O filme «Nader et Simin, Une Séparation», do iraniano Asghar Farhadi, venceu hoje o Urso de ouro e dois de prata na 61.a edição do Festival de Berlim, noticiou a agência francesa AFP.

"Nader et Simin, une séparation" é um drama familiar e conta a história dum casal em crise e dos problemas que enfrentam a nível judicial depois de a empregada que tomava conta de um idoso com doença de Alzheimer ter abortado espontaneamente.

Para Asghar Farhadi, o triunfo foi total já que o conjunto de actores, homens e mulheres, receberam o urso de prata para o melhor actor e melhor atriz.

As atrizes Leila Hatami e Sarina Farhadi e os três actores Peyman Moadi, Shahab Hosseini e Sareh Bayat foram colectivamente recompensados.

«Nunca acreditei que ia ganhar o prémio. Da última vez que aqui estive nunca pensei que cá voltasse», exclamou Asghar Farhadi quando recebeu o galardão.

Nascido em 1972, Asghar Farhadi já recebeu um urso de prata de melhor realizador em 2009, com o filme «A propos d'Elly».

«Aproveito para vos dizer algo sobre o povo do meu país, que é um grande povo, um povo paciente, um povo bom. Também quero deixar uma mensagem para Jafar Panahi já que penso que os seus problemas serão resolvidos em breve e espero que possa vir a Berlim no próximo ano», disse.

A Berlinale tinha convidado o realizador Jafar Panahi para o júri do festival. O lugar reservado para o realizador manteve-se vazio nas cerimónia de abertura e de entrega de prémios.

Acusado de ter feito um filme sobre as manifestações de opositores em 2009, Panahi, de 40 anos, foi condenado pela justiça iraniana a seis anos de prisão e proibido de trabalhar durante 20 anos. O realizador recorreu da sentença e aguarda uma decisão judicial na sua casa em Teerão.

Jornal de Notícias