Página 13 de 34 PrimeiroPrimeiro ... 39101112131415161723 ... ÚltimoÚltimo
Resultados 181 a 195 de 498

Tópico: Menina britânica desaparece no Algarve

  1. #181
    Woman
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Vila Mea-Amarante
    Idade
    29
    Posts
    1.667

    Padrão Apartamentos do Ocean Club assaltados


    Antes do desaparecimento de Maddie, vários turistas apresentaram queixa às autoridades

    Existem vários casos de assaltos, sem arrombamento de portas, aos apartamentos do complexo turístico de onde Madeleine desapareceu. A vizinha do casal McCann, também vítima de uma dessas tentativas, terá prestado declarações às autoridades esta segunda-feira.


    Terão sido várias as queixas de turistas britânicos, vítimas de assalto enquanto passavam férias no Ocean Club da Praia da Luz. Alguns chegaram a denunciar o caso às autoridades portuguesas.

    Sem arrombar as portas, alguém entrou em apartamentos do empreendimento, levou dinheiro, telemóveis e outros bens de valor.

    A imprensa britânica relata vários casos semelhantes, que aconteceram antes do desaparecimento de Maddie.

    Uma das vítimas de assalto terá sido a vizinha dos McCann, Pamela Fenn. A britânica de 70 anos que morava por cima do casal no Ocean Club diz que houve uma tentativa de assalto no apartamento, semanas antes de os McCann terem chegado à Praia da Luz.

    A mesma vizinha terá prestado, esta segunda-feira, novo depoimento na PJ de Portimão, para relatar, desta vez com mais detalhe, aquilo de que se apercebeu na noite do desaparecimento de Maddie.

    Entretanto, os resultados das amostras biológicas que a PJ encontrou no apartamento ainda podem demorar mais alguns dias a chegar às mãos das autoridades.

    À SIC, o laboratório britânico responsável pelos testes diz que pode demorar dias ou semanas a ter os resultados, dada a complexidade destes.

  2. #182
    Woman
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Vila Mea-Amarante
    Idade
    29
    Posts
    1.667

    Padrão "Caso Maddie"



    Vizinha do casal McCann nega ter sido ouvida pela PJ

    A Polícia Judiciária (PJ) voltou a ouvir, já esta semana, a octogenária inglesa que mora por cima do apartamento de onde Madeleine desapareceu. Mas Pamela Fenn, incomodada com a atenção dos jornalistas, negou ter falado com a PJ e disse não ter qualquer informação sobre o caso.


    Aos 81 anos, o sossego da reformada britânica, parece ter sido seriamente abalado. Depois de um desabafo na cabeleireira, a notícia de que era testemunha no processo de Madeleine McCann rapidamente chegou aos ouvidos dos jornalistas.

    Pamela Fenn mora no andar por cima do 5 A: o apartamento de onde Maddie desapareceu.

    Segundo terá contado à PJ, na véspera de Madeleine ter desaparecido, à noite, ouviu a menina chorar e chamar pelo pai durante longos minutos, sem que ninguém aparecesse.

    O testemunho a juntar ao facto de passar a maior parte do tempo na varanda com vista para o restaurante Tapas terá feito a PJ regressar ao Ocean Club na manhã de segunda-feira.

    Durante cerca de quatro horas os investigadores mostraram-se particularmente interessados em perceber se a mulher britânica tinha visto alguém do grupo dos McCann sair do restaurante para ir ver as crianças, bem como no conteúdo de uma breve conversa que Pamela teve com a mãe de Maddie na noite em que a menina desapareceu.

    Incomodada por estar agora sob a mira dos jornalistas, a idosa nega ser testemunha no processo e garante que o que diz a imprensa é pura especulação.

    Quanto ao casal McCann, tem casa alugada na Praia da Luz até à segunda semana de Setembro. Apesar de a família ter deixado de frequentar o Ocean Club, Kate e Gerry continuam a fazer compras no supermercado ali perto.

    Esta quarta-feira, o carro esteve estacionado a escassos metros da porta de Robert Murat, o empresário inglês que por enquanto ainda se mantém como o único arguido do processo.

  3. #183
    Gforum Veterano Avatar de Mitchel
    Data de Ingresso
    Dec 2006
    Localização
    no fundo do mar
    Posts
    1.359

    Padrão

    Bem tenho uma vaga ideia de que a polícia vai descubrir a menina , mas terá ainda vida?

