territoriais e necessitam de um aquário exclusivo, outros são peixes de cardume que apenas vivem bem, partilhando o aquário com outros da mesma espécie. Antes de juntar peixes, mesmo que sejam da mesma espécie, verifique se os peixes são compatíveis.

Sujidade

Ter animais implica sempre ter algum trabalho na manutenção dos mesmos. Com os peixes não é diferente, apesar de o trabalho mais pesado, limpar a sujidade do aquário, só ser necessário semanalmente e em aquários com bons filtros, a limpeza pode ser mais espaçada (duas em duas semanas). Contudo, fazer trocas parciais da água é necessário para manter a água em boas condições. Entre 20 a 40% da água deve ser mudada regularmente. As algas acumuladas no vidro basta serem raspadas e pode utilizar um aspirador próprio para eliminar outras impurezas.


Arca de Noé