Resultados 1 a 12 de 12

Tópico: História dos Europeus

  1. #1
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    New História dos Europeus

    1960 – França
    ANFITRIÕES INFELIZES NA ESTREIA



    Com o francês Henri Delaunay a assumir o papel de criador da prova, fazia todo o sentido que a primeira edição se realizasse em França, 30 anos após o primeiro Mundial, disputado no Uruguai.

    Com apenas quatro selecções na fase final, a selecção anfitriã perdeu o jogo de estreia, mas numa partida espectacular frente à Jugoslávia, em que os jugoslavos recuperaram de uma desvantagem de 2-4 para 5-4 em apenas quatro minutos. Na outra meia-final, a União Soviética, onde figurava o mítico Lev Yashin, bateu a Checoslováquia por 3-0.

    Na final, o triunfo sorriu à União Soviética (2-1). Com dois golos, Ponedelnik foi não só um dos melhores marcadores da prova, como o autor do golo decisivo da final, já na segunda parte do prolongamento.
    Curiosidades
    • A selecção da casa (França) ficou no último lugar.
    • A Suécia, melhor equipa europeia no Mundial de 1958 (finalista vencida), ficou de fora.
    • O jogo França-Jugoslávia, nas meias-finais (4-5), mantém-se como a partida com mais golos na fase final de um Europeu.
    • Os jogadores das quatro selecções finalistas actuavam todos nos países de origem.
    • A Jugoslávia apresentou-se com três treinadores principais: Aleksandar Tirnanic, Ljubomir Lovric e Dragomir Nikolic.
    • A final foi decidida no prolongamento.


    Portugal na qualificação
    Frente à República Democrática Alemã, na primeira fase de qualificação, Portugal não teve dificuldades. Depois de vencer (2-0) em Berlim com golos de Matateu e Coluna, a Selecção Nacional voltou a vencer em casa, no Estádio das Antas, por 3-2 (bis de Coluna e Cavém). Na derradeira fase de qualificação, Portugal foi eliminado pela Jugoslávia. No Jamor, a vitória por 2-1 (Santana e Matateu) foi curta para a deslocação a Belgrado, onde nem o golo de Cavém foi suficiente para evitar a goleada (1-5).


    RESULTADOS


    Meias-finais
    • França-Jugoslávia, 4-5 (Vincent 12’, Heutte 43’, 62’, Wisnieski 53’; Galic 11’, Zanetic 55’, Knez 75’, Jerkovic 78’, 79’)
    • Checoslováquia-URSS, 0-3 (Ivanov 34’, 56’, Ponedelnik 66’)

    3.º e 4.º lugar
    • Checoslováquia-França, 2-0 (Bubnik 58’, Pavlovic 88’)

    Final
    • URSS-Jugoslávia, 2-1 (Metreveli 49’, Ponedelnik 113’; Galic 43’)

    Melhores marcadores:
    2 - François Heutte (França), Valentin Ivanov e Viktor Ponedelnik (URSS) e Milan Galic e Drazan Jerkovic (Jugoslávia)

    "Rc"
    Última edição por G@ngster; 25-05-2008 às 01:32.

  2. #2
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1964 – Espanha

    NUESTROS HERMANOS IMPÕEM LEI DA CASA



    Quatro anos antes, a França tinha perdido ambos os jogos, o que não augurava nada de bom para o país organizador: a Espanha. No entanto, foi o que se passou em 1964 que se tornou numa espécie de tradição nos Europeus – o sucesso dos anfitriões. Nas meias-finais, a Espanha bateu a Hungria por 2-1, apenas no prolongamento. No outro jogo, a campeã em título voltou a evidenciar o poderio que tinha na década de 60 com uma vitória por 3-0 sobre a Dinamarca, novamente com Ponedelnik a marcar.

    Contudo, os contornos da final foram bem diferentes para os soviéticos. Com golos aos seis minutos e a seis minutos do fim, os espanhóis conseguiram o primeiro e único troféu internacional até ao momento nos escalões seniores. A União Soviética perdia assim a oportunidade de bisar.
    Curiosidades
    • Ponedelnik e Ivanov (URSS) voltaram a marcar na fase final de um Europeu depois de terem marcado, cada um, dois golos em 1960.
    • A selecção da casa (Espanha) venceu a prova.
    • Dois dos jogadores campeões actuavam no campeonato italiano: Luís Suárez (Inter) e Luís del Sol (Juventus).
    • Com 34 anos, o “Aranha-Negra” Lev Yashin era o jogador mais velho da fase final.
    • Ferenc Bene (Hungria) era o mais novo (19 anos).
    • Marcaram-se 13 golos nos 4 jogos da fase final (média de 3.25).
    Portugal na qualificação
    Dois anos antes de uma das melhores participações de sempre em fases finais de competições internacionais, Portugal defrontou a Bulgária logo na primeira fase de qualificação. Em Sófia, Eusébio adiantou a Selecção, que acabou por perder (1-3). Um mês depois, no Restelo, Portugal retribuiu o resultado com um bis de Hernâni e um golo de Coluna. No jogo de desempate, realizado em Roma, os búlgaros garantiram a continuidade na prova graças a um golo de Asparuhov, a 4 minutos dos 90.


    RESULTADOS


    Meias-finais
    • Espanha-Hungria, 2-1 (Pereda 35’, Amancio 115’; Bene 84’)
    • Dinamarca-URSS, 0-3 (Voronin 19’, Ponedelnik 40’ e Ivanov 87’)

    3.º e 4.º lugar
    • Hungria-Dinamarca, 3-1 (Bene 11’, Novak 107’ gp, 110; Bertelsen 82’)

    Final
    • Espanha-URSS, 2-1 (Pereda 6’, Marcelino 84’; Khusainov 8’)

    Melhores marcadores:
    2 – Jesús Maria Pereda (Espanha) e Ferenc Bene e Dezso Novak (Hungria)

    "Rc"

  3. #3
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1968 – Itália

    SQUADRA AZZURRA PRECISA FINALÍSSIMA



    Terceira edição da prova, terceira organização latina. A Itália sucedeu à Espanha, não só na organização, como também na conquista do título. Contudo, a meia-final foi decidida de uma forma peculiar. Com o empate registado, as regras ditavam que o desempate seria feito através de moeda ao ar. Com ou sem postura defensiva, os italianos tiveram mais sorte e, pela segunda vez consecutiva, a União Soviética era afastada pela selecção da casa. Na final, os italianos iriam defrontar a Jugoslávia, que chegavam à segunda final em três edições.

