Ressonar pode aumentar cinco vezes risco de cancro



Um estudo conduzido por investigadores norte-americanos concluiu que as pessoas que sofrem distúrbios graves ao nível da respiração durante o sono têm cinco vezes mais probabilidades de morrer com cancro

A oxigenação deficiente dos que ressonam muito ou sofrem outras perturbações do sono, a nível respiratório, pode ser a explicação para a conclusão a que chegaram os investigadores da Universidade de Wisconsin, EUA: estes pacientes têm uma probabilidade quase cinco vezes maior de morrer com um problema oncológico.
Vários testes realizados em laboratório já tinham mostrado aos cientistas que a interrupção intermitente da respiração provocava uma aceleração no crescimento dos tumores em ratos com cancro de pele, uma vez que a falta de oxigénio estimula a geração de vasos sanguíneos que alimentam os tumores.
Para chegar agora a esta conclusão, os investigadores analisaram os dados de mais de 1,5 mil pessoas que participaram num estudo sobre perturbações respiratórias durante o sono, como a apneia obstrutiva, ao longo de 22 anos.
Os resultados mostraram ainda que a probabilidade de morrer com um cancro aumentava drasticamente de acordo com a gravidade do distúrbio.




Fonte - Visão