"Cobras e lagartos" saem das torneiras de água

Câmara diz que está a ser feito um estudo para nova exploração de água
As torneiras de abastecimento público de água num lugar que pertence aos concelhos de Ponte da Barca e Vila Verde reservam surpresas aos moradores, que se deparam, com alguma frequência, com cobras, lagartos e outras "coisas estranhas e porcarias", denunciou a Junta de Freguesia de Vade S. Pedro.

A situação, segundo explicou ao DN o presidente daquela autarquia, Adelino Esteves, deve-se aos "inúmeros buracos" na tubagem que leva a água às 20 habitações do lugar de Boivivo, um dos mais isolados da aldeia.

A captação, numa encosta do monte já no vizinho concelho de Vila Verde, "tem mais de 40 anos" e foi promovida, na altura, pela própria Junta, sendo agora explorada pela autarquia de Ponte de Barca.

"A Câmara cobra o dinheiro e não faz qualquer investimento na rede. Andamos nesta palhaçada há dois anos, sabendo o executivo da gravidade do problema", afirma Adelino Esteves, eleito pelo PSD e naquela Junta há mais de 30 anos.

É que segundo a autarquia, as "condições sanitárias são de tal forma graves, que colocam em causa a saúde pública" dos habitantes daquele lugar. "O próprio vereador da Câmara já viu cobras e lagartos a serem retirados das condutas que servem o abastecimento aos moradores de Boivivo. Então porque é que não fazem nada ou não nos apoiam para a Junta fazer?", questiona, garantindo ter vários relatos da população de "coisas estranhas" a aparecerem nas torneiras "nos últimos dias".

"A população tem receio de consumir esta água, tem de a ferver ou então comprar garrafões. Com uma pequena obra nas tubagens e na nascente resolvia-se tudo", sustenta Adelino Esteves.

Entretanto, o presidente da Câmara de Ponte da Barca, Vassalo Abreu já garantiu que está a ser feito o estudo, conjuntamente com a Câmara de Vila Verde, para a construção de uma exploração de água que servirá aquele lugar, projecto estimado em 120 mil euros.

No entanto, o autarca, eleito pelo PS em 2005, lembrou que no lugar de Boivivo apenas existe "meia dúzia de casas" em território de Ponte da Barca, estando a "esmagadora maioria" no concelho de Vila Verde.

"O que a Junta de Freguesia de Vade S. Pedro quer é dinheiro, e não obras, para fazer as coisas como bem lhe apetece e para depois dizer que foi ela que fez tudo. Mas nós vamos fazer o nosso trabalho como deve ser, indiferentes a vozes que não chegam aos céus", disse ainda Vassalo Abreu.


DN