O que é a LBP?



A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) foi fundada em 18 de Agosto de 1930, na sequência dos trabalhos do I Congresso Nacional dos Bombeiros Portugueses, realizado no Estoril.

A legalização da LBP verificou-se em 30 de Maio de 1932, por portaria do Ministério do Interior, passando a mesma a ser considerada a Confederação das Associações e Corpos de Bombeiros de qualquer natureza – Voluntários, Municipais, Sapadores e Privativos.

Naquela ocasião, os entusiastas pela criação da LBP vêem atingido o principal desejo para a consecução do grande objectivo da Confederação – a coesão e relançamento das organizações dos bombeiros em Portugal.

Neste contexto, de destacar a intervenção daquele que veio a ser o primeiro Presidente eleito do Conselho Administrativo e Técnico da LBP - o Tenente do Exército, António França Borges.

À sua iniciativa de sensibilização junto dos órgãos de decisão do aparelho de Estado, ficou-se a dever, por parte do regime vigente, o reconhecimento de que a LBP não se tratava de uma organização com fins políticos, mas antes uma estrutura representativa e, como tal, defensora dos legítimos interesses dos bombeiros portugueses.

Em virtude dos extraordinários serviços prestados ao País, no domínio da defesa das vidas e bens dos portugueses, a LBP foi agraciada, em períodos distintos, com a Comenda da Ordem de Benemerência e o título de Membro Honorário da Ordem Militar de Cristo.

Mais recentemente, por despacho do então Primeiro-Ministro, datado de 1 de Março de 1990, foi considerada Instituição de Utilidade Pública Administrativa.

Igualmente reconhecida ao nível internacional, encontra-se inscrita no Comité Técnique International de la Prévention et de l’ Extinction du Feu (CTIF) e na National Fire Protection Association (NFPA).

Durante toda a sua existência, a LBP, interpretanto sempre a vontade do colectivo, tem procurado, através dos meios ao seu alcance, obter benefícios de diversa ordem – materiais, financeiros e sociais - tendentes a melhorar e a dignificar a acção dos bombeiros e das suas estruturas, ao serviço das comunidades.

Um esforço nem sempre plenamente correspondido por quem de direito, ao qual a persistência de várias gerações de dirigentes tem conseguido dar continuidade, ao investir o melhor de si próprios, numa postura de serviço e de elevada dimensão de humanismo social.

Apoio Social

Em 1987, numa medida legislativa onde vê novamente reconhecida a importância da sua acção – o Estatuto Social do Bombeiro, pelo qual se bateu – é-lhe confiada a gestão do Fundo de Protecção Social do Bombeiro (FPSB), instrumento através do qual a LBP promove e completa a protecção social dos bombeiros e dos seus familiares.

Valorização dos Bombeiros

Sempre disposta a cooperar na total valorização dos bombeiros portugueses, a LBP integra, desde 1996, no âmbito da constituição de uma associação de direito privado, o órgão de gestão da Escola Nacional de Bombeiros (ENB), sobressaindo a sua acção na definição e tomada de posições inerentes ao espaço pedagógico ocupado pela ENB.

Desde Janeiro de 2002 que a LBP assegura a gestão da ENB, através de uma direcção eleita, integrada por elementos indicados pela Confederação.