Tem entre 18 e 29 anos?


Os exames e consultas que protegem a saúde das mulheres desde cedo


Check-up médico

Deve ser feito uma vez por ano, mediante o estado de saúde e a história familiar.

Envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, glicemia, ureia, entre outros.


Consulta dentária


O ideal seria que fizesse uma consulta dentária, de seis em seis meses, para efectuar um exame e uma higienização oral. Desta forma estará a proteger, desde uma idade jovem, o seu sorriso de cáries e a prevenir doenças como a periodontite.

Exame oftalmológico

Recomenda-se a visita ao médico oftalmologista uma vez por ano para a realização de um exame oftalmológico, mesmo que não tenha problemas de visão.

Caso já lhe tenha sido detectado uma doença oftalmológica o controlo terá de ser mais regular, de acordo com o problema em causa.

Auto-exame da pele


Analise os seus sinais cutâneos e esteja atenta a eventuais modificações ao nível da cor e forma. Se verificar que existem alterações na simetria, rebordo, cor e diâmetro procure um dermatologista.

Este é um passo essencial para defender a sua pele do cancro cutâneo. Especialmente se tiver a pele clara, recomenda-se ainda que marque uma consulta de dermatologia uma vez por ano.

Rastreio do VIH

A pesquisa no sangue do VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) é especialmente importante sempre que houver dúvidas sobre a possibilidade de estar infectado pelo VIH; se pensa engravidar; se está grávida; se teve relações sexuais sem preservativo, se houve partilha de seringas, agulhas ou outro material na injecção de drogas.

O mesmo se aplica caso tenha feito uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados (situação actualmente mais frequente em locais que não estejam legalizados) ou se teve contacto directo com o sangue de outra pessoa.

Rastreio da Hepatite B

Trata-se de uma análise ao sangue que permite detectar anticorpos do vírus da Hepatite B. Este vírus ataca as células do fígado e pode provocar cancro, cirrose ou falência hepática. A contaminação é feita através do sangue, da saliva, do sémen, das secreções vaginais e do leite materno.

Como tal, deve efectuar este teste se consumiu drogas injectáveis, se tem, ou teve, múltiplos parceiros sexuais ou infecções sexualmente transmissíveis.

O teste está também recomendado caso esteja contaminada com o VIH/SIDA, se fez tatuagens ou um piercing com instrumentos não esterilizados, se é filha de pais portadores de Hepatite B, se esteve ou está presa.

Actualmente as transfusões sanguíneas não são um factor de risco, porque todo o sangue transfundido é objecto de investigação e desinfecção.

Rastreio da Hepatite C


O teste mais utilizado é a pesquisa no sangue de anticorpos do vírus da Hepatite C. Tal como o vírus anterior, este ataca as células do fígado e pode provocar cirrose hepática, sendo mais raro provocar cancro. A contaminação é feita essencialmente por via sanguínea.

Como tal, aconselha-se a realização do rastreio quando se consome ou consumiu drogas injectáveis; se fez uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados, se partilhou objectos cortantes que possam ter estado em contacto com sangue (lâminas, tesouras, escovas...).

Auto-exame da mama


Faça o auto-exame da mama todos os meses, cinco a oito dias após a menstruação, de preferência no banho. Contacte o seu médico de imediato se notar alguma alteração nos seus seios.

Consulta de Ginecologia


A partir dos 25 anos todas as mulheres devem, por rotina, fazer uma consulta anual de ginecologia, no qual se procede ao exame ginecológico, isto é, à observação genital e mamária que possa detectar tumores e lesões na vagina, colo do útero ou mama.

Se a mulher iniciou a sua vida sexual mais cedo, deve ir ao ginecologista ao fim de três anos, sendo recomendável a realização periódica de uma citologia, exame também conhecido como Papanicolau, que ajuda a prevenir e diagnosticar o cancro do colo do útero. A citologia deve ser repetida a cada três anos, salvo indicações especiais do médico.

Se a mulher notar problemas sexuais, deve referi-los ao seu ginecologista.Os problemas sexuais mais frequentes nesta idade são as dores nas relações sexuais e as dificuldades orgásticas.

