As roseiras são, sem dúvida, os vegetais os mais plantados no exterior. É importante de manter regularmente as roseiras para as conservar o mais tempo possível. Para isso, use luvas e roupas espessas e resistentes, protege os seus braços e o seu rosto dos espinhos que poderiam arranhá-lo.


Convem utilizar uma boa tesoura de poda, e de podar com a lâmina do lado da planta. Isso permite uma cicatrização rápida e nítida (a madeira "não é esmagada").

De um modo geral, suprime as flores murchas progressivamente. Isso estimula a produção de novas flores, e impede à roseira de esgotar-se a formar frutos.

Existem três principais tipos de roseiras: os silvados, os arbustos e as trepadeiras. Poderá encontrar abaixo os princípios da poda para estas diferentes roseiras.

Poda da roseira silvado (moita)





A poda das roseiras silvados é essencial para favorecer o nascimento de novos ramos portadores de rebentos florais e de modo que conservem um porte compacto.

Na primavera seguinte a plantação suprime a madeira morta, os ávidos que partem do solo e os crescimentos demasiado fracos. Selecione três ou quatro ramos vigorosos, entre aqueles que têm o mais importante diâmetro. Corte acima o segundo ou terceiro botão (olho) bem visível.

No outono limpe a sua roseira, cortando os ramos cerca da metade do seu comprimento para dar-lhe uma melhor aparência para passar o inverno. Suprime também as últimas flores murchas e os frutos que esgotam o arbusto. Se sofrer de gelos importantes durante o inverno, pode adiar esta poda na primavera.

Depois, cada ano, quando as geadas importantes jà não são mais a temer (até o fim de março, depende das regiões), e antes que os rebentos da base começam a desenvolver-se, selecione seis a oito ramos de grande diâmetro e de preferência entre os mais jovens.

Corte acima o segundo ou terceiro olho bem visível. Pode mais as variedades vigorosas cortando acima do quarto ou quinto olho. Elimine todos os outros ramos e mais particularmente os ramos mais fracos e mais velhos.

Faça uma limpeza das suas roseiras no outono se for preciso. Para as variedades que não sobem, ou seja, que florescem apenas uma vez, limpe em junho-julho, após a floração.


Poda da roseira arbusto



A partir do ano da plantação, em março, pode para diminuir os ramos cerca de um terço do seu comprimento. Suprime os ramos mais fracos.

Os dois ou três anos seguintes, reduze os ramos principais dos dois terços do seu comprimento. Suprime os ramos mortos e os ávidos que partem do solo.

De seguida cada ano, em março, areja o pé cortando alguns ramos entre os mais velhos e os talos do centro os mais fracos (aqueles que florescem menos).

Certifique-se a manter cada ano um número idêntico de ramos. Em seguida, reduze os ramos principais dos dois terços e a sua ramificação de um terço. São os rebentos do ano anterior com a madeira de cor mais clara.

Saiba que para as roseiras arbustos cobre-solos ou recaindas, a poda anual não é necessária. Uma poda de rejuvenescimento tratada sobre os princípios acima em poucos anos é suficiente.


Poda da roseira trepadeira




No ano da plantação, em março, faça uma primeira poda de formação. Suprime todos os ramos mais finos, e mantenha apenas os três ramos mais robustos. Pode de modo a obter três ramos de cinquenta de centímetros.


Os dois ou três anos seguintes, reduze as ramificações dos ramos principais de um terço do seu comprimento e apare as ramificações secundárias, segundo o seu vigor, de dois ou três olhos para as mais fracas e de quatro ou cinco olhos para as mais vigorosas.

Ate regularmente a sua roseira trepadeira progressivamente do seu crescimento. Incline se for possível de cerca de 45° os ramos vigorosos para estimular sua ramificação e sua floração.

Em seguida, realize cada ano uma poda de manutenção no início da primavera, suprimindo alguns ramos entre os mais velhos e os que florescem menos.

Certifique-se de manter cada ano um número semelhante de ramos reduzindo-os de um terço, e suprime o resto. Suprime a madeira morta, os ávidos com base no solo e os rebentos demasiado fracos.

Para as roseiras que não sobem, pode após a floração (em julho-agosto) acima da segunda ou terceira folha a partir da base das ramificações que floresceram.




Fonte:planfor