O que é o Jogo do Copo?

Muitas pessoas têm dúvidas quanto à possibilidade de haver vida após a morte, portanto numa tentativa de obter resultados que provem que existe algo mais do que unicamente aquilo que podem ver, recorrem ao Jogo do Copo. Este meio de comunicar com os espíritos, é o mais fácil de se identificar na sociedade. Surge normalmente nas escolas, onde os jovens através de conversas com os amigos, ganham um certo interesse no sobrenatural. Portanto, dentro de grupos de jovens, normalmente há sempre alguém que já realizou ou ouviu falar do Jogo do copo, quer tenha sido na Internet, televisão, através de amigos ou mesmo de familiares. Logo, torna-se difícil encontrar alguém que nunca tenha ouvido falar neste assunto. Este 'Jogo', consiste numa forma fácil e eficaz de comunicarmos com o mundo dos espíritos. O 'Fácil e Eficaz', não querem dizer que seja seguro! É importante que tenham algum conhecimento sobre o tema, por isso mais adiante vou voltar a tocar neste ponto.

O nome original do jogo é OUIJA, OUI que quer dizer 'sim' em Francês e JA que quer dizer 'sim' em Alemão. Este Jogo ficou conhecido pela sociedade actudal em 1892 nos Estados Unidos, onde foi divulgado como um briquedo em lojas de curiosidades. Porém, acredita-se que este tipo de oráculo descenda de culturas pagãs. Até hoje os norte-americanos encaram a Ouija como um brinquedo, sendo muito utilizado por adolescentes. O tabuleiro de Ouija não é muito difundido por esse nome aqui em Portugal, sendo entao conhecido como o Jogo do Copo.

Como Fazer o Jogo do Copo?

Para começar é necessário descobrir alguma superfície lisa onde o copo possa deslizar sem problemas. Quem tem uma tábua de Ouija, não tem trabalho, quem não tem tábua de Ouija, deixo aqui um conselho ao qual eu recorro várias vezes. Arranjam uma Cartolina (branca ou preta) que vai servir de base, e depois escrevem o abecedário, números de 0-9 numa folha branca A4. Cada Letra/número deve ficar dentro de um quadrado de aproximadamente 2-3 cm de lado. As palavras ‘Sim’, ‘Não’ e ‘Talvez’ são facultativas apesar de também darem jeito. Recortam os números e as Letras e colam-nos na cartolina, fazendo um círculo. As palavras Sim e Não dão mais jeito ficar dentro do círculo por serem utilizadas mais vezes. Assim, o copo move-se sem problemas. Resolvido o problema da superfície onde jogar, é necessário arranjar um copo que deslize bem na cartolina. Experimentem sempre antes de jogar a ver se existe algum problema no deslocamento do copo. Para iniciar o Jogo, encontrem um local de preferência silencioso, onde não sejam incomodados e caso não haja muita luz, umas velas são sempre bem vindas. Disponham-se à volta do Jogo e concentrem-se. Chamem pelo espírito em pensamento, e elejam uma pessoa para ser o Porta-voz para não haver muita confusão. Coloquem o copo no centro da cartolina, virado para baixo, e de seguida ponham o dedo indicador levemente sobre o copo. Não necessitam de fazer força no copo, porque este mexe sozinho. O tempo de início de sessão pode variar. Tanto pode demorar 1 minuto a começar como 1 hora ou mais. O importante é não desistir facilmente! O copo pode começar a mexer quando menos se está a espera. As pessoas que estão a realizar o Jogo, devem respeitar os espíritos e não começar com piadas nem tentar meter medo a mexer o copo propositadamente. Isso só vai fazer com que haja dúvidas quando se vê o copo a mover. Normalmente uma pessoa acusa um companheiro de estar a movimentar o copo com o dedo, e aí gera-se sempre discussão, o que geralmente faz com que o espírito se vá embora. Portanto, voltando um pouco atrás, é eleito pelo grupo de pessoas o Porta-voz que vai fazer as perguntas durante a sessão. As perguntas devem estar previamente sabidas, para não se perder tempo na altura do jogo com discussões sobre o tema a abordar com o espírito. A primeira pergunta deve ser ‘Está presente algum espírito que queira contactar connosco?’, e deverá ser repetida até que o espírito apareça. Durante a sessão não se deve tirar o dedo do copo, nem abandona-la a meio. Se alguém é católico e quiser rezar antes de fazer o jogo, tudo bem. É uma forma de ajudar a preparar-se para o jogo. Não há palavras mágicas para invocar espíritos. Eles estão presentes em praticamente todo o lado, portanto se quiserem contactar consigo eles irão livremente. Quanto ao número de pessoas a jogar, não existe mínimo nem máximo. Uma pessoa sozinha é capaz de jogar, sem ter algum problema, ao contrário de grupos com várias pessoas onde dificilmente se consegue realizar a sessão por haver muita confusão. O ideal na minha opinião é ter 4 pessoas que queiram participar no jogo e que o respeitem. É meio caminho andado. Que tipo de perguntas se deve fazer? Bom, para começar, inicie o jogo com perguntas simples do género: ‘Está desencarnado ou não?’; ‘Qual o seu nome?’, etc., desenvolvendo o jogo com perguntas pertinentes, como dúvidas que tenham em relação ao outro lado. Os espíritos não conseguem prever o futuro, portanto não interessa perguntar com que idade é que vão morrer, se vai namorar com o/a fulano/a tal, etc.