Consulta pré-natal

Se está a pensar engravidar, deve marcar esta consulta de modo a realizar um exame ginecológico, o teste de Papanicolau, análises de rotina, juntamente com pesquisa de VIH, Hepatite B, rubéola, toxoplasmose e citomegalovírus.





Tem entre 30 e 39 anos?


Consulte a lista de exames recomendados às mulheres desta idade. E siga-a à risca!


Check-up médico


Deve ser feito uma vez por ano, mediante o estado de saúde e a história familiar.

Envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, glicemia, ureia, entre outros.

Consulta dentária

Recomenda-se a realização de uma consulta dentária, de seis em seis meses, para efectuar um exame e uma higienização oral. Desta forma estará a proteger o seu sorriso de cáries e a prevenir doenças como a periodontite.

Exame oftalmológico

Visite o médico oftalmologista uma vez por ano, mesmo que não tenha problemas de visão. Caso já lhe tenha sido detectada uma doença oftalmológica, o controlo terá de ser mais regular, de acordo com o problema em causa.

Auto-exame da pele

Analise os seus sinais cutâneos e esteja atenta a eventuais modificações ao nível da cor e forma. Se verificar que existem alterações na simetria, rebordo, cor e diâmetro procure um dermatologista.

Este é um passo essencial para defender a sua pele do cancro cutâneo. Especialmente se tiver a pele clara, recomenda-se ainda que marque uma consulta de dermatologia uma vez por ano.

Rastreio do VIH

A pesquisa no sangue do VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) é especialmente importante sempre que houver dúvidas sobre a possibilidade de se estar infectado pelo VIH; se pensa engravidar; se está grávida; se teve relações sexuais sem preservativo, se houve partilha de seringas, agulhas ou outro material na injecção de drogas.

O mesmo se aplica caso tenha feito uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados (situação actualmente mais frequente em locais que não estejam legalizados) ou se teve contacto directo com o sangue de outra pessoa.


Rastreio da Hepatite B


Trata-se de uma análise ao sangue que permite detectar anticorpos do vírus da Hepatite B. Este vírus ataca as células do fígado e pode provocar cancro, cirrose ou falência hepática. A contaminação é feita através do sangue, da saliva, do sémen, das secreções vaginais e do leite materno.

Deve efectuar este teste se consumiu drogas injectáveis e se tem, ou teve, múltiplos parceiros sexuais ou infecções sexualmente transmissíveis.

Recomenda-se ainda a sua realização caso esteja contaminada com o VIH/SIDA, se fez tatuagens ou piercings com instrumentos não esterilizados, se é filha de pais portadores de Hepatite B e se esteve ou está presa.

Actualmente as transfusões sanguíneas não são um factor de risco, porque todo o sangue transfundido é objecto de investigação e desinfecção.

Rastreio da Hepatite C


O teste mais utilizado é a pesquisa no sangue de anti-corpos do vírus da Hepatite C. Tal como o vírus anterior, este ataca as células do fígado e pode provocar cirrose hepática, sendo mais raro provocar cancro. A contaminação é feita essencialmente por via sanguínea.

Como tal, aconselha-se a realização do rastreio quando se consome ou consumiu drogas injectáveis; se fez uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados, se partilhou objectos cortantes que possam ter estado em contacto com sangue (lâminas, tesouras, escovas...).

Também deve ser feito se as análises de função hepática (transaminases ou aminotransferases) estiverem elevadas.

Auto-exame da mama

Faça o auto-exame da mama todos meses, cinco a oito dias após a menstruação, de preferência no banho. Contacte o seu médico de imediato se notar alguma alteração nos seus seios.

Consulta de ginecologia

Todas as mulheres devem, por rotina, fazer uma consulta anual de ginecologia, no qual se procede ao exame ginecológico, isto é, à observação genital e mamária que possa detectar tumores e lesões na vagina, colo do útero ou mama.

Se a mulher tem, ou alguma vez teve, relações sexuais, mesmo que protegidas, é recomendável a realização periódica de uma citologia, exame também conhecido como Papanicolau, que ajuda a prevenir e diagnosticar o cancro do colo do útero.

A citologia deve ser repetida a cada três anos, salvo indicações especiais do médico. Se a mulher notar problemas sexuais, deve referi-los ao seu ginecologista.