    Dragan Dzajic, que já tinha marcado na meia-final, adiantou os jugoslavos na primeira parte, mas Domeneghini restabeleceu a igualdade a dez minutos do final do tempo regulamentar. No prolongamento não houve golos, pelo que foi necessária recorrer a uma finalíssima, onde a Itália não desperdiçou a oportunidade de juntar um título europeu aos dois Mundiais já conquistados (1934 e 1938).
    Curiosidades
    • O Itália-União Soviética, das meias-finais, foi a única de uma fase final a ser decidida por moeda ao ar.
    • Dzajic (Jugoslávia) foi o único jogador a marcar mais do que um golo (2).
    • A campeã do mundo em título, a Inglaterra, acabou no terceiro lugar.
    • A União Soviética perdeu a segunda final consecutiva frente aos anfitriões.
    • A Itália conquistou a terceira competição internacional depois dos Mundiais de 1934 e 1938.
    • Anatoliy Byshovets (ex-treinador do Marítimo) fazia parte da selecção da URSS.
    Portugal na qualificação
    O terceiro lugar no Mundial faziam de Portugal uma das selecções mais temíves do panorama europeu, contudo ainda não foi desta que a Selecção Nacional conseguiu o apuramento. Num grupo com Suécia, Noruega e Bulgária, a selecção de leste voltou a ser o carrasco dos portugueses. Com duas vitórias (ambas com a Noruega), dois empates (na Suécia e em casa com a Bulgária) e duas derrotas, Portugal ficou no segundo lugar do grupo.
    RESULTADOS


    Meias-finais
    • Itália*-URSS, 0-0 (* moeda ao ar)
    • Jugoslávia-Inglaterra, 1-0 (Dzajic 87’)

    3.º e 4.º lugar
    • Inglaterra-URSS, 2-0 (Charlton 39’. Hurst 63’)

    Final
    • Itália-Jugoslávia, 1-1 (Domeneghini 80’; Dzajic 39’)

    Finalíssima
    • Itália-Jugoslávia, 2-0 (Riva 12’, Anastasi 31’)

    Melhor marcador
    2 - Dragan Dzajic (Jugoslávia)

    "Rc"

  4. #4
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1972 – Bélgica

    GERD MÜLLER IMPARÁVEL DECIDE TÍTULO



    Esta edição marcou o aparecimento de Gerd Müller em fases finais de Europeus. Um dos maiores goleadores alemães de todos os tempos fez a diferença logo nas meias-finais ao apontar os dois golos com que a República Federal Alemã (RFA) afastou (2-1) a Bélgica, que organizava a prova. Na outra meia-final, a União Soviética voltava a surgir em peso, garantindo a terceira final em quatro edições.

    No entanto, a equipa soviética não conseguiu repetir o feito de 1960, mas sim o das duas anteriores edições, ou seja, perder com o vencedor da prova. A RFA venceu 3-0 e o incontornável Gerd Müller marcou dois golos, conquistando também o prémio de melhor marcador da prova e ainda no jogador com mais golos marcados numa só prova.

    Curiosidades
    • Gerd Müller tornou-se o melhor marcador de sempre numa fase final do Europeu (4 golos) e a bisar na final.
    • Portugal foi eliminado na fase de qualificação, ao terminar o grupo atrás da selecção anfitriã, a Bélgica.
    • A União Soviética alcançou a terceira final em quatro edições.
    • Rui Rodrigues, Eusébio e Vítor Baptista apontaram dois golos cada um na fase de qualificação.
    • A RFA venceu o primeiro de três títulos.
    • Berti Vogts ganhou a competição como jogador para depois ganhar como treinador (1996).

    Portugal na qualificação
    Com Bélgica, Escócia e Dinamarca no grupo, Portugal teve um início promissor com três vitórias em quatro jornadas, perdendo apenas na Bélgica por números esclarecedores (0-3). A incapacidade de vencer as duas últimas partidas (derrota na Escócia e empate em casa com a Bélgica) impediu o apuramento português. A Bélgica terminou o grupo na liderança e teve assim a possibilidade de participar na fase final que organizou.


    RESULTADOS


    Meias-finais
    • Bélgica-RFA, 1-2 (Polleunis 83’; Müller 24’, 71’)
    • Hungria-URSS, 0-1 (Konkov 53’)

    3.º e 4.º lugar
    • Hungria-Bélgica, 1-2 (Ku 53’ gp ; Lambert 24’, Van Himst 28’)

    Final
    • RFA-URSS, 3-0 (Müller 27’, 58’, Wimmer 52’)

    Melhor marcador
    4 - Gerd Müller (RFA)
    "Rc"

  5. #5
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1976 – Jugoslávia

    DECISÃO "À PANENKA" NOS PENÁLTIS



    Se na edição de 1972 a Alemanha deu a conhecer Gerd Müller, 1976 foi ano de Dieter. Com o mesmo apelido do melhor marcador da edição anterior, o alemão juntou o título de melhor marcador da prova ao feito de ter sido o primeiro jogador a conseguir marcar três golos numa só partida. Ainda assim, acabou por ser Panenka a eternizar-se, graces à famosa grande penalidade.

    Na prova organizada pela Jugoslávia, a equipa da casa foi afastada nas meias-finais frente à República Federal Alemã (RFA). Com a RFA a perder por 1-2 a 8 minutos do final, Müller restabeleceu a igualdade e forçou o prolongamento. Quando tudo apontava para novo empate, Müller marcou dois tentos nos últimos cinco minutos, garantindo assim nova final.

    Desta feita, o adversário seria a Checoslováquia, que também eliminara a Holanda (3-1) com dois golos no prolongamento. Depois de uma vantagem de 2-0 aos 25 minutos, Müller (28’) e Hölzenbein (89’) evitaram a derrota. Contudo, no desempate, os checoslovacos seriam mais fortes (5-3), com destaque para a grande penalidade de Panenka.

    Curiosidades
    • Dieter Müller conseguiu o primeiro hat-trick em jogos das fases finais.
    • Pela primeira vez uma final foi decidida no desempate através de grandes penalidades.
    • A final ficou marcada pela chamada grande penalidade “à Panenka”.
    • Eliminado na fase de qualificação, Portugal defrontou a futura campeã europeia Checoslováquia.
    • Nené foi o melhor marcador de Portugal na qualificação (2 golos).
    • Os jogadores campeões actuavam todos no campeonato checoslovaco.