  4. #184
    TIN
    Visitante

    Padrão Pais sugeriram buscas de cadáver à polícia

    As primeiras pessoas a colocar em cima da mesa a tese de morte de Madeleine foram os próprios McCann. Foram aqueles que, no passado mês de Julho, contactaram a Polícia Judiciária, dando conta de que pretendiam recorrer ao serviço de um radiostesista sul-africano que mostrava grandes créditos na procura de cadáveres. Os pais de Maddie pediram apenas que a Polícia Judiciária fosse tomando conhecimento dos seus avanços e, caso assim o entendessem, os levassem em linha de conta na investigação.

  5. #185
    GForum Vip
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Gforum...Sempre
    Posts
    13.129

    Padrão Polícia em Cartagena investiga informação de testemunhas que dizem ter visto a menina

    Agentes da Guarda Civil em Cartagena, próximo de Múrcia (Espanha), estão a investigar a denúncia de duas mulheres que na passada terça-feira disseram ter visto Madeleine McCann, disse hoje à Lusa fonte policial.

    A fonte explicou que duas mulheres se apresentaram à Guarda Civil ao início da noite de terça-feira, e asseguraram ter visto a criança britânica numa gasolineira próximo de Tentegorra, no município de Cartagena.

    Segundo as testemunhas, a menina estava acompanhada de um homem que, depois de ver que as mulheres o observavam, meteu a criança "à pressa" no carro, modelo Citroen ZX.

    Os pais de Madeleine McCann tinham manifestado estarem confiantes que a filha estaria viva e em Espanha, em entrevistas divulgadas quarta-feira por três jornais espanhóis.

    Madeleine McCann, 4 anos, desapareceu a 3 de Maio, de um apartamento na Praia da Luz, em Lagos.

    ASP.

    Fonte Inf.-Lusa/Fim


    .
    Cumps
    Matapitosboss


    __________________________________________
    "Se eu podia viver sem o Gforum? Podia, mas não era a mesma coisa."



    [Desaparecidos]

    www.ruipedro.net (Menino de Lousada, raptado dia 4 de Março de 1998)
    www.findmadeleine.com (Menina desaparecida na praia da Luz, no Algarve)

  6. #186
    GForum Vip
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Gforum...Sempre
    Posts
    13.129

    Padrão Cães portugueses fariam trabalho semelhante aos britânicos

    Duas associações de cães de busca e salvamento garantem que há em Portugal animais capazes de fazer um trabalho semelhante ao que cães britânicos realizaram no caso da Madeleine.

    Nuno Lima, presidente da Associação Cinotécnica de Busca e Salvamento, disse hoje aos jornalistas que foi oferecida ajuda à Autoridade Nacional de Protecção Civil e à Polícia Judiciária de Faro no caso Madeleine, a menina que desapareceu há mais de três meses de um empreendimento na Praia da Luz, Lagos.

    A imprensa tem noticiado que os cães ingleses que estão a auxiliar a investigação detectaram vestígios de sangue na parede e num cortinado do apartamento do casal McCann, onde a criança foi deixada a dormir na noite do desaparecimento.

    «Oferecemos ajuda, podíamos ter feito o trabalho de graça. Não cobramos pela utilização dos nossos cães, mas não obtivemos resposta», declarou Nuno Lima.

    O responsável frisou que a associação tem 12 cães treinados para detectar cadáveres, sete dos quais ainda em formação.

    «Os nossos cães poderiam ter feito o mesmo trabalho [que os cães britânicos], mas não estou completamente por dentro dos pormenores da investigação», acrescentou.

    Nuno Lima assegurou ainda que já foram treinados cães para sinalizar odor de cadáveres até dois meses depois da morte de uma pessoa.

    «Existem cães de cadáver e de fragmentos humanos que têm uma preparação tão boa como os que estão no estrangeiro», insistiu.

    Rui Silva, presidente da Associação Portuguesa de Cães de Busca e Salvamento, sublinhou que os cães treinados para cadáveres estão preparados para distinguir a presença de vários odores corporais, conseguindo detectar sangue, urina ou gases presentes no corpo.

    Para este responsável, foi uma «guerra de quintais» que levou as autoridades portuguesas a prescindirem da ajuda destas duas associações, que trabalham em conjunto.

    «Há em Portugal uma guerra de quintais onde impera a vontade de quem usa uma arma à cintura», disse.

    As duas organizações não governamentais apontam com orgulho um caso de sucesso conquistado pelos seus cães: a detecção do corpo do bombeiro de Cinfães que em Junho caiu ao rio Douro enquanto testava um barco.