Exemplo do Jogo do Copo em cartolina.

Porque Não se Deve Fazer o Jogo do Copo?

O Jogo do copo, por ser um meio de comunicar com entidades espirituais, parece um tanto algo assustador. Ora bem, normalmente os jovens que saem traumatizados com este jogo, não tiveram a explicação necessária que deveriam de ter sobre este tema.

Só faz o jogo quem quer, nunca se deve fazer caso não esteja preparado(a), porque nestas sessões do jogo do copo, tanto se pode contactar com um espírito inferior “mau” ou com um espírito superior “Bom”. Tudo depende do desenvolvimento interior de cada uma das pessoas e dos tipos de pensamentos que tem. Quanto mais desenvolvida uma pessoa for a nível espiritual, maior tendência tem para ser acompanhadas de entidades espirituais que se identifiquem com ela. O mesmo ocorre com as pessoas menos desenvolvidas espiritualmente. Aquelas pessoas que normalmente são más, que não respeitam ninguém ou que vivem consumindo drogas, entregando-se a prazeres terrenos, normalmente encontram-se acompanhadas com espíritos que se identificam com elas, porque conseguem tirar proveito dessas pessoas para satisfazerem as suas necessidades.

Portanto, numa sessão do Jogo do Copo, tente manter um nível elevado de pensamentos de modo a ter mais hipóteses de contactar com espíritos superiores. Caso apareça um espírito inferior não fuja, não mande vir com ele, não comece com piadas. Apenas tenha em mente o desejo de ajudá-lo pedindo ajuda a espíritos superiores para que o possam encaminhar para o bom caminho. Normalmente, quando se contacta com um espírito inferior o medo aparece em várias pessoas o que faz com que abandonem o jogo e fiquem traumatizadas com espíritos. Isto é uma total parvoíce da nossa parte, porque estamos a fazer o que os espíritos inferiores queriam. Normalmente ‘eles’ vêm com o objectivo de assustar-nos para se divertirem à nossa custa. Portanto, nestas situações há que manter a cabeça fria e tomar as decisões acertadas.

Uma das consequências deste jogo pode ter a ver com o espírito inferior sentir-se identificado com uma pessoa, e que depois comece a tentar influenciar a vida desta pessoa. Como é que isto é possível? O espírito tem a capacidade de ‘falar’ consigo sem que você note. Por exemplo, no caso de você não ser fumador, o espírito poderá incentivar-lhe a experimentar fumar numa situação propícia a tal. Pode ter dentro da sua cabeça o género de duas vozes, cada uma defendendo a sua parte. Só depende de si a escolha que irá tomar. Se você for fraco e fizer todos os ‘favores’ ao espírito que está consigo, isso fará com que ele fique consigo mais tempo, podendo assim satisfazer as suas necessidades utilizando-o como elo de ligação entre estas duas dimensões.