Vítimas terão roubado dois sacos de milho numa paróquia do distrito de Nacarôa
Moçambique: padres detidos por suspeita de maus-tratos e cárcere




Dois alegados padres encontram-se detidos desde a passada segunda-feira na província de Nampula, no norte de Moçambique, acusados de ofensas corporais, cárcere privado e fogo posto contra quatro pessoas da mesma família.

A imprensa moçambicana noticia esta quarta-feira que os dois supostos padres, de nacionalidade moçambicana, terão torturado e mantido em cativeiro, entre sábado e segunda-feira, duas mulheres e dois homens, acusando-os de roubo de dois sacos de milho numa paróquia do distrito de Nacarôa.

Os religiosos são igualmente acusados de terem ateado fogo à residência de uma das quatro pessoas vítimas de alegados maus-tratos e cárcere privado, noticia ainda a imprensa.

A polícia de Nacarôa só tomou conhecimento dos factos, após os dois padres terem encaminhado as quatro pessoas para a esquadra local, situação que desencadeou a abertura de um processo contra os religiosos e a formalização da sua detenção pelo Ministério Público.

Contactado pela Lusa em Maputo, o porta-voz do comando da polícia de Nampula, João Dina, confirmou a ocorrência, afirmando que decorrem diligências para o apuramento cabal da conduta dos padres no caso bem, como as suas funções.

"Recebemos os dados desse acontecimento dos nossos colegas de Nacarôa e estamos a trabalhar no caso, para saber quem são as pessoas e o que fizeram", disse João Dina.


C. da Manha