Os problemas sexuais mais frequentes nesta idade são as dores nas relações sexuais, as dificuldades orgásticas e a diminuição do desejo sexual.

Mamografia

Se não houver antecedentes familiares de cancro da mama (mãe, avó, tias), a mulher deve fazer a primeira mamografia (juntamente com ecografia mamaria) entre os 35 e os 40 anos.

É importante recorrer a serviços que tenham mamógrafos com tecnologia de aquisição digital, com muito melhor fiabilidade diagnostica.

Se esses exames forem normais, só deverá realizar exames depois dos 40 anos, anualmente ou de dois em dois anos, até aos 50 anos. A partir daí a mamografia e ecografia deverão ser sempre feitas anualmente.

Se existirem antecedentes familiares de cancro da mama, os primeiros exames devem ser feitos entre os 30 e os 35 anos, repetidos anualmente.

Nesses casos é altamente recomendável a inscrição numa consulta de risco familiar, existente em vários hospitais, nomeadamente os oncológicos.

Consulta pré-natal

Se está a pensar engravidar, deve marcar esta consulta de modo a realizar um exame ginecológico, o teste de Papanicolau, análises de rotina, juntamente com pesquisa de VIH, Hepatite B, rubéola, toxoplasmose e citomegalovírus.









Tem entre 40 e 49 anos?


As consultas e exames que as mulheres da sua idade não devem dispensar


Check-up médico

Deve ser feito uma vez por ano, mediante o estado de saúde e a história familiar.

Envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, trigliceridos, glicemia, ureia, ácido úrico, entre outros.

Consulta dentária

Recomenda-se a realização de uma consulta dentária, de seis em seis meses, para efectuar um exame e uma higienização oral. Desta forma estará a proteger o seu sorriso de cáries e a prevenir doenças como a periodontite.

Exame oftalmológico

Visite o médico oftalmologista uma vez por ano, mesmo que não tenha problemas de visão. Caso já lhe tenha sido detectada uma doença oftalmológica, o controlo terá de ser mais regular, de acordo com o problema em causa.

Exame auditivo

Marque uma consulta de otorrinolaringologia de três em três anos para avaliação do estado do seu aparelho auditivo.

Auto-exame da pele

Analise os seus sinais cutâneos e esteja atenta a eventuais modificações ao nível da cor e forma. Se verificar que existem alterações na simetria, rebordo, cor e diâmetro procure um dermatologista.

Este é um passo essencial para defender a sua pele do cancro cutâneo. Especialmente se tiver a pele clara, recomenda-se ainda que marque uma consulta de dermatologia uma vez por ano.

Rastreio do VIH

A pesquisa no sangue do VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) é especialmente importante sempre que houver dúvidas sobre a possibilidade de estar infectado pelo VIH; se pensa engravidar; se está grávida; se teve relações sexuais sem preservativo, se houve partilha de seringas, agulhas ou outro material na injecção de drogas.

O mesmo se aplica caso tenha feito uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados (situação actualmente mais frequente em locais que não estejam legalizados) ou se teve contacto directo com o sangue de outra pessoa.



Rastreio da Hepatite B

Trata-se de uma análise ao sangue que permite detectar anticorpos do vírus da Hepatite B. Este vírus ataca as células do fígado e pode provocar cancro, cirrose ou falência hepática. A contaminação é feita através do sangue, da saliva, do sémen, das secreções vaginais e do leite materno.

Deve efectuar este teste se consumiu drogas injectáveis, se tem, ou teve, vários parceiros sexuais ou infecções sexualmente transmissíveis.

Este teste também está recomendado caso esteja contaminada com o VIH/SIDA, se fez tatuagens ou um piercings com instrumentos não esterilizados e se esteve ou está presa.

Actualmente as transfusões sanguíneas não são um factor de risco, porque todo o sangue transfundido é objecto de investigação e desinfecção.

Rastreio da Hepatite C


O teste mais utilizado é a pesquisa no sangue de anticorpos do vírus da Hepatite C. Tal como o vírus anterior, este ataca as células do fígado e pode provocar cirrose hepática, sendo mais raro provocar cancro. A contaminação é feita essencialmente por via sanguínea.