    Portugal na qualificação
    No grupo com o frágil Chipre, Portugal, Inglaterra e Checoslováquia iriam decidir o apuramento com apenas dois pontos a separar o primeiro do terceiro. Apesar de só ter perdido na Checoslováquia (0-5), Portugal só foi capaz de vencer as duas partidas com o Chipre (2-0 e 1-0), sendo insuficiente para ficar acima do terceiro lugar. A Checoslováquia acabou por garantir o apuramento e vencer o título.
    RESULTADOS


    Meias-finais
    • Checoslováquia-Holanda, 3-1 (Ondrus 19’, Nehoda 114’, Vesely 118’; Ondrus 77’ ag)
    • Jugoslávia-RFA, 2-4 (Popivoda 19’, Dzajic 30’; Flohe 64’, Müller 82’, 115’, 119’)

    3.º e 4.º lugar
    • Holanda-Jugoslávia, 3-2 (Geels 27’, 107’, Van de Kerkhof 39’; Katalinski 43’, Dzajic 82’)

    Final
    • Checoslováquia-RFA, 2-2 (5-3 gp) (Svehlik 8’, Dobias 25’; Müller 28’, Hölzenbein 89’)

    Melhor marcador
    4 - Dieter Müller (RFA)
    "Rc"

  6. #6
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1980 – Itália

    GERMÂNICOS BISAM EM VERSÃO ALARGADA



    1980 marcou o regresso da prova a território italiano, mas também o primeiro alargamento. Contrariamente às edições anteriores, com apenas quatro selecções a disputarem o título a partir das meias-finais, existiam agora dois grupos de quatro, em que os vencedores disputavam a final e os segundos classificados o jogo para o terceiro lugar.

    A República Federal Alemã (RFA) vingou-se da Checoslováquia com uma vitória na primeira jornada do grupo (golo de Rummenige), que acabou por revelar-se decisiva para a classificação geral. No outro grupo, a Bélgica foi surpresa e qualificou-se à frente da Itália, apesar de terminarem com os mesmos pontos.

    Depois da derrota em 1976, a RFA não desperdiçou a oportunidade de conquistar o segundo troféu, batendo a Bélgica por 2-1 na final, com um bis de Hrubesch. No jogo de atribuição do terceiro lugar, a Checoslováquia voltou a revelar-se perita no desempate por grandes penalidades e bateu a Itália por 9-8, depois de um empate a um golo.

    Curiosidades
    • Pela terceira edição consecutiva, a RFA contou com o melhor marcador: Klaus Allofs com três golos.
    • A Itália organizou a prova pela segunda vez, depois de já o ter feito em 1968.
    • Panenka marcou o golo mais rápido da competição (6 minutos).
    • Depois de vencer em 1976 no decisão por grandes penalidades, a Checoslováquia voltou a aproveitar os pontapés dos 11 metros para garantir o 3.º lugar.
    • Hrubesch foi o herói da final ao apontar os dois golos com que a RFA venceu a Bélgica (2-1).
    • Michel Preud’Homme, antigo guarda-redes do Benfica, fazia parte do plantel da Bélgica.

    Portugal na qualificação
    Com quatro adversários no grupo (Bélgica, Áustria, Escócia e Noruega), Portugal não conseguiu melhorar o desempenho da qualificação anterior e repetiu o terceiro lugar, tendo a selecção belga carimbado o apuramento. Apesar das quatro vitórias, tantas como o vencedor do grupo, Portugal foi derrotado por três vezes nos últimos quatro jogos: em casa com a Áustria, na Bélgica e na Escócia.


    RESULTADOS
    Grupo A
    • Checoslováquia-RFA, 0-1 (Rummenigge 57’)
    • Holanda-Grécia, 1-0 (Kist 65’ gp)
    • RFA-Holanda, 3-2 (Allofs 20’, 60’, 65’; Rep 79’ gp, Van de Kerkhof 85’)
    • Grécia-Checoslováquia, 1-3 (Anastopoulos 14’; Panenka 6’, Vizek 26’, Nehoda 63’)
    • Holanda-Checoslováquia, 1-1 (Kist 59’; Nehoda 16’)
    • Grécia-RFA, 0-0

    Classificação
    - RFA, 5 pontos/3 jogos
    - Checoslováquia, 3/3
    - Holanda, 3/3
    - Grécia, 1/3

    Grupo B
    • Bélgica-Inglaterra, 1-1 (Ceulemans 29’; Wilkins 26’)
    • Espanha-Itália, 0-0
    • Bélgica-Espanha, 2-1 (Gerets 17’, Cools 65’; Quini 36’)
    • Inglaterra-Itália, 0-1 (Tardelli 79’)
    • Espanha-Inglaterra, 1-2 (Dani 48’ gp; Brooking 19’, Woodcock 61’)
    • Itália-Bélgica, 0-0

    Classificação
    - Bélgica, 4 pontos/3 jogos
    - Itália, 4/3
    - Inglaterra, 3/3
    - Espanha, 1/3

    3.º e 4.º lugar
    • Checoslováquia-Itália, 1-1 (9-8 gp) (Jurkemik 54’; Graziani 73’)

    Final
    Bélgica-RFA, 1-2 (Vandereycken 75’ gp; Hrubesch 10’, 88’)

    Melhores marcadores
    3 - Klaus Allofs (RFA)

    "Rc"

  7. #7
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1984 – França

    GAULESES FAZEM A FESTA COM PLATINI ENDIABRADO



    Se Gerd Müller e Dieter Müller fizeram história na década de 70, batendo recordes em Europeus, o francês Michel Platini tratou de pulverizar todos as marcas que podia, no ano em que a prova regressou ao país de origem e que marcou também a estreia de Portugal em fases finais.

    Continuando com o esquema de oito selecções, o formato voltou a mudar, realizando-se agora meias-finais, em vez da disputa da final entre os vencedores dos grupos. Logo na primeira fase, Platini marcou 7 golos em 3 partidas, conseguindo hat-tricks contra Bélgica e Jugoslávia. No outro grupo, a grande surpresa foi mesmo Portugal, que conseguiu eliminar a República Federal Alemã (RFA). Com uma vitória frente à Roménia (golo de Nené aos 81 minutos), e dois empates (RFA e Espanha), a selecção das quinas chegava às meias-finais, devido ao segundo lugar do grupo.

