Nos dias muito quentes convém oferecer-lhes de beber com frequência






Enquanto a alimentação de um bebé for basicamente líquida, não é frequente que, mesmo nos dias mais quentes, possam ficar desidratados.

Todavia, algumas situações – como as diarreias ou os vómitos – podem provocar situações de desidratação, porque a quantidade de líquido que eliminam pode ser superior à quantidade de líquidos que ingerem.

Nos bebés que já têm uma dieta diversificada e em que a quantidade de líquidos é menor, os pais devem estar atentos para que a criança não se desidrate, em dias de muito calor. Desta forma, devem providenciar para que ingira líquidos com uma maior frequência.

Prevenir a desidratação

A desidratação consiste na perda de água e sais minerais do organismo e, em geral, esta situação ocorre quando o bebé tem episódios de vómitos recorrentes, diarreia ou ainda quando está exposto a temperaturas elevadas. Para prevenir situações de desidratação, o bebé deve estar em locais arejados com temperatura amena.

Se o tempo está quente, o bebé deve estar vestido com roupa leve, folgada e de fibras naturais para que não tenha excesso de transpiração e para que não ocorra uma perda excessiva de líquidos.

Quando o bebé viaja de automóvel, os pais devem verificar se o bebé não vai exposto ao Sol ou se a temperatura está muito elevada no interior do automóvel. Quando uma criança se encontra desidratada, existem sintomas que devem de imediato ser reconhecidos.


Entre eles destacamos os mais comuns:

- Sonolência excessiva

- Irritabilidade

- Prostração

- Diminuição da quantidade de urina e com um odor forte

- Lábios e/ou boca seca

- Depressão na fontanela

- Respiração agitada

- Redução da elasticidade da pele – habitualmente, quando beliscamos a pele, ao soltá-la volta ao estado inicial.

Quando a pessoa se encontra desidratada, pelo contrário, a pele não volta ao seu estado imediatamente mas fica elevada por uns segundos.

Nos dias muito quentes...

Se o dia está muito quente, tente manter a temperatura do quarto entre os 23 º e os 24º C. Se não tem ar condicionado, areje a casa durante a noite e pela manhã e mantenha, durante o dia, as persianas meio cerradas de modo a que não entrem os raios solares.

Durante o dia e se a temperatura se encontra muito elevada, molhe o corpinho e a cabeça do bebé a cada duas horas. Permita que o bebé beba água sempre que a pedir e deixe-o despido (só com a fralda).

Golpes de Calor

Os bebés, menores de um ano, não devem estar expostos ao Sol pois a exposição solar aumenta o risco de se desidratarem ou de sofrerem um golpe de calor.

Os protectores solares, os bonés ou panamás e as sombrinhas aplicadas nos carrinhos protegem dos raios UV, mas não resultam demasiado úteis para prevenir um golpe de calor.

Quando a temperatura é elevada, ainda que sem estarem expostos ao Sol, o perigo pode estar iminente. Quando os bebés ainda são muito pequeninos e dado que passam muito tempo a dormir, por vezes, é difícil de detectar quando estão prostrados por desidratação.

No entanto, se nota que o bebé dorme demasiado, lhe custa a despertar e a permanecer alerta, se se nega a comer ou come menos do que o habitual, preste atenção, porque estes são também alguns dos sintomas do golpe de calor.

Se suspeita que o seu bebé sofreu um golpe de calor, dispa-o, ofereça-lhe água e leve-o de imediato a um Serviço de Saúde para que o pessoal clínico possa tomar as medidas mais adequadas.





Fonte:sapo