Aconselha-se a realização do rastreio quando se consome ou consumiu drogas injectáveis; se fez uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados, se partilhou objectos cortantes que possam ter estado em contacto com sangue (lâminas, tesouras, escovas...). Também deve ser feito se as análises de função hepática (transaminases ou aminotransferases) estiverem elevadas.


Colonoscopia


A colonoscopia, um exame ao interior do intestino grosso é muito importante para o diagnóstico precoce do cancro do cólon.

Habitualmente o exame só é realizado em pessoas com mais de 50 anos, mas a existência de antecedentes familiares (pais, avós ou tios) de pólipos ou tumores intestinais recomenda que este exame seja feito cerca de dez anos antes da idade em que a doença foi detectada nesse familiar.

Também deve ser feito em casos de anemia crónica sem explicação aparente, perdas de sangue pelo ânus, diarreias persistentes ou alternância frequente de diarreia com prisão de ventre.

Se o resultado do exame for normal, habitualmente só é repetido de cinco em cinco anos.

O exame é também importante para o seguimento ou controlo de pólipos e de doenças inflamatórias crónicas, como a colite ulcerosa e a Doença de Cröhn.


Auto-exame da mama

Faça o auto-exame da mama todos os meses, cinco a oito dias após a menstruação, de preferência no banho. Se já deixou de ser menstruada ou a menstruação começa a ser irregular, faça o auto-exame mensalmente, por exemplo nos primeiros dias do mês. Contacte o seu médico de imediato se notar alguma alteração nos seus seios.

Consulta de ginecologia

Todas as mulheres devem, por rotina, fazer uma consulta anual de ginecologia, no qual se procede ao exame ginecológico, isto é, à observação genital e mamária que possa detectar tumores e lesões na vagina, colo do útero ou mama.

Se a mulher tem, ou alguma vez teve, relações sexuais é recomendável a realização periódica de uma citologia, exame também conhecido como Papanicolau, que ajuda a prevenir e diagnosticar o cancro do colo do útero.

A citologia deve ser repetida a cada três anos, salvo indicações especiais do médico. Se a mulher notar problemas sexuais, deve referi-los ao seu ginecologista.

Os problemas sexuais mais frequentes nesta idade são a diminuição do desejo sexual e a dor nas relações sexuais.

Mamografia

A partir dos 40 anos todas as mulheres devem fazer uma mamografia e uma ecografia mamária, anual ou bienalmente até por volta dos 50 anos.

É importante recorrer a serviços que tenham mamógrafos com tecnologia de aquisição digital, com muito melhor fiabilidade diagnostica.

Se existirem antecedentes familiares de cancro da mama (mãe, avó, tia) é altamente recomendável a inscrição numa consulta de risco familiar, existente em vários hospitais, nomeadamente os oncológicos.

Densitometria óssea

Este exame, que permite determinar a densidade mineral óssea e confirmar se é vítima de osteoporose, está indicado caso lhe tenha sido diagnosticado uma menopausa precoce, isto é, antes dos 40 anos.

Também a magreza excessiva, o tabagismo, a imobilização prolongada e o tratamento com corticites pode obrigar a ter de fazer a densitometria óssea mais prematuramente. Nesses casos, ele costuma ser repetido bienal ou trienalmente.










Tem entre 50 e 64 anos?


Os exames e consultas que protegem a saúde das mulheres desta idade


Check-up médico

Deve ser feito uma vez por ano, mediante o estado de saúde e a história familiar. Envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, trigliceridos, glicemia, ureia, ácido úrico, entre outros.

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é obrigatória depois de 50 anos, devendo ser feita de três em três anos.

Check-up dentário

Marque uma consulta dentária de seis em seis meses para efectuar um exame e uma limpeza oral. Desta forma estará a proteger o seu sorriso de cáries e a prevenir doenças como a periodontite.

Exame oftalmológico

Visite o médico oftalmologista uma vez por ano, mesmo que não tenha problemas de visão. Caso já lhe tenha sido detectada uma doença oftalmológica, o controlo terá de ser mais regular, de acordo com o problema em causa.

Exame auditivo

Marque uma consulta de otorrinolaringologia de dois em dois anos para avaliação do estado do seu aparelho auditivo.

Auto-exame da pele

Analise os seus sinais cutâneos e esteja atenta a eventuais modificações ao nível da cor e forma. Se verificar que existem alterações na simetria, rebordo, cor e diâmetro procure um dermatologista.