    Contudo, as meias-finais seriam contra a fortíssima França do espectacular Platini. Num jogo que ainda hoje é considerado como um dos mais espectaculares de sempre das fases finais, Portugal colocou-se em vantagem (2-1) no prolongamento, com o bis de Jordão, mas Domergue empatou o encontro e Platini não deixou o mérito por mãos alheias, garantindo a presença na final com um tento aos 119’. Na outra meia-final, a Espanha levou a melhor sobre a Dinamarca nas grandes penalidades (5-4 após 1-1).

    Na final, Platini voltou a marcar, mas desta feita contou com a ajuda do guarda-redes espanhol Arconada, que facilitou bastante. A fechar a partida, Bellone confirmou o título francês (o primeiro de dois) com o 2-0.


    Curiosidades
    • Michel Platini (9 golos) tornou-se o melhor marcador de sempre numa fase final da prova. O recorde ainda se mantém.
    • Portugal participou pela primeira vez (eliminado nas meias-finais).
    • Depois de marcar o golo que carimbou o apuramento, Jordão foi o melhor marcador português na fase final (2 golos).
    • António Sousa marcou o primeiro golo português em fases finais.
    • Platini conseguiu dois hat-tricks na fase de grupos.
    • O romeno Lazslo Bölöni foi adversário de Portugal na fase de grupos e marcou um golo à Espanha.


    Portugal na qualificação
    Foi o primeiro apuramento português. No grupo com a poderosa União Soviética, uma das selecções com mais história na competição. Depois de 4 vitórias (todas com Polónia e Finlândia) e uma goleada sofrida na URSS (0-5), Portugal estava obrigado a vencer em casa na última jornada, precisamente frente à União Soviética. Com o equilíbrio a dominar o jogo, Chalana acabou por conquistar uma grande penalidade, por falta de Sulakvelidze, muito contestada pelos soviéticos. Jordão não desperdiçou a oportunidade e garantiu a qualificação portuguesa.


    RESULTADOS
    Grupo A
    • França-Dinamarca, 1-0 (Platini 78’)
    • Bélgica-Jugoslávia, 2-0 (Vandenbergh 28’, Grun 45’)
    • França-Bélgica, 5-0 (Platini 4’, 74’ gp, 89’, Giresse 33’, Fernández 43’)
    • Dinamarca-Jugoslávia, 5-0 (Arnesen 8’, 69’ gp, Berggreen 16’, Elkjaer 82’, Lauridsen 84’)
    • França-Jugoslávia, 3-2 (Platini 59’, 62’, 77’; Sestic 32’, Stojkovic 84’ gp)
    • Dinamarca-Bélgica, 3-2 (Arnesen 41’ gp, Larsen 60’, Elkjaer 84’; Ceulemans 26’, Vercauteren 39’)

    Classificação
    - França, 6 pontos/3 jogos
    - Dinamarca, 4/3
    - Bélgica, 2/3
    - Jugoslávia, 0/3

    Grupo B
    • RFA-Portugal, 0-0
    • Roménia-Espanha, 1-1 (Bölöni 35’; Carrasco 22’ gp)
    • RFA-Roménia, 2-1 (Völler 25’, 66’; Coras 46’)
    • Portugal-Espanha, 1-1 (Sousa 52’; Santillana 73’)
    • RFA-Espanha, 0-1 (Maceda 90’)
    • Portugal-Roménia, 1-0 (Nené 81’)

    Classificação
    - Espanha, 4 pontos/3 jogos
    - Portugal, 4/3
    - RFA, 3/3
    - Roménia, 1/3

    Meias-finais
    • França-Portugal, 3-2 (ap) (Domergue 24’, 114’, Platini 119’; Jordão 74’, 98’)
    • Dinamarca-Espanha, 1-1 (4-5 gp) (Lerby 7’; Maceda 67’)

    Final
    • França-Espanha, 2-0 (Platini 57’, Bellone 90’)

    Melhor marcador
    9 - Michel Platini (França)
    "Rc"

  8. #8
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1988 – Alemanha

    VAN BASTEN BRILHA NO ANO DA LARANJA MECÂNICA



    Gerd Müller, Michel Platini e em 1988 Van Basten. Os grandes jogadores eram cada vez mais decisivos nas fases finais e na República Federal Alemã (RFA) foi a vez do holandês Marco Van Basten levar a Laranja Mecânica até ao título.

    O formato manteve-se igual ao de 1984, numa prova onde a França não dispôs da oportunidade de defender o título. No grupo A, RFA e Itália superiorizaram-se a Espanha e Dinamarca, em jogos que Rudi Völler, Vialli e Jürgen Klinsmann fizeram valer as suas credenciais. Contudo, os dois finalistas sairiam do grupo B: Holanda e União Soviética.

    No primeiro confronto entre as duas finalistas, a vitória sorriu aos soviéticos com um golo de Rats aos 52 minutos, mas o jogo que nenhuma queria perder estava guardada para uns dias mais tarde, no Olímpico de Munique. Nas meias finais, a Holanda eliminou a RFA (2-1) com um golo de Van Basten a dois minutos do fim, enquanto a União Soviética bateu a Itália (2-0).

    Na final, a equipa de Rinus Michels foi mais forte e venceu por 2-0. Depois de Gullit ter inaugurado o marcador aos 32 minutos, Van Basten fixou o resultado final no início da segunda parte, com um remate fabuloso que ainda hoje figura na compilação de melhores golos nas grandes provas. A URSS ainda beneficiou de uma grande penalidade, mas foi incapaz de converter.


    Curiosidades
    • A Holanda venceu a União Soviética na final depois de perder (0-1) na fase de grupos.
    • Portugal foi afastado na qualificação por Itália e Suécia.
    • O árbitro português Rosa Santos foi um dos escolhidos para a prova.
    • Van Basten foi o melhor marcador da prova com 5 golos.
    • A Holanda conquistou o primeiro (e único até ao momento) título internacional.
    • Ronald Koeman (antigo treinador do Benfica) fazia parte da selecção de Rinus Michels.

    Portugal na qualificação
    Com Itália, Suécia, Suíça e Malta, a tarefa portuguesa não se afigurava fácil. A selecção transalpina era a grande favorita e não desiludiu, sofrendo apenas um empate (na Suíça) e uma derrota (na Suécia). Quanto a Portugal, terceiro classificado do grupo, sofreu duas derrotas com a Itália, dois empates com a Suíça e não conseguiu ganhar a partida mais fácil, em casa com Malta (2-2). O melhor resultado acabou por ser a vitória na Suécia por 1-0.