    Segundo contaram, 11 cães treinados especificamente para água detectaram todos no mesmo local o corpo do bombeiro.

    Mesmo assim, os responsáveis sentem que «a Marinha Portuguesa não dá grande importância» aos seus animais.

    No total, as associações têm 146 cães operacionais para diversos tipos de busca e outros 100 ainda em formação.

    Mais de 50 animais estão preparados para trabalhar em água, 62 em escombros, 12 em cadáveres e 30 em grandes áreas, como mato ou floresta.

    As associações sublinham a importância de ter animais específicos para cada tipo de busca e salvamento e consideram que a GNR usa cães para escombros em todas as situações.

    Hoje, as associações simularam para os jornalistas dois tipos de busca, com uma pessoa viva num escombro e outra com um morto.

    No treino para detecção de cadáveres, é usada carne de ***** para preparar os cães para situações reais, uma vez que o ***** é o animal com a composição corporal mais parecida com a dos seres humanos.

    No entanto, as associações consideram que seria importante usar cadáveres humanos para treinar os animais, tal como acontece no Brasil e em Espanha, para onde vários elementos das organizações portuguesas irão em Outubro receber formação complementar.

    Os cães fazem a sinalização de cadáveres de duas formas diferentes: a marcação activa, ladrando, e a passiva, quando o cão apenas se senta e abana a cauda.

    Para debater as questões ligadas à busca e salvamento, a Associação Cinotécnica de Busca e Salvamento promove nos dias 31 de Agosto, 1 e 2 de Setembro em Alcochete o 1.º Encontro Internacional sobre o tema.


    Fonte Inf.-Lusa / SOL


    .
    Cumps
    Matapitosboss


    __________________________________________
    "Se eu podia viver sem o Gforum? Podia, mas não era a mesma coisa."



    [Desaparecidos]

    www.ruipedro.net (Menino de Lousada, raptado dia 4 de Março de 1998)
    www.findmadeleine.com (Menina desaparecida na praia da Luz, no Algarve)

  7. #187
    Gforum Veterano Avatar de Jay_Di
    Data de Ingresso
    Mar 2007
    Localização
    Ribeirão big city of wolrd
    Idade
    24
    Posts
    176

    Padrão

    Na minha opinião ainda foram os pais que fizeram á menina o mesmo ou algo
    parecido ao caso da Joana,...................

    Mas isto é só a minha opinião e a minha suspeita,..................

    Fiquem Bem,.................
    ℑąʏ_Đɨ
    ℳúʂɨƈą, Ƈɨиєɱą, Ƥєʂƈą, ƑƇ Ƥσятσ, Ɩиƒσяɱáтɨƈą, Ƒσяđ є Aиą ʂãσ ą ɱɨиɧą νɨđą

  8. #188
    TIN
    Visitante

    Padrão Descoberto sangue na carrinha dos McCann

    A Polícia Judiciária recolheu um vestígio que os cães ingleses identificaram como sendo sangue no carro alugado pelos McCann. A amostra biológica foi enviada para o laboratório de Birmingham, mas o resultado ainda não é conhecido.

  9. #189
    TIN
    Visitante

    Padrão Pai de Maddie volta ao trabalho

    Gerry McCann, pai de Madeleine, anunciou este sábado que vai voltar ao trabalho, mas que tanto ele como a mulher vão continuar a filha desaparecida há 114 dias.

    O progenitor de Madeleine, cardiologista de profissão, participou este sábado num evento realizado no Festival de Internacional da TV, em Edimburgo. Perante os jornalistas, reconheceu que o regresso a Inglaterra será uma experiência difícil para toda a família.

    Apesar de alguns diferendos com a comunicação social, Gerry McCann destacou a importância da ajuda desta nas buscas para encontrar a sua filha, considerando que esse apoio superou o imaginável.

  10. #190
    TIN
    Visitante

    Padrão Especialista defende que não há atraso no resultado das análises

    Ex-director do Laboratório Científico da PJ contra "teorias da conspiração"

    O ex-director do Laboratório Científico da Polícia Judiciária (PJ), José Manuel Anes, rejeita "embarcar em teorias da conspiração." É desta forma que o especialista comenta a ideia já expressa por investigadores portugueses, segundo a qual o Forenses Science Services, organismo inglês responsável pela realização de análises científicas, sendo especialista em determinar o ADN em amostras muito deterioradas, poder estar a ser alvo de pressões políticas para adiar a divulgação dos resultados das amostras de sangue detectadas no apartamento de onde desapareceu Madeleine McCann, na noite de 3 de Maio, na Praia da Luz.

