De forma simples, trate bem essa máquina! Um carreto de pesca, independente do modelo ou estilo, é um conjunto de peças metálicas e plásticas concebidas para trabalhar em conjunto e em contacto umas com as outras. Como qualquer artefacto mecânico, também o carreto necessita de uma ligeira manutenção periódica. Não sendo nada de complicado, sugiro que quem não tenha muito jeito para desmontar e montar este tipo de equipamentos, será melhor deixar para os entendidos. Mas de qualquer forma, pelo menos pode efectuar as pequenas lubrificações que aqui se descrevem, uma vez que são bastante simples e suficientemente importantes, sem ter que desmontar alguma coisa. O seu lojista por certo também o poderá ajudar nesta área, se por algo correr mal.
Carretos de tambor fixo ou spinning :
Adquira uma embalagem ou almotolia de óleo fino ou outro semelhante (tipo máquina de costura) na loja de pesca ou num hipermercado.
Aplique com cuidado nos lados do rolete que guia a entrada do fio na bobina, para que se infiltre no eixo do mesmo.
Faça-o rodar para que o óleo penetre com mais eficácia, espalhando-se também com mais facilidade. Após algumas voltas, lubrifique novamente se necessário e limpe todo o eventual excesso com um pano limpo ou um pedaço de papel absorvente, como rolo de cozinha, por exemplo.
Outro ponto crítico num carreto de pesca é o eixo da manivela. Neste caso o carreto deve ser posicionado para que a pega da manivela fique virada para cima, na vertical. Neste caso, até pode ser utilizado óleo mais espesso, do género do utilizado nos motores de automóvel.
A aplicação de duas gotas, enquanto se faz rodar a pega, são suficientes para que o sistema fique lubrificado. O excesso deve novamente ser limpo com o pano ou papel absorvente.
Também pode aproveitar e colocar uma gota de óleo em cada uma das articulações laterais da asa de cesto, enquanto abre e fecha a mesma manualmente, limpando de seguida.
Se entender necessário, desaperte os parafusos da tampa lateral para aceder ao mecanismo interno. Pessoalmente penso que não é necessário efectuar esta intervenção em intervalos inferiores a dois ou três anos, dependendo do uso e do ambiente em que é utilizado. No interior é possível remover a massa consistente velha, com a ajuda de cotonetes ou outro artefacto e aplicar a nova massa lubrificante, sem exagerar.
Intervenções mais profundas (desmontar, lavar todas as peças, lubrificar e montar novamente) só deverão efectuar os que estiverem mais habituados a lidar com mecanismos pequenos e sensíveis ou os mais destemidos!!!!
Mas esses não precisam de ajuda!


Carretos de tambor móvel ou casting :
Nestes modelos, os pontos mais críticos são os eixos da bobina. Aqui há mesmo necessidade de desmontar alguma coisa, uma vez que é necessário retirar a tampa lateral (a oposta ao lado da manivela), que permite extrair a bobina do interior do carreto.
Em determinados modelos é necessário uma pequena chave de fendas para desapertar os parafusos que fixam essa tampa, noutros existem parafusos preparados para serem retirados à mão, e nos mais recentes consegue-se apenas com uma ligeira pressão num botão existente na própria tampa.
Depois da bobina retirada, limpe com papel absorvente os eixos da bobine e lubrifique-os com óleo fino (aqui é fundamental que seja mesmo fino) e monte com cuidado, todo o conjunto.
Nas pegas da manivela, uma vez que a pega é dupla, também não é de esquecer, a lubrificação nestes pontos, com óleo.
Outro ponto a não esquecer é o sem-fim do guia fios. Este componente está muito exposto e sujeito ás gotículas provenientes da linha que vai sendo recolhida.
Neste caso, o óleo é suficiente porque liquefaz novamente a massa já aplicada e tudo volta quase ao normal. A desmontagem da tampa lateral, no lado da manivela requer já cuidados especiais e mão hábeis, pelo que não recomendo a quem não esteja habilitado para o fazer. Nestes modelos é habitual saltarem molas que nunca mais se encontram ou depois podem sobrar ao montar tudo de novo.
No mar :
Os carretos utilizados no mar são os que mais necessidades têm de cuidados preventivos, uma vez que o sal é altamente corrosivo para todos os metais. Desta forma, é recomendável que após o dia de pesca o carreto seja passado por água da torneira (corrente, com pouco débito) e lavado com auxílio de um pincel pequeno para tirar a areia, restos de isco, ou remover depósitos de sal nos lugares mais inacessíveis. Não deverá ser mergulhado a menos que tenha caído à água salgada. As bobinas podem mesmo ser retiradas dos carretos e estas sim, mergulhadas num recipiente com água, deixando-se assim várias horas e sacudindo depois contra um pano seco antes de deixar num local arejado para secar o fio. Depois do conjunto completamente seco, podemos aplicar um pouco de silicone em spray para dar protecção extra na próxima saída de pesca, limpando depois muito bem, para eliminar os excessos de produto.
O spray de silicone adquire-se em qualquer hipermercado, na zona dos produtos auto, renovadores de plásticos e afins. É importante que seja um produto sem cheiros ou aditivos que possam por em causa o resultado da próxima pescaria. O silicone é uma substância que não tem qualquer cheiro ou sabor, sendo por isso uma substância que não irá influenciar o resultado da nossa pesca.