    RESULTADOS
    Grupo A
    • RFA-Itália, 1-1 (Brehma 55’; Mancini 52’)
    • Dinamarca-Espanha, 2-3 (Laudrup 24’, Povlsen 82’; Michel 5’, Butragueño 52’, Gordillo 67’)
    • RFA-Dinamarca, 2-0 (Klinsmann 10’, Thon 85’)
    • Itália-Espanha, 1-0 (Vialli 73’)
    • RFA-Espanha, 2-0 (Völler 29’, 51’)
    • Itália-Dinamarca, 2-0 (Altobelli 67’, De Agostini 87’)

    Classificação
    - RFA, 5 pontos/3 jogos
    - Itália, 5/3
    - Espanha, 2/3
    - Dinamarca, 0/3

    Grupo B
    • Inglaterra-República da Irlanda, 0-1 (Houghton 6’)
    • Holanda-URSS, 0-1 (Rats 52’)
    • Inglaterra-Holanda, 1-3 (Robson 53’; Van Basten 44’, 71’, 75’)
    • República da Irlanda-URSS, 1-1 (Whelan 38’; Protasov 74’)
    • Inglaterra-URSS, 1-3 (Adams 16’; Aleinikov 3’, Mikhailichenko 28’, Pasulko 73’)
    • República da Irlanda-Holanda, 0-1 (Kieft 82’)

    Classificação
    - URSS, 5 pontos/3 jogos
    - Holanda, 4/3
    - República da Irlanda, 3/3
    - Inglaterra, 0/3

    Meias-finais
    • RFA-Holanda, 1-2 (Matthäus 55’; Koeman 74’, Van Basten 88’)
    • URSS-Itália, 2-0 (Litovchenko 58’, Protasov 62’)

    Final
    • URSS-Holanda, 0-2 (Gullit 32’, Van Basten 54’)

    Melhor marcador
    5 - Van Basten (Holanda)

    "Rc"

  9. #9
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1992 – Suécia

    SUPERIORIDADE NÓRDICA NA VITÓRIA MAIS INESPERADA



    Do ponto de vista da emoção e da imprevisibilidade, o Europeu da Suécia, em 1992, foi o mais espectacular de sempre. Sem preparação para a prova, a Dinamarca acabou por ser convidada para integrar o grupo A, onde também estavam a Suécia, a França e a Inglaterra.

    A tarefa não era fácil, mas a proximidade geográfica, o forte apoio dos adeptos e a simpatia que conseguiu devido ao chamamento de última hora, acabaram por levar a Dinamarca ao título europeu. Com apenas nove golos nos seis jogos do grupo A, a selecção sueca acabou por vencer, seguido da Dinamarca que fez apenas três pontos.

    No outro grupo, Holanda e Alemanha confirmaram o favoritismo, especialmente tendo em conta que a organização da antiga União Soviética, que participou enquanto Comunidade dos Estados Independentes, não era favorável, devido ao delicado contexto político que se vivia no rescaldo do desmembramento das repúblicas soviéticas socialistas.

    Na primeira meia-final, o país organizador, a Suécia, foi afastada pela Alemanha (2-3), numa partida em que o avançado Karl-Heinz Riedle brilhou ao apontar dois golos. Depois do feito de ultrapassar a fase de grupos, a Dinamarca tinha pela frente a actual campeã em título: a Holanda. Os objectivos estavam mais que superados, mas Henrik Larsen (o dinamarquês) bisou na partida e esteve perto de garantir a vitória nos 90 minutos, não fosse o tento de Rijkaard a quatro minutos do final. No desempate por grandes penalidades, o herói de 1988 tornou-se no vilão de 1992, já que Van Basten foi o único a não conseguir converter a grande penalidade.

    Na final, frente à Alemanha, a Dinamarca era já uma selecção seguida por todos e vista com grandes hipóteses de conquistar o título. Jensen inaugurou a partida aos 18 minutos e Kim Vilfort fechou a contagem aos 78’, garantindo assim a maior reviravolta de uma selecção numa prova europeia, ou seja, de não apurada a detentora do troféu.

    Curiosidades
    • A Dinamarca venceu a competição depois de não ter conseguido o apuramento.
    • Riedle (RFA), Larsen (Dinamarca), Brolin (Suécia) e Bergkamp (Holanda) dividiram o troféu de melhor marcador.
    • Peter Schmeichel, antigo guarda-redes do Sporting, foi campeão europeu.
    • Depois do desmembramento da União Soviética, a selecção participou como CEI (Comunidade dos Estados Independentes).
    • Na defesa do título, a Holanda foi eliminada nas meias-finais frente à Dinamarca.
    • Portugal foi eliminado na fase de qualificação pela Holanda.

    Portugal na qualificação
    Com Holanda, Grécia, Finlândia e Malta no grupo, Portugal teve uma fase de qualificação perfeita em casa, com quatro vitórias sem sofrer qualquer golo. Contudo, acabou por ser nas deslocações que Portugal perde a possibilidade de chegar à fase final na Suécia. A Selecção Nacional só conseguiu vencer em Malta, empatando na Finlândia e saindo derrotado da Grécia e da Holanda. Terminou no segundo lugar a dois pontos da Holanda.


    RESULTADOS
    Grupo A
    • Suecia-França, 1-1 (Eriksson 24’; Papin 58’)
    • Dinamarca-Inglaterra, 0-0
    • França-Inglaterra, 0-0
    • Suécia-Dinamarca, 1-0 (Brolin 58’)
    • Suécia-Inglaterra, 2-1 (Eriksson 51’, Brolin 82’; Platt 4’)
    • França-Dinamarca, 1-2 (Papin 60’; Larsen 8’, Elstrup 78’)

    Classificação
    - Suécia, 5 pontos/3 jogos
    - Dinamarca, 3/3
    - França, 2/3
    - Inglaterra, 2/2

    Grupo B
    • Holanda-Escócia, 1-0 (Bergkamp 75’)
    • CEI-Alemanha, 1-1 (Dobrovolski 64’; Hässler 90’)
    • Escócia-Alemanha, 0-2 (Riedle 29’; Effenberg 47’)
    • Holanda-CEI, 0-0
    • Holanda-Alemanha, 3-1 (Rijkaard 3’, Robert Witschge 14’, Bergkamp 72’; Klinsmann 53’)
    • Escócia-CEI, 3-0 (McStay 7’, McClair 16’, McAllister 84’ gp)

    Classificação
    - Holanda, 5 pontos/3 jogos
    - Alemanha, 3/3
    - Escócia, 2/3
    - CEI, 2/3

    Meias-finais
    • Suécia-Alemanha, 2-3 (Brolin 64’ gp, Andersson 89’; Hässler 11’, Riedle 59’, 88’)
    • Holanda-Dinamarca, 2-2 (4-5 gp) (Bergkamp 23’, Rijkaard 86’; Larsen 5’, 33’)

    Final
    • Dinamarca-Alemanha, 2-0 (Jensen 18’, Vilfort 78’)

    Melhor marcador
    3 - Henrik Larsen (Dinamarca), Karl-Heinz Riedle (Alemanha), Dennis Bergkamp (Holanda) e Tomas Brolin (Suécia)

    "Rc"

  10. #10
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 1996 – Inglaterra

    ALEMANHA CONQUISTA TRI NO BERÇO DO FUTEBOL



    “O futebol está de regresso a casa”. Foi desta forma que os ingleses festejaram de forma efusiva a organização do Europeu, precisamente 30 anos depois da organização do Mundial, em que a selecção britânica saiu vencedora.

