Detida por deixar filha sem comer durante meses

Estava subnutrida, não conseguia falar nem andar. Com 16 anos, pesava dez quilos. Foi neste estado que os serviços de emergência médica de Chicago (EUA) encontraram Darlene Amstrong, uma jovem negligenciada não só pela mãe, mas também pelos serviços sociais. O processo está sob investigação.
Darlene Amstrong, que sofre de uma paralisia cerebral, foi descoberta depois uma investigação de quatro meses por parte do Departamento de Menores de Chicago, avança o jornal "Daily Mail".
A mãe de Darlene, que está agora a recuperar no hospital, Rosetta Harris, de 50 anos, confessou que pôs a vida da sua filha em risco e foi condenada a 18 meses de prisão em liberdade condicional com obrigatoriedade de frequentar aulas de parentalidade.
Contudo, além da culpabilidade de Rosetta Harris, as autoridades investigam o que falhou nos serviços de proteção de menores para Darlene chegar ao ponto de correr risco de vida, como confirmou fonte hospitalar citada pelo jornal "Chicago Tribune".Segundo a imprensa local, o agente encarregado do caso de Darlene chegou a deslocar-se à casa da jovem várias vezes sem, contudo, em nenhuma dessas ocasiões ter visto a própria Darlene.
A mãe garantia-lhe que a filha estava bem e isso terá sido suficiente para o agente social em causa.
Fonte do departamento de proteção de menores já assumiu o caso como "um fracasso da supervisão e gestão dos serviços", assegurando que a investigação está a seguir o seu curso.
Além de colocar Darlene sob a custódia do Estado, os serviços de proteção de menores de Chicago, retiraram também à mãe a custódia de outra filha de 15 anos.

Fonte: Jornal de Notícias