Seu bebezinho está constantemente recebendo e respondendo aos estímulos do ambiente em que vive. Por volta do sétimo mês no útero, os cinco sentidos estão desenvolvidos. Como recém-nascido, ele já pode ver, ouvir, sentir, saborear e cheirar. Alguns dos cinco sentidos do recém-nascido precisam de um tempo para se desenvolver completamente. Entretanto, a partir do nascimento, ele está pronto para conhecer seu novo mundo e tudo que há ao seu redor.

Não conseguir estimular os cinco sentidos do bebê pode ter efeitos desastrosos no crescimento e no desenvolvimento físico e psicológico dele. Felizmente, os pais sabem como dar o tipo certo de estímulo sensorial. Vamos examinar as diferentes maneiras de você ajudar seu filho a conhecer o mundo.

Os cinco sentidos do recém-nascido


Toque - um dos meios mais importantes que você tem para se comunicar com seu bebê é o toque. Os bebês gostam de toques suaves e movimentos rítmicos. Ainda dentro do útero, ele se acostumou a ser embalado pelos movimentos da mãe. Depois do nascimento, esse mesmo balanço o conforta. Um recém-nascido inquieto geralmente se acalma quando você o coloca junto a seu corpo e o embala lentamente.

Mesmo as atividades mais rotineiras (alimentá-lo, dar banho, trocar a roupa e a fralda, segurá-lo, andar com ele nos braços) estimulam o sentido de toque e movimento de seu bebê.

Olfato e paladar - ao nascerem, os bebês demonstram que distinguem os odores afastando-se de perfumes desagradáveis. Seu filho aprende rapidamente a reconhecer os perfumes familiares, especialmente o seu.

Embora seus botões gustativos não estejam totalmente maduros quando o bebê nasce, ele pode diferenciar o doce do azedo e preferir o primeiro. É por isso que o leite materno é bem doce.

Audição
- durante o último trimestre de gestação, um bebê ouve a voz abafada da mãe tão bem quanto os sons dos batimentos cardíacos, respiração e digestão dela. Quando a cabeça do bebê é pressionada contra o peito da mãe, ele, sem dúvida, encontra aqueles sons familiares confortantes e, muitas vezes, adormece nessa posição. Você pode observar que ele escuta seletivamente as vozes mais altas. Até mesmo os homens, inconscientemente, levantam o tom de voz quando estão falando com o bebê. À medida que seu bebê obtém mais controle dos movimentos da cabeça, fica mais evidente que ele não apenas consegue ouvir, mas pode determinar exatamente o local de onde o som está vindo.

Sons altos e agudos geralmente incomodam os bebês. Sons baixos e rítmicos os acalmam. Caixinhas de música, brinquedos que emitem sons agradáveis e música baixa estimulam a audição de seu filho. Ele gosta de ouvir a mãe cantando e falando com ele. O monólogo se transforma em um diálogo delicioso quando ele começar a responder com seus próprios resmungos.

Visão
- como se acostumaram ao ambiente intra-uterino escuro, os bebês apresentam um reflexo protetor de fechar com força os olhos contra a luz forte. Essa resposta é chamada de reflexo de piscar.

Quando você e seu bebê estiverem em um ambiente mais escuro do que a sala de parto, verá que ele analisará tudo com os olhos arregalados. Embora seu sistema visual seja imaturo, um recém-nascido enxerga bem a uma distância de 12 cm a 30 cm.

Como uma câmera antiga, o recém-nascido tem foco fixo: não é capaz de ajustar os olhos para ver com clareza imagens mais próximas que 12 cm ou mais distantes que 30 cm. Ele aprende rapidamente a ajustar os olhos para focar objetos a distância variáveis. Essa capacidade de se ajustar se desenvolve completamente por volta dos quatro meses de idade. Nessa idade, os bebês não apenas enxergam bem objetos distantes, como podem focar imagens bem próximas melhor do que um adulto.