    Com a campeã em título (Dinamarca) no grupo de Portugal, os ingleses queriam ter o mesmo sucesso do que em 1966. Desta forma, a eliminação nas meias-finais com a Alemanha, finalista vencida em 66, no desempate por grandes penalidades, foi uma enorme desilusão.

    Portugal conseguiu mais uma vez passar a fase de grupos, mas baqueou nos quartos-de-final, devido ao famoso chapéu de Karel Poborsky a Vítor Baía. A República Checa, que se estreava na prova depois do desmembramento, foi a grande surpresa chegando a estar a vencer na final frente à Alemanha. Contudo, Oliver Bierhoff saiu do banco para restabelecer a igualdade e marcar o golo de ouro no prolongamento.

    A Alemanha conquistava assim o terceiro título europeu em cinco finais. Foi a primeira prova disputada com 16 selecções.

    Curiosidades
    • Bierhoff saiu do banco para bisar e decidir a primeira final através do Golo de Ouro.
    • Portugal, eliminado nos quartos-de-final, conseguiu a segunda participação.
    • Alan Shearer (Inglaterra) foi o melhor marcador, com 5 golos.
    • Os dois jogos das meias-finais foram decididos através de grandes penalidades.
    • A República Checa chegou à final na estreia da selecção enquanto República Checa.
    • Portugal afastou a campeã em título, Dinamarca, no grupo D.


    Portugal na qualificação
    A campanha de apuramento para o Europeu de Inglaterra marcou definitivamente o regresso de Portugal aos palcos das fases finais, já que desde então não voltou a falhar o apuramento. Com República da Irlanda, Irlanda do Norte, Áustria, Letónia e Liechtenstein, a Selecção Nacional teve um início de prestação praticamente perfeito com seis vitórias nos sete primeiros jogos, perdendo apenas na República da Irlanda. Com a possibilidade de garantir o apuramento desde logo, Portugal empatou com Irlanda do Norte e Áustria, adiando tudo para a última partida, no Estádio da Luz frente à República da Irlanda. A vitória por 3-0, coroada com um grande golo de Rui Costa, lançou Portugal na Europa.


    RESULTADOS
    Grupo A
    • Inglaterra-Suíça, 1-1 (Shearer 23’; Türkyilmaz 84’ gp)
    • Holanda-Escócia, 0-0
    • Suíça-Holanda, 0-2 (Cruyff 66’, Bergkamp 79’)
    • Escócia-Inglaterra, 0-2 (Shearer 53’, Gascoigne 79’)
    • Escócia-Suíça, 1-0 (McCoist 36’)
    • Holanda-Inglaterra, 1-4 (Kluivert 78’; Shearer 23’ gp, 57’, Sheringham 51’, 62’)

    Classificação
    - Inglaterra, 7 pontos/3 jogos
    - Holanda, 4/3
    - Escócia, 4/3
    - Suíça, 1/4

    Grupo B
    • Espanha-Bulgária, 1-1 (Alfonso 74’; Stoichkov 65’ gp)
    • Roménia-França, 0-1 (Dugarry 25’)
    • Bulgária-Roménia, 1-0 (Stoichkov 3’)
    • França-Espanha, 1-1 (Djorkaeff 49’; Caminero 86’)
    • França-Bulgária, 3-1 (Blanc 21’, Penev 63’ ag, Loko 90’; Stoichkov 69’)
    • Roménia-Espanha, 1-2 (Raducioiu 29’; Manjarín 11’, Amor 84’)

    Classificação
    - França, 7 pontos/3 jogos
    - Espanha, 5/3
    - Bulgária, 4/3
    - Roménia, 0/3

    Grupo C
    • Alemanha-República Checa, 2-0 (Ziege 26’, Möller 32’)
    • Itália-Rússia, 2-1 (Casiraghi 5’, 52’; Tsymbalar 21’)
    • República Checa-Itália, 2-1 (Nedved 14’, Bejbl 35’; Chiesa 18’)
    • Rússia-Alemanha, 0-3 (Sammer 56’, Klinsmann 77’, 90’)
    • Rússia-República Checa, 3-3 (Mostovoi 49’, Tetradze 54’, Beschastnykh 85’; Suchoparek 5’, Kuka 19’, Smicer 88’)
    • Itália-Alemanha, 0-0

    Classificação
    - Alemanha, 7 pontos/3 jogos
    - República Checa, 4/3
    - Itália, 4/3
    - Rússia, 1/3

    Grupo D
    • Dinamarca-Portugal, 1-1 (Brian Laudrup 22’; Sá Pinto 53’)
    • Turquia-Croácia, 0-1 (Vlaovic 86’)
    • Portugal-Turquia, 1-0 (Fernando Couto 66’)
    • Croácia-Dinamarca, 3-0 (Suker 53’ gp, 90’; Boban 81’)
    • Croácia-Portugal, 0-3 (Figo 4’, João Pinto 33’, Domingos 82’)
    • Turquia-Dinamarca, 0-3 (Brian Laudrup 50’, 84’, Nielsen 69’)

    Classificação
    - Portugal, 7 pontos/3 jogos
    - Croácia, 6/3
    - Dinamarca, 4/3
    - Turquia, 0/3

    Quartos-de-final
    • Inglaterra-Espanha, 0-0 (4-2 gp)
    • Holanda-França, 0-0 (4-5 gp)
    • Alemanha-Croácia, 2-1 (Klinsmann 20’ gp, Sammer 59’; Suker 51’)
    • República Checa-Portugal, 1-0 (Poborsky 53’)

    Meias-finais
    • França-República Checa, 0-0 (5-6 gp)
    • Inglaterra-Alemanha, 1-1 (5-6 gp) (Shearer 3’; Kuntz 6’)

    Final
    • Alemanha-República Checa, 2-1 (Bierhoff 73’, 95’; Berger 59’ gp)

    Melhor marcador
    5 - Alan Shearer (Inglaterra)

    Rc

  11. #11
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 2000 – Bélgica e Holanda

    TREZEGUET HERÓI GAULÊS COM GOLO DE OURO



    Foi o primeiro Europeu da história a ser organizado por dois países. Apesar de alguma contestação e dúvidas sobre o sucesso que poderia ter, os resultados foram positivos, pelo que as edições deste ano e de 2012 vão repetir a fórmula. Portugal foi uma das grandes revelações da prova, mesmo perante a presença de fortes adversários como Inglaterra, Alemanha e Roménia.