Este é um passo essencial para defender a sua pele do cancro cutâneo. Especialmente se tiver a pele clara, recomenda-se ainda que marque uma consulta de dermatologia uma vez por ano.

Rastreio do VIH


A pesquisa no sangue do VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) é especialmente importante sempre que houver dúvidas sobre a possibilidade de se estar infectado pelo VIH; se teve relações sexuais sem preservativo, se houve partilha de seringas, agulhas ou outro material na injecção de drogas.

O mesmo se aplica caso tenha feito uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados (situação actualmente mais frequente em locais que não estejam legalizados) ou se teve contacto directo com o sangue de outra pessoa.

Rastreio da Hepatite B

Trata-se de uma análise ao sangue que permite detectar anti-corpos do vírus da Hepatite B. Este vírus ataca as células do fígado e pode provocar cancro, cirrose ou falência hepática.

A contaminação é feita através do sangue, da saliva, do sémen, das secreções vaginais e do leite materno.

Como tal, deve efectuar este teste se consumiu drogas injectáveis; se tem, ou teve, múltiplos parceiros sexuais ou infecções sexualmente transmissíveis; se está contaminada com o VIH/SIDA; se fez tatuagens ou um piercings com instrumentos não esterilizados; se esteve ou está presa.

Actualmente as transfusões sanguíneas não são um factor de risco, porque todo o sangue transfundido é objecto de investigação e desinfecção.

Rastreio da Hepatite C

O teste mais utilizado é a pesquisa no sangue de anti-corpos do vírus da Hepatite C. Tal como o vírus anterior, este ataca as células do fígado e pode provocar cirrose hepática, sendo mais raro provocar cancro.

A contaminação é feita essencialmente por via sanguínea.

Como tal, aconselha-se a realização do rastreio quando se consome ou consumiu drogas injectáveis; se fez uma tatuagem ou um piercing com instrumentos não esterilizados, se partilhou objectos cortantes que possam ter estado em contacto com sangue (lâminas, tesouras, escovas...).

Também deve ser feito se as análises de função hepática (transaminases ou aminotransferases) estiverem elevadas.

Colonoscopia


A colonoscopia, um exame ao interior do intestino grosso, é muito importante para o diagnóstico precoce do cancro do cólon.

É obrigatório ser feito aos 50 anos de idade, devendo ser repetido de cinco em cinco anos se os resultados forem normais. Em caso de pólipos, doenças inflamatórias crónicas (como a colite ulcerosa e a Doença de Cröhn) ou antecedentes familiares (pais, avós ou tios) de doenças ou tumores intestinais, o médico gastrenterologista pode recomendar outra periodicidade.

Deve também ser feito em casos de anemia crónica sem explicação aparente, perdas de sangue pelo ânus, diarreias persistentes ou alternância frequente de diarreia com prisão de ventre.

Auto-exame da mama

Faça o auto-exame da mama mensalmente, por exemplo nos primeiros dias do mês, de preferência no banho. Contacte o seu médico de imediato se notar alguma alteração nos seus seios.


Consulta de ginecologia

Todas as mulheres devem, por rotina, fazer uma consulta anual de ginecologia, no qual se procede ao exame ginecológico, isto é, à observação genital e mamária que possa detectar tumores e lesões na vagina, colo do útero ou mama.

Se a mulher tem, ou alguma vez teve, relações sexuais é recomendável a realização periódica de uma citologia, exame também conhecido como Papanicolau, que ajuda a prevenir e diagnosticar o cancro do colo do útero.

A citologia deve ser repetida a cada três anos, salvo indicações especiais do médico.

Se a mulher notar problemas sexuais, deve referi-los ao seu ginecologista. Os problemas sexuais mais frequentes nesta idade são a secura vaginal e a dor nas relações sexuais.

Mamografia

Todas as mulheres com mais de 50 anos devem fazer anualmente uma mamografia e uma ecografia mamária. É importante recorrer a serviços que tenham mamógrafos com tecnologia de aquisição digital, com muito melhor fiabilidade diagnostica.

Se existirem antecedentes familiares de cancro da mama (mãe, avó, tia) é altamente recomendável a inscrição numa consulta de risco familiar, existente em vários hospitais, nomeadamente os oncológicos.