Os músculos que movimentam os olhos para ajudá-los a focar um objeto, para produzirem uma única imagem, estão imaturos quando nascem. Talvez você perceba que um olho às vezes se desvia. Desde que ele não esteja fixo sempre na mesma direção (estrabismo), isso é normal. A coordenação visual melhora em algumas semanas. Por volta de seis semanas, o bebê consegue mover os dois olhos conjuntamente para seguir um objeto em movimento. Com oito semanas, ele converge os olhos perfeitamente ao ver um objeto parado.

A habilidade de os dois olhos focarem a mesma imagem é essencial para o desenvolvimento da percepção de profundidade, a capacidade de distinguir o perto do longe. Crianças com menos de dois meses provavelmente não conseguem perceber profundidade. O bebê consegue diferenciar distâncias relativas por volta dos quatro a seis meses. A capacidade de estimar distâncias se desenvolve totalmente depois que consegue agarrar alguma coisa e engatinhar. Até que ele conheça bem o ambiente ambiente em que vive, provavelmente não terá medo de altura. Se deixá-lo a uma certa altura, por exemplo, ele correrá alegremente para a ponta.

A visão colorida provavelmente não está bem desenvolvida no nascimento. O bebê aprende cedo a discriminação de cores, começando com amarelo e terminando com azul. Aos quatro meses, os bebês conseguem ver todas as cores e geralmente preferem a vermelha.

Estímulo visual para recém-nascidos

Ao nascerem, os bebês preferem cores fortes e grandes contrastes. No início, dão preferência a figuras geométricas com linhas e ângulos. Logo, passam a preferir figuras circulares, como bolas (não se esqueça disso quando comprar um móbile para o berço de seu filho).

Nas três primeiras semanas do bebê, a imagem mais emocionante em seu campo visual é o rosto humano. Como os cabelos e os olhos dão mais contraste, primeiro ele concentra o olhar no nariz e na testa de quem está perto dele. Entre quatro e oito semanas, ele pode exibir o primeiro sorriso enquanto examina o rosto da mãe. Aos três meses, é capaz de distinguir o rosto da mãe do rosto de um estranho. Aos quatro meses, a visão já está perfeitamente desenvolvida e ele demonstra gostar de olhar objetos coloridos, novos e que se movimentam.

Como você sabe quando seu filho encontrou alguma coisa visualmente interessante? Um bebê calmo e alerta responde a um objeto agradável ficando animado e mexendo os braços e as pernas em movimentos rítmicos. Um bebê ativo pára de se mexer e cuidadosamente examina o objeto com os olhos. Ele indica quando um objeto não o interessa ou quando já teve estímulo suficiente virando-se e afastando-se.

Evite bombardear seu filho com estímulos visuais durante os primeiros dois meses de vida. Durante esse período, enquanto ele está se adaptando, mantenha todos os estímulos afastados. Nessas primeiras semanas, ele está se familiarizando com as mãos e não deve ser exposto a muitos estímulos visuais que tirem sua atenção desse processo de familiarização. Depois, quando estiver começado a dominar as habilidades visuais básicas e ganhado controle dos movimentos da cabeça e das mãos, ele estará pronto para explorar o ambiente visual.

Para um recém-nascido aprender, ele precisa experimentar o ambiente em que vive sentindo gostos, tocando, cheirando, ouvindo e vendo. Os sentidos do bebê se desenvolvem rapidamente, assim como o corpo que cresce a uma velocidade incrível. Na próxima página, você saberá com que rapidez pode esperar que seu bebê cresça e quando os dentinhos dele começarão a nascer.

Estímulo do desenvolvimento visual

Aqui vão alguns padrões e objetos que podem ajudar a melhorar o desenvolvimento visual de seu recém-nascido:

*
figuras geométricas em branco e preto;
*
o rosto dos pais;
*
brinquedos com rosto;
*
móbiles (não esqueça de deixá-los fora do alcance do bebê e retirá-los quando ele conseguir sentar, evitando, assim, que ele se enrosque);
*
espelhos;
*
passeios;
*
andar de um lado a outro ou deixá-lo em uma cadeirinha de bebê (sempre prenda o cinto de segurança e jamais o deixe sozinho).