Medida pretende "corrigir e eliminar uma injustiça" do anterior executivo
Governo francês anuncia regresso da reforma aos 60 anos




O Governo francês deverá aprovar, "dentro de três semanas", o decreto que reduz a idade da reforma em França dos 62 para os 60 anos para os trabalhadores com 41 anos de descontos, anunciou esta quarta-feira o primeiro-ministro.

Em declarações à rádio francesa RTL, Jean-Marc Ayrault anunciou ainda uma "grande conferência social, antes de 14 de Julho", com sindicatos e patrões, para discutir as reformas que o Governo pretende desenvolver nas áreas de emprego, formação, salários, condições de trabalho e reformas.

O decreto, a ser aprovado, vai instaurar para os trabalhadores que iniciaram actividade profissional aos 18 ou 19 anos o direito de se reformarem aos 60 anos, sem penalizações, se tiverem 41 anos de descontos.

O primeiro-ministro socialista pretende que a medida seja tomada "dentro de três semanas", entre as duas voltas das eleições legislativas, agendadas para 10 de 17 de Junho, e estimou que esta medida deverá afectar cerca de 100 mil pessoas.

Jean-Marc Ayrault afirmou que está em causa "corrigir e eliminar uma injustiça", e também respeitar um compromisso assumido por Hollande.

O aumento da idade da aposentação dos 60 para os 62 anos foi uma das mais polémicas reformas do ex-Presidente Nicolas Sarkozy. O regresso da aposentação aos 60 anos para franceses que começaram a trabalhar cedo foi uma promessa de campanha de François Hollande, eleito chefe de Estado a 06 de Maio.


C. da Manha