    Ao DN, José Manuel Anes, sublinha que em Inglaterra "os serviços do Estado têm grande independência". Por outro lado, alerta para o facto de ninguém poder garantir "que haja um resultado concreto" nas análises efectuadas no laboratório de Birmingham. "Mas pode haver indicações analíticas que sejam úteis à investigação." A cargo dos especialistas britânicos, recorde-se, está também a análise a vestígios encontrados em viaturas usadas pelos pais da criança e por um amigo do casal.

    Na perspectiva deste especialista, os responsáveis do laboratório inglês "provavelmente já terão feito algum tipo de indicação preliminar ou definitiva para a polícia inglesa dar conhecimento à portuguesa. A colaboração tem sido tão boa, que tal se concretizará dentro em breve, possivelmente durante esta semana".

    "As análises de ADN com amostras de sangue relativamente frescas são rápidas, podendo ser feitas em menos de um dia. Mesmo assim podem levar dias. Neste caso, de amostras deterioradas, é muito normal que demorem uma semana ou mesmo duas. Já estamos a caminho das três semanas, o que indicia haver alguma prudência na divulgação dos resultados", observou. Caso surjam resultados concretos, a polícia inglesa e a PJ "poderão ter tomar medidas a nível de uma investigação. E isso tem de ser mantido em absoluto segredo", acrescentou

    Argumentos contrários

    Em sentido contrário, porém, há quem mantenha as suas dúvidas sobre esta espera. "Isto é muito estranho: como é que um laboratório com tanto prestígio deixa que haja suspeitas relativamente a este caso?", questiona o criminologista Moita Flores. O antigo investigador da PJ não defende o cenário de hipotéticas pressões políticas. Mas mantém as suas dúvidas, sustentando que "tem de haver um motivo muito forte porque esta situação não é normal. Não é normal que um laboratório daquela qualidade ponha em causa o seu prestígio", defende Moita Flores, a explicação dada pelo laboratório em Birmingham de que os atrasos estão relacionados com o facto de amostras se encontrarem bastante deterioradas e contaminadas, aquele especialista disse que tal "não é uma justificação plausível". É que, se por um lado, "isso poderia explicar" a situação face às amostras de sangue recolhidas no apartamento de onde desapareceu Madeleine, Moita Flores pergunta, por outro lado, "como é possível explicar os atrasos às análises aos odores" a cadáver, recolhidos em diversos locais, "e que são feitas em poucas horas?"

    Diário de Noticias

  11. #191
    TIN
    Visitante

    Padrão Seringa encontrada no quarto

    Os gémeos Sean e Amélie nunca acordaram na confusão da noite do crime, antes e depois de a irmã ser levada do apartamento, mas Gerry McCann garante que é normal e diz que os filhos costumam dormir sem interrupções. Só que a Judiciária encontrou uma seringa com tranquilizantes na cómoda do quarto do casal de médicos, adianta ao CM fonte ligada à investigação – e também isso está a ser levado em conta pelos inspectores.

    Fonte: Correio da Manhã

  12. #192
    TIN
    Visitante

    Padrão Gerry McCann com novo apelo na internet

    Gerry McCann lançou mais um apelo ao eventual raptor da sua filha Madeleine, desaparecida há 118 dias no Algarve, para que devolva a menina, deixando-a num sítio seguro, ou que ajude o casal a saber o que lhe aconteceu.

    "Se fez algo de que se arrependa, se está numa situação que não é intencional, não é tarde demais para tomar a atitude certa", afirma o pai da menina inglesa na mensagem difundida no ‘site’ que os McCann mantêm na Internet (www.findmadeleine.com).

    Este novo apelo lançado ao eventual raptor da pequena Madeleine, de quatro anos, surge numa altura em que ficou a saber-se que a Polícia Judiciária encontrou uma seringa com tranquilizantes na cómoda do quarto ocupado pelo casal.

  13. #193
    TIN
    Visitante

    Padrão Pais de Madeleine vão processar Tal & Qual por difamação

    Os pais de Madeleine McCann, a menina britânica que desapareceu há três meses no Algarve, vão processar o Tal & Qual por difamação, depois de o jornal ter publicado que a polícia acreditava que o casal tinha morto a criança, segundo informa hoje o canal de televisão britânico BBC.
    Na semana passada, o Tal & Qual sublinhou que a policia que está a investigar o desaparecimento da menor acredita que foram os pais de Madeleine que a mataram, insinuando, todavia, que poderia ter sido acidental.

