O mundo é cercado por uma série de acordos para tratar de diversos tipos de temas e questões, esse processo sofreu um incremento a partir dos anos 90, tanto em números quanto em nível de importância, isso em escala planetária, jamais na história houve tantas incidências desse tipo de negociação.

Diante dos acordos existentes os que mais se destacam são os relacionados à economia e comércio internacional, impulsionado pelo crescente processo de globalização.

Os tratados e acordos variam conforme o grau de relacionamento diplomático entre os países e também o carácter de complexidade, ou seja, desde assuntos mais polémicos e estruturais até questões simples e de fácil entendimento.

Um dos exemplos mais evidentes de acordos comerciais é a criação de blocos económicos com aspecto de Zona de Livre Comércio, quando uma nação se ingressa em um bloco e com essas características reduz em curto e médio tempo suas taxas alfandegárias sobre todo tipo de fluxos comercias entre os componentes.

Caso o grupo de países queira estreitar os laços comerciais entre eles avançam para uma próxima etapa, denominada de União Aduaneira, que consiste em retirar as tarifas tributárias entre os integrantes do bloco, além disso é adoptada uma tarifa alfandegária comum para a entrada de produtos oriundos de outros centros comercias.

Quando há a utilização de todos os aspectos apresentados no texto acrescendo a livre circulação de pessoas, capitais e serviços, o bloco se transforma em outra categoria de acordo, conhecida como Mercado Comum, e se, além disso, esse grupo de países implantar uma moeda de circulação dentro do bloco, novamente esse altera para a condição de União Económica e Monetária, o último é o nível máximo que actualmente pode ser concebido em nível internacional.


.