Sardinha: exlente isco para as mais diversas expecíes de peixes como por exemplo robalos, sargos, safios e até douradas, podendo ser útilizado das mais diversas maneiras de pesca dependendo do pesqueiro e da especíe a capturar, este isco obtem melhores resultados com o mar agitado e pescando na arrebentação das ondas. Algumas das maneiras de iscar as sardinhas são: em filetes, em beliscos, ou até inteiras.Optimo para engodos.

Longueirão e navalhas: um isco muito bom, para pescar sobretudo ao fundo tanto de terra como de barco, podendo ser útilizado na pesca de sargos, douradas, choupas, pargos, etc... Devendo ser útilizado sempre fresco, mas por vezes obtem bons resultados quando conjelado, apesar de ficar um pouco macio. Para ele ficar mais rijo tapa-se com sal grosso depois de desconjelado.

Camarão: optimo isco quando fresco ou até conjelado para a pésca de diversas especíes costeiras podendo ser útilizado com casca ou sem casca, inteiro ou só sem cabeça dependete das especíes de peixes ou pesqueiro. Muitas vezes útilizado na pesca á boia ou ao fundo.

Ameijoa; Berbigão; Mexilhão: estas iscas devem ser sempre útilizadas na pésca frescas porque quando conjeladas perdem muito as sua caractristícas, fiquando muito macias e com pouco cheiro. Boas para pescar ao fundo e á boia. Sendo consomidas por diverssos peixes como por exemplo sargos, choupas, douradas, pargos, peixe-porco, etc... Para as iscar útiliza-se fio elastico fino para não desiscar facilmente.

Carangueijo: há diverssos especíes de carangueijo para pescar, sendo todos eles um isco de eleição, para especíes de maior porte. Como por exemplo corvinas, robalos e douradas. Há duas especies de carangueijo que aconselhamos: o carangueijo de dois cascos e o carangueijo pilado esta mais dificíl de encontrar(normalmente junto das comunidades pesqueiras). O pilado é exlente para pescar com ele vivo, iscando-se o anzol pelo um olho do carangueijo com a barbela a sair pela casca, mas lateralmente sem o matar, é optimo porque ele é um exlente nadador e não pára quieto atraindo tambem com a sua cor encarniçada o peixe normalmente robalos e corvinas. O carangueijo de dois cascos é necessário outros cuidados ao iscar, retirando-se lhe a primeira casca(a rija)podendo-se iscar tambem cortado ao meio.

Brocha de polvo: isca muito pouco conhecida, trata-se da tripa do polvo que se encontra na cabeça do mesmo, tudo o que es tá no intrior da cabeça do polvo serve de isca especialmente o "ferrado"(que é a bolsa oval que contem a tinta). Iscando-se com um anzol grande(2 zeros) para a pesca do robalo é optima porque o ferrado depois de picado com o anzol liberta a tinta gradualmente, fazendo com que o peixe a detecte muito longe. Outra parte que se pode iscar são os pulmões que se encontram tambem na cabeça do polvo sendo estas es esbranquiçadas. Ou as ovas do polvo quando as tem, sendo estas amareladas e redondas. Podendo-se tambem fazer uma sandes de duas ou três partes destas iscas.

Casulo: o "casulo" é uma minhoca que se encontra dentro de um casulo. É uma isca muito útilizada para pescar á noite. Porque brilha dentro de água muito e chama á atenção dos peixes. Ésta isca serve para pescar diveresas especíes. Das minhocas é uma das mais rijas para iscar.

Ganso: há dois tipos de ganso: o ganso nacional e o gaso coreano. O nacional é uma minhoca mais rija do que o ganso coreano, em contrapartida, o ganso coreano é uma minhoca mais viva (mexe-se muito). Éstas duas são muito útilizadas por pescadores de recreio por ser uma isca que fácílmente pode ser comprada em qualquer loja de pesca, e que se conserva bem no frigorifico durante dias. Serve sobretudo para apanhar peixe miúdo, mas que por vezes também obtém bons resultados com peixes maiores(ferreiras, bezugos, sarguetas, choupas, olho-de-boi e linguados).


Mar & Pescas