O ensaísta Eduardo Lourenço é um dos portugueses que a Sociedade Portuguesa de Autores galardoa hoje durante a II edição da Gala SPA/ RTP, que a estação pública de televisão transmite em directo do Centro Cultural de Belém, Lisboa.

Na cerimónia será ainda entregue o Prémio de Melhor Programação Autárquica do Ano à Câmara de Lisboa, pela «maneira exemplar como comemorou os 100 anos da República», e o Melhor Prémio de Autor Estrangeiro ao cineasta e encenador francês Patrice Chéreau.

Eduardo Lourenço receberá o Prémio Vida e Obra.

Os cantores Camané, Joan Wasser, conhecida como Joan as Policewoman, Mazgani, Rita Redshoes, Paulo Furtado (Legendary Tigerman) e o trio Paulo de Carvalho, Fernando Tordo e Carlos Mendes são os participantes da Gala da Sociedade Portuguesa de Autores em que serão anunciados os vencedores de 22 prémios.

Cinema, Rádio, Televisão, Dança, Música, Teatro, Literatura e Artes Visuais serão as categorias em que estão divididos os galardões que visam «sublinhar a importância dos autores e dos direitos destes (.) numa altura conturbada como a que atravessamos em que a cultura é sempre o primeiro alvo a abater», disse o vice-presidente da SPA e responsável pela gala, João Lourenço, na apresentação da iniciativa.

«A Sociedade Portuguesa de Autores tem de lembrar diariamente a importância da cultura», um importante factor para a «prossecução da identidade e construção de sonhos», sublinhou João Lourenço.

A edição deste ano da Gala conta com dois prémios novos: o de Melhor Argumento de Cinema e o de Melhor Texto Português Representado, cuja inexistência foi a mais contestada por parte dos autores.

Lusa/ SOL