    Depois de terminar o grupo apenas com vitórias, Portugal eliminou a Turquia e só foi eliminado em Bruxelas pela França, após prolongamento, num jogo que ficou marcado pela mão assinalada a Abel Xavier. Entre os países organizadores, a Bélgica foi afastada na fase de grupos, enquanto a Holanda só perdeu nas grandes penalidades frente à Itália nas meias-finais.

    Na final, França-Itália, a "squadra azzurra" esteve a um curto espaço de conseguir o triunfo, mas um providencial golo de Wiltord em cima da hora levou o jogo para prolongamento, onde Trezeguet acabaria por decidir o desfecho da partida com um "golo de ouro".


    Curiosidades
    • Pela primeira vez na história, a organização do Europeu foi conjunta (Bélgica e Holanda).
    • O árbitro português Vítor Pereira foi um dos escolhidos para a prova.
    • Houve duas partidas com sete golos: Holanda-Jugoslávia (6-1) e Espanha-Jugoslávia (4-3).
    • Houve 21 golos nas quatro partidas da selecção jugoslava.
    • Patrick Kluivert (Holanda) e Savo Milosevic (Jugoslávia) foram os melhores marcadores da prova.
    • Pela primeira vez, o campeão do mundo venceu o Europeu seguinte (França).

    Portugal na qualificação
    Com Roménia, Eslováquia, Hungria, Azerbaijão e Liechtenstein no grupo, acabou por ser a primeira selecção a disputar o apuramento com Portugal até à última. Com um empate na Roménia e derrota nas Antas, Portugal acabou por perder o primeiro lugar, mas garantiu o apuramento directo por ser o melhor segundo classificado: 23 pontos em 10 jogos. À semelhança do apuramento para 1996, a celebração foi feita em casa, no Estádio da Luz. A Selecção Nacional necessitava de vencer a Hungria e não facilitou, repetindo os mesmos 3-0 com que tinha batido a República da Irlanda quatro anos antes.


    RESULTADOS

    Grupo A
    • Alemanha-Roménia, 1-1 (Scholl 28’; Moldovan 5’)
    • Portugal-Inglaterra, 3-2 (Figo, João Pinto 37’, Nuno Gomes 59’; Scholes 3’, McManaman 18’)
    • Roménia-Portugal, 0-1 (Costinha 90’)
    • Inglaterra-Alemanha, 1-0 (Shearer 53’)
    • Inglaterra-Roménia, 2-3 (Shearer 41’ gp, Owen 45’; Chivu 22’, Munteanu 48’, Ganea 89’ gp)
    • Portugal-Alemanha, 3-0 (Sérgio Conceição 35’, 54’, 71’)

    Classificação
    - Portugal, 9 pontos/3 jogos
    - Roménia, 4/3
    - Inglaterra, 3/3
    - Alemanha, 1/1

    Grupo B
    • Bélgica-Suécia, 2-1 (Goor 43’, Emile Mpenza 46’; Mjällby 53’)
    • Turquia-Itália, 1-2 (Okan 62’; Conte 52’, Inzaghi 70’ gp)
    • Itália-Bélgica, 2-0 (Totti 6’, Fiore 66’)
    • Suécia-Turquia, 0-0
    • Turquia-Bélgica, 2-0 (Hakan Sukur 45’, 70’)
    • Itália-Suécia, 2-1 (Di Biagio 39’, Del Piero 88’; Larsson 77’)

    Classificação
    - Itália, 9 pontos/3 jogos
    - Turquia, 4/3
    - Bélgica, 3/3
    - Suécia, 1/3

    Grupo C
    • Espanha-Noruega, 0-1 (Iversen 65’)
    • Jugoslávia-Eslovénia, 3-3 (Milosevic 67’, 73’, Drulovic 70’; Zahovic 23’, 57’, Pavlin 52’)
    • Eslovénia-Espanha, 1-2 (Zahovic 59’; Raúl 4’, Etxebarria 60’)
    • Noruega-Jugoslávia, 0-1 (Milosevic 8’)
    • Jugoslávia-Espanha, 3-4 (Milosevic 30’, Govedarica 50’, Komljenovic 75’; Alfonso 38’, 90’, Munitis 51’, Mendieta 90’)
    • Eslovénia-Noruega, 0-0


    Classificação
    - Espanha, 6/3
    - Jugoslávia, 4/3
    - Noruega, 4/3
    - Eslovénia, 2/3

    Grupo D
    • França-Dinamarca, 3-0 (Blanc 16’, Henry 64’, Wiltord 90’)
    • Holanda-República Checa, 1-0 (Frank de Boer 89’ gp)
    • República Checa-França, 1-2 (Poborsky 35’; Henry 7’, Djorkaeff 60’)
    • Dinamarca-Holanda, 0-3 (Kluivert 57’, Ronald de Boer 66’, Zenden 77’)
    • Dinamarca-República Checa, 0-2 (Smicer 64’, 67’)
    • França-Holanda, 2-3 (Dugarry 8’, Trezeguet 31’; Kluivert 14’, Frank de Boer 51’, Zenden 59’)

    Classificação
    - Holanda, 9 pontos/3 jogos
    - França, 6/3
    - República Checa, 3/3
    - Dinamarca, 0/3

    Quartos-de-final
    • Turquia-Portugal, 0-2 (Nuno Gomes 44’, 56’)
    • Itália-Roménia, 2-0 (Totti 33’, Inzaghi 43’)
    • Holanda-Jugoslávia, 6-1 (Kluivert 24’, 38’, 54’, Govedarica 51’ ag, Overmars 78’, 90’; Milosevic 90’+1)
    • Espanha-França, 1-2 (Mendieta 38’; Zidane 32’, Djorkaeff 44’

