A flauta de bisel é denominada por flauta de bico, flauta de nove buracos, flauta de Inglaterra, recorder, flauta doce, flauta de bloco ou flauta direita.

Este instrumento de sopro tem o tubo cónico, com sete buracos à frente e um atrás para o polegar. Este orifício atrás, distingue-a das outras flautas populares com embocadura de origem.

Geralmente é composta por três secções, a cabeça com a embocadura em bisel e um bloco; o corpo com o orifício para o polegar e seis buracos, e o pé. As flautas actuais, seguem o design barroco usado entre os finais do séc. XVII e durante o séc. XVIII.

Anteriormente eram feitas de uma só peça. O tubo era cilíndrico e o último orifício era feito duas vezes, para a mão direita ou esquerda (tapava-se o orifício que não se usava com cera ou resina), assim chamava-se também flauta de nove buracos.

Devido ao seu timbre suave, é muitas vezes chamada flauta doce

As flautas de bisel são feitas de diferentes tamanhos. Tradicionalmente são feitas de madeira. Hoje em dia são feitas em quantidades massivas para uso escolar.

Existem quatro instrumentos principais usados hoje, a soprano, a nota mais grave dó´´; a contralto, nota mais grave, fá´; a tenor, nota mais grave dó´ e baixo, nota mais grave fá´. Existe também o sopranino, nota mais grave fá´´ e o grande baixo, nota mais grave dó.

Existiram outras flautas, principalmente em Ré, a sua extensão é de duas oitavas.

Esta flauta teve um papel relevante na música de Purcell, Bach, Handel, Telemann e muitos dos seus contemporâneos. Apesar de não ter sido incluída na formação da orquestra, desenvolveu-se nos séc. XVIII e XIX, no séc. XX tomou lugar nas composições contemporâneas de avant-garde.

Alguns dos endereços com informações sobre a flauta de bisel:

Código:
www.melotec.com/sopro-flauta-de-bisel.htm

www.flute-a-bec.com

www.recorderhomepage.net


Fonte: emnsc