A compra de carro usado exige cuidados para evitar a aquisição de um veículo em mau estado. O ideal é adquiri-lo de pessoas ou entidades de confiança. Como isto nem sempre é possível, é preciso prevenir antes de fechar qualquer negócio. Não deixe de verificar a autenticidade dos documentos, do número de chassi, o estado de conservação e mecânica e carroçaria do carro.

Preços

O preço dos carros usados varia muito. Pesquise. Jornais e revistas divulgam freqüentemente tabelas de preços de mercado para a compra e venda de veículos e são uma boa fonte de referência.

Para avaliar se o preço do carro está compatível com o de mercado leve em conta, além do modelo, côr, ano de fabricação, quilometragem, opcionais (alarme, ar condicionado, ABS, ESP vidros elétricos, etc), o estado geral do veículo. Não esqueça de imputar os custos de eventuais reparos a serem realizados.

Dicas para a compra


Peça ajuda de amigo ou conhecido que tenha conhecimentos de mecânica. Em caso de dúvida, leve um mecânico da sua confiança para fazer uma avaliação do estado do carro. Examine tudo com a máxima atenção, especialmente os itens de segurança, tais como travões, amortecedores e pneus.

Parte externa do veículo

Com o veículo parado

1. Examine o carro à luz do dia, nunca em locais fechados e escuros, e exija ver o veículo seco (a aparência do carro molhado pode enganar);

2. Teste o amortecedor impurrando o carro para baixo, segurando no pará-choque na direcção da roda. Se, ao largá-lo, o veículo abanar duas ou mais vezes, o amortecedor está em más condições;

3. Observe ondulações e pequenos mossas na chapa: se houver diferenças nas esquinas do capô, é provável que o carro tenha sido batido;

4. Dê pancadas com os dedos na chapa para verificar se o barulho é diferente em algum ponto. Isso indica a colocação de massa plástica. Também é possivel fazer um teste com um imã embrulhado em uma flanela. Se, ao passar pela lataria, ele se desprender, é porque existem furos cobertos por massa plástica;

5. Se houver bolhas na pintura, cuidado: é sinal de que há ferrugem. Os locais onde a ferrugem é mais frequente são os seguintes: junto às borrachas, debaixo das portas, por debaixo dos pára-lamas, nas arestas inferiores da carroçaria e nas bordas das tampas do capô do motor e bagageira;

6. Observe se o veículo foi pintado recentemente. Verifique se há diferenças de cor e procure respingos de tinta nos frizos e borrachas. Cuidado com os carros encerados, porque eles podem esconder defeitos da pintura;

7. Confira se as portas e capô fechados se encaixam perfeitamente. O desnível pode indicar que o carro foi batido;

8. Confira o estado dos pneus.

9. Desgastes irregulares nos pneus podem indicar problemas com a suspensão, falta de alinhamento ou balanceamento das rodas;

10. Com o carro suspenso, pressione cada roda para dentro e para fora. Se houver folga, isso indica que o rolamento está gasto, devendo ser regulado ou trocado.

Com o veículo em movimento

Motor
Para verificar a compressão do motor, reduza a velocidade bruscamente ou desça uma estrada de grande inclinação com a 2ª mudança. A velocidade deve reduzir.

Travões
Trave normalmente o carro. Se houver ruídos metálicos, as pastilhas estão gastas. Num lugar plano, trave o veículo soltando as mãos da direcção. Se o carro tiver tendência de virar para um dos lados, é porque há problemas nos travões, na suspensão ou os pneus não estão calibrados correctamente.

Caixa de Velocidades
Engate todas as marchas e verifique se produzem barulho anormal.

Alinhamento e Calibradas
Se o carro em movimento puxar para um dos lados, está desalinhado. Se em determinadas velocidades houver trepidação no volante, as rodas não estão calibradas.

Com o capô aberto

Chassi
Confira se o número do chassi que vem gravado perto do motor, no vidro e em vários locais, confere com o que consta no certificado de propriedade do veículo. Os números e letras do chassi e da placa de identificação devem estar alinhados, com os seus espaços regulares e os contornos das letras e números uniformes. Veja se não há sinais de pingos de solda próximos da identificação.

Motor
O som do motor é um importante indicativo do seu correcto funcionamento ou desgaste. O barulho do motor que precisa ser rectificado é característico. O mecânico saberá reconhecer se o veículo estiver nessa condição.

Óléo
Retire a vareta do compartimento do óleo e avalie o seu