    O jornal atribuiu a informação a uma «fonte próxima à investigação».

    Agora, os advogados do casal McCann vão processar o diário por difamação, alegando que a notícia «não está correcta» e que lhes causou «sofrimento e humilhação».

  14. #194
    GForum Vip Avatar de migel
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Douro "Património Mundial"
    Idade
    53
    Posts
    15.625

    Padrão Madeleine: PJ recebeu «uma parte» do resultado das análises

    Madeleine: PJ recebeu «uma parte» do resultado das análises

    A Polícia Judiciária (PJ) já recebeu «uma parte dos testes» realizados em Inglaterra aos vestígios biológicos recolhidos no apartamento na Praia da Luz de onde desaparaceu Madeleine McCann, disse à Lusa fonte próxima da investigação.

    «Já chegaram à PJ parte dos testes», disse a mesma fonte, escusando-se a adiantar mais pormenores.

    A notícia de que a Judiciária tinha recebido os testes foi avançada hoje à tarde pela estação de televisão britânica Sky News.

    Um dos correspondentes da Sky avançou também que os resultados dos exames «deverão conduzir a um desenvolvimento relevante» no Caso Maddie, que desapareceu no Algarve há mais de 4 meses.

    Os cientistas forenses do laboratório de Birmingham, Reino Unido, realizaram os testes para confirmar se os resíduos biológicos são de sangue ou saliva da criança.

    Contactada pela Lusa, uma fonte do laboratório de Birmingham afirmou, no entanto, que «ainda estão a decorrer» testes aos vestígios.

    A criança, de quatro anos de idade, desapareceu em Maio do quarto onde dormia com os irmãos gêmeos num apartamento num aldeamento turístico na Praia da Luz, concelho de Lagos, no Algarve, enquanto os pais jantavam num restaurante próximo.

    Diário Digital / Lusa

    05-09-2007 19:57:00
    Cump
    Migel

  15. #195
    GForum Vip
    Data de Ingresso
    Sep 2006
    Localização
    Gforum...Sempre
    Posts
    13.129

    Padrão Kate McCann está desde as 14h00m a ser ouvida na PJ de Portimão

    Kate McCann, mãe da menina britânica desaparecida há quatro meses na Praia da Luz, Algarve, está desde as 14:00 de hoje a ser ouvida na PJ de Portimão, onde entrou acompanhada de uma mulher que se pensa ser advogada.

    Ao contrário do que havia afirmado o porta-voz da Polícia Judiciária (PJ) para este caso, Olegário de Sousa, o casal é ouvido em separado.

    Fonte policial disse entretanto à Lusa que o pai de Maddie, Gerry McCann, deverá ser ouvido sexta-feira cerca das 14:00 nas instalações do Departamento de Investigação Criminal (DIC) da PJ de Portimão.

    Kate McCann deixou a sua casa por volta das 13:30 acompanhada pelo marido, tendo chegado as instalações da PJ cerca das 14:00.

    Entretanto, a porta-voz do casal, Justine McGuinness, fez uma declaração a porta do DIC em nome dos McCann, onde destacou o regresso de Kate para ser questionada pela Polícia portuguesa no sentido de ajudar nas investigações.

    Segundo a declaração, o casal está satisfeito por ajudar a Polícia nas investigações para encontrar a sua filha, tal como tem acontecido desde que a criança desapareceu.

    "Kate continua a acreditar que Madeleine está viva e tem esperança que ela volte depressa", disse a porta-voz.

    Na declaração lida pela porta-voz dos McCann, o casal apela novamente "à pessoa ou pessoas que a levaram ou que saibam quem a levou para que façam o que está correcto", ou seja, devolvam a menina ou informem as autoridades.

    "Ainda não é tarde de mais. Por favor, libertem-na ou contactem a Polícia", insiste o casal.

    Madeleine McCann, de quatro anos de idade, desapareceu em Maio deste ano quando dormia com os irmãos gêmeos num apartamento num empreendimento turístico na Praia da Luz, enquanto os pais jantavam num restaurante próximo.

    JPC/SK.

    Fonte Inf.-Lusa/Fim


    .
    Cumps
    Matapitosboss


    __________________________________________
    "Se eu podia viver sem o Gforum? Podia, mas não era a mesma coisa."



    [Desaparecidos]

    www.ruipedro.net (Menino de Lousada, raptado dia 4 de Março de 1998)
    www.findmadeleine.com (Menina desaparecida na praia da Luz, no Algarve)

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  

Já fez "Like" na nossa página do facebook?

Acompanhe todas as novidades.