Um estudante de medicina viu a sua pretensão de dar sangue recusada pela unidade móvel de recolha de sangue do Instituto Português do Sangue e Transplantação do Hospital Santa Maria, em Lisboa, por o jovem de 23 anos ser homossexual.

Segundo o DN, o jovem que costuma dar sangue duas vezes por ano, foi informado desta vez que a homossexualidade é «um critério que exclui a possibilidade de dádiva de sangue».

Ao jovem foi explicado que «nunca» poderia dar sangue devido à sua orientação sexual, após este questionar quanto tempo teria de se abster de ter relações sexuais.

Recorde-se que o Parlamento aprovou em 2010 uma resolução apresentada pelo Bloco de Esquerda que considera que essa prática é discriminatória.





lusa