    Meias-finais
    • França-Portugal, 2-1 (Henry 51’, Zidane 117’; Nuno Gomes 19’)
    • Itália-Holanda, 0-0 (3-1 gp)

    Final
    • França-Itália, 2-1 (Wiltord 90’, Trezeguet 103’; Delvecchio 55’)

    Melhores marcadores
    5 - Patrick Kluivert (Holanda) e Savo Milosevic (Jugoslávia)

    Rc
    Finale Euro 2000

  12. #12
    GForum Vip Avatar de G@ngster
    Data de Ingresso
    Nov 2007
    Localização
    Belgica
    Idade
    46
    Posts
    45.626

    Padrão 2004 – Portugal

    LUZ GELADA NO DESAIRE MAIS AMARGO



    A prova organizada por Portugal entrou para a história como a única em que o país organizador perdeu com a mesma selecção no jogo de abertura e na final. Sem ser considerada candidata, a Grécia foi ultrapassando obstáculos acabando por vencer todos os jogos a eliminar pela mesma margem: 1-0.

    Com jogos que ficaram para a história, como a reviravolta da França nos descontos contra a Inglaterra, o Holanda-República Checa e o Portugal-Inglaterra, o Euro 2004 foi um caso de sucesso organizacional e desportivo, já que a Selecção Nacional acabou por conseguir a melhor classificação de sempre, após do balde de água fria na final do Estádio da Luz.

    Mesmo depois de um mau começo, os portugueses reuniram-se em volta da equipa, oferecendo o apoio incondicional que se notou especialmente em dias de jogos. Milan Baros foi o melhor marcador (5 golos em 5 jogos) de uma competição que lançou para a ribalta nomes como Cristiano Ronaldo e Arjen Robben.


    Curiosidades
    • A Grécia venceu a competição após bater duas vezes a selecção da casa (Portugal).
    • O Panathinaikos era a equipa mais representada (6 jogadores).
    • Pela primeira vez, Portugal chegou à final de uma competição internacional de seniores.
    • A campeã europeia tinha um jogador a actuar em Portugal: Fyssas (Benfica).
    • O República Checa-Holanda foi eleito o melhor jogo da competição.
    • Milan Baros (República Checa) foi o melhor marcador com cinco golos.

    Portugal na qualificação

    Apurado enquanto país organizador

    RESULTADOS
    Grupo A
    • Portugal-Grécia, 1-2 (Ronaldo 90’+3; Karagounis 7’, Basinas 51’ gp)
    • Espanha-Rússia, 1-0 (Valerón 60’)
    • Grécia-Espanha, 1-1 (Charisteas 66’; Morientes 28’)
    • Rússia-Portugal, 0-2 (Maniche 7’, Rui Costa 89’)
    • Espanha-Portugal, 0-1 (Nuno Gomes 57’)
    • Rússia-Grécia, 2-1 (Kirichenko 2’, Bulykin 17’; Vryzas 43’)

    Classificação
    - Portugal, 6 pontos/3 jogos
    - Grécia, 4/3
    - Espanha, 4/3
    - Rússia, 3/3
    Grupo B
    • Suíça-Croácia, 0-0
    • França-Inglaterra, 2-1 (Zidane 90’+1, 90’+3; Lampard 38’)
    • Inglaterra-Suíça, 3-0 (Rooney 23’, 75’, Gerrard 82’)
    • Croácia-França, 2-2 (Rapaic 48’ gp, Prso 52’; Tudor 22’ ag, Trezeguet 64’)
    • Croácia-Inglaterra, 2-4 (Niko Kovac 5’, Tudor 73’; Scholes 40’, Rooney 45’, 68’, Lampard 79’)
    • Suíça-França, 1-3 (Vonlanthen 26’; Zidane 20’, Henry 76’, 84’)

    Classificação
    - França, 7 pontos/3 jogos
    - Inglaterra, 6/3
    - Croácia, 2/3
    - Suíça, 1/3

    Grupo C
    • Dinamarca-Itália, 0-0
    • Suécia-Bulgária, 5-0 (Ljungberg 32’, Larsson 57’, 58’, Ibrahimovic 78’ gp, Allbäck 90’)
    • Bulgária-Dinamarca, 0-2 (Tomasson 44’, Gronkjaer 90’+2)
    • Itália-Suécia, 1-1 (Cassano 37’; Ibrahimovic 87’)
    • Itália-Bulgária, 2-1 (Perrotta 48’, Cassano 90’; Martin Petrov 45’ gp)
    • Dinamarca-Suécia, 2-2 (Tomasson 28’, 66’; Larsson 47’ gp, Jonsson 89’)

    Classificação
    - Suécia, 5 pontos/3 jogos
    - Dinamarca, 5/3
    - Itália, 5/3
    - Bulgária, 0/3

    Grupo D
    • República Checa-Letónia, 2-1 (Baros 73’, Poborsky 85’; Verpakovskis 45’)
    • Alemanha-Holanda, 1-1 (Frings 30’; Van Nistelrooy 81’)
    • Letónia-Alemanha, 0-0
    • Holanda-República Checa, 2-3 (Bouma 4’, Van Nistelrooy 19’; Koller 23’, Baros 71’, Smicer 88’)
    • Holanda-Letónia, 3-0 (Van Nistelrooy 27’ gp, 35’; Makaay 84’)
    • Alemanha-República Checa, 1-2 (Ballack 21’; Heinz 30’, Baros 77’)

    Classificação
    - República Checa, 9 pontos/3 jogos
    - Holanda, 4/3
    - Alemanha, 2/3
    - Letónia, 1/3

    Quartos-de-final
    • Portugal-Inglaterra, 2-2 (6-5 gp) (Postiga 83’, Rui Costa 110’; Owen 3’, Lampard 115’)
    • França-Grécia, 0-1 (Charisteas 65’)
    • Suécia-Holanda, 0-0 (4-5 gp)
    • República Checa-Dinamarca, 3-0 (Koller 49’, Baros 63’, 65’)

    Meias-finais
    • Portugal-Holanda, 2-1 (Ronaldo 26’, Maniche 58’; Jorge Andrade 63’ ag)
    • Grécia-República Checa, 1-0 (Dellas 104’)

    Final
    • Portugal-Grécia, 0-1 (Charisteas 57’)

    Melhor marcador
    5 - Milan Baros (República Checa)

    Rc
    Última edição por G@ngster; 25-05-2008 às 01:29.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  

Já fez "Like" na nossa página do facebook?

Acompanhe todas as novidades.