O antigo ministro da Indústria Luís Mira Amaral considera que a decisão da Moody's de descer o 'rating' da dívida portuguesa é "infeliz" e "terrorista" até porque acabou de tomar posse um novo Governo.

"É evidente que o país não está em boa situação, mas acho manifestamente infeliz e até terrorista fazer esta descida de 'rating' neste momento, quando entrou um novo Governo que teve a maioria absoluta", disse à Lusa o também presidente do Banco BIC.

Para Mira Amaral, a decisão é ainda mais "precipitada e exagerada" quando o novo Governo tem maioria absoluta e "já disse que vai cumprir escrupulosamente as medidas da troika e ainda vai mais além".

A decisão, sublinhou, tem "consequências negativas no sentido em que aumenta os custos de capital e, portanto, os encargos financeiros não só do Estado português como também dos bancos e grandes empresas".

Apesar de admitir que a crise possa alastrar-se a outros países da Zona Euro, como Espanha, Bélgica e Itália, Mira Amaral não acredita que se esteja à beira do fim da moeda única.

"Eu não acredito que o euro acabe, o que pode estar em causa é a permanência de alguns países na Zona Euro dado que a Alemanha e aqueles países que não têm défices comerciais não vão passar a usar as suas moedas nacionais", afirmou.



In:JN