O encerramento do espaço aéreo em Abril devido à erupção do vulcão na Islândia resultou para Portugal num prejuízo cifrado entre 35 a 40 milhões de euros, segundo o secretário de Estado do Turismo.
"Em função de alguns dos dados que nos foram chegando pelas várias regiões turísticas do país e toda a sua implicação - tanto ao nível do cancelamento de aviões, número de dormidas que se perderam, entre outras - chegamos a um valor entre os 35 e os 40 milhões de euros", disse Bernardo Trindade, à margem da apresentação do programa Allgarve 2010, que decorreu esta quinta-feira em Faro.

O secretário de Estado do Turismo disse que participou recentemente numa conferência por telefone com o vice-presidente da Comissão Europeia e os 27 Estados-membros para se fazer essa avaliação dos prejuízos no sector do Turismo no pós-encerramento do espaço aéreo.

Em Espanha, por exemplo, os prejuízos rondam os 240 milhões de euros e em Itália 300 milhões de euros.

Bernardo Trindade garantiu já ter sensibilizado o vice-presidente da Comissão Europeia sobre a necessidade das regiões turísticas de Portugal receberem apoios de solidariedade.
Portugal já disse o que pensava e qual a necessidade e quais os programas que devem ser implementados nesse sentido", observou o responsável pela pasta do Turismo em Portugal, expectante de que os programas de co-financiamento sejam "aprovados a breve prazo para que possam ser uma resposta importante para todas as regiões turísticas do país".

Segundo Bernardo Trindade, os programas visam sobretudo dar "sinais de solidariedade da União Europeia e da Comissão Europeia", onde, dependendo de país para país, os países terão de ter essa solidariedade.

Os levantamentos dos prejuízos já foram feitos em cada um dos Estados-membros, mas há países do Norte da Europa que ainda não têm o levantamento terminado e por isso os apoios ainda estão a ser avaliados.

dn.