Uma das grandes riquezas da humanidade encontra-se sob os pés, o solo. Assim como a água, o solo tem uma grande importância na vida actual e principalmente para o futuro da humanidade. Entretanto, em diversos pontos do mundo esse recurso mineral renovável encontra-se em condições deploráveis de conservação.

No norte da China existe uma região que apresenta um relevo do tipo planalto, durante muito tempo essa área foi usada para o cultivo de plantações, como o local é acidentado foi preciso usar a técnica de plantio em terraços. Nesse caso houve a ocupação de uma área inadequada para o desenvolvimento da agricultura, dessa forma o local se transformou em uma enorme concentração de ravinas (um tipo de erosão), figurando em nível mundial como o lugar que apresenta maiores índices de erosões.

A procura por terras cultiváveis e férteis aumentou em razão do crescimento da população mundial e do consumo, mesmo assim a humanidade degrada cada vez mais, não atentando para a suma importância que o solo possui.

Aproximadamente 11% das áreas da superfície terrestre são responsáveis pela produção de diversas culturas que suprem cerca de 6,7 bilhões de pessoas. Desse total, somente 3% responde pelos solos férteis nativos. Em decorrência das intensas degradações promovidas pelo manejo inadequado, extensas áreas viáveis ao cultivo podem se tornar improdutivas ou estéreis.

Segundo pesquisas ligadas ao solo, foi constatado que a humanidade já degradou solos de áreas que equivalem aos territórios dos Estados Unidos e Canadá juntos.
Quando o tema “solo” é abordado, a primeira ideia que se tem é em relação à produção de alimentos, segundo estimativas, o mundo terá uma população, no ano de 2030, de 8,3 biliões de pessoas, esse fato reflecte directamente na oferta de cereais que precisará elevar-se em pelo menos 30%.

Em suma, a conservação dos solos é indispensável para a manutenção humana, esse recurso fornece grande parte de tudo o que a sociedade necessita, especialmente alimentos. Diante disso o que deve acontecer é um manejo adequado e sustentável, acompanhado e fiscalizado pelos órgãos governamentais de todos os países.


.