Densitometria óssea

A realização deste exame, que permite determinar a densidade mineral óssea e confirmar se é vítima de osteoporose, está indicada após a menopausa, particularmente se esta surgiu antes dos 40 anos.

Também a magreza excessiva, o tabagismo, uma fractura óssea, a imobilização prolongada e o tratamento com corticites são indicações para fazer a densitometria óssea. Quando há problemas, ele deve ser repetido bienal ou trienalmente.













Tem mais de 65 anos?


Os exames e consultas aconselhados ao sexo feminino nesta idade

Check-up médico


Deve ser feito uma vez por ano, mediante o estado de saúde e a história familiar. Envolve observação clínica, medição da tensão arterial, análises da urina, colesterol, trigliceridos, glicemia, ureia, ácido úrico, entre outros.

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é obrigatória depois de 50 anos, devendo ser feita de três em três anos.



Consulta dentária


Visite o dentista de seis em seis meses para efectuar um exame e uma limpeza oral.

Exame oftalmológico

Visite o médico oftalmologista uma vez por ano, mesmo que não tenha problemas de visão, nomeadamente para fazer o rastreio do glaucoma (doença que se traduz em tensão ocular elevada que, se não for tratada pode resultar em cegueira).

Caso já lhe tenha sido detectada uma doença oftalmológica, o controlo poderá ter de ser mais regular, de acordo com o problema em causa.


Exame auditivo


Marque uma consulta de otorrinolaringologia anual para avaliação do estado do seu aparelho auditivo.

Auto-exame da pele

Analise os seus sinais cutâneos e esteja atenta a modificações ao nível da cor e forma. Se verificar que existem alterações na simetria, rebordo, cor e diâmetro procure um dermatologista. Estará a defender a sua pele do cancro cutâneo.

Especialmente se tiver a pele clara, recomenda-se ainda que marque uma consulta de dermatologia uma vez por ano.

Colonoscopia

A colonoscopia, exame ao interior do intestino grosso é muito importante para o diagnóstico precoce do cancro do cólon. É obrigatório ser feito a partir dos 50 anos de idade, devendo ser repetido de cinco em cinco anos se os resultados forem normais.

Em caso de pólipos, doenças inflamatórias crónicas (como a colite ulcerosa e a Doença de Crohn) ou antecedentes familiares (pais, avós ou tios) de doenças ou tumores intestinais, o médico gastrenterologista pode recomendar outra periodicidade.

Deve também ser feito em casos de anemia crónica sem explicação aparente, perdas de sangue pelo ânus, diarreias persistentes ou alternância frequente de diarreia com prisão de ventre.

Auto-exame da mama

Faça o auto-exame da mama uma vez por mês. Contacte o seu médico de imediato se notar alguma alteração nos seus seios.

Consulta de ginecologia

Todas as mulheres devem, por rotina, fazer uma consulta anual de ginecologia, no qual se procede ao exame ginecológico, isto é, à observação genital e mamária que possa detectar tumores e lesões na vagina, colo do útero ou mama.

A partir dos 65 anos, a citologia (exame também conhecido como Papanicolau e que ajuda a prevenir e diagnosticar o cancro do colo do útero) deixa de ser necessária, desde que nos últimos dez anos os resultados de três exames tenham sido negativos. Ainda assim, o seu médico poderá considerar necessário fazê-lo periodicamente.

Se a mulher notar problemas sexuais, pode referi-los ao seu ginecologista. Os problemas sexuais mais frequentes nesta idade são a secura vaginal e a dor nas relações sexuais.

Mamografia

Todas as mulheres devem fazer anualmente uma mamografia e uma ecografia mamária. É importante recorrer a serviços que tenham mamógrafos com tecnologia de aquisição digital, com muito melhor fiabilidade de diagnóstico.

Densitometria óssea

A realização deste exame que permite determinar a densidade mineral óssea e confirmar se é vítima de osteoporose, está indicado após a menopausa.

Também a magreza excessiva, o tabagismo, uma fractura óssea, a imobilização prolongada e o tratamento com corticites são indicações para fazer a densitometria óssea. Quando há problemas, ele deve ser repetido bienal ou trienalmente.




sapo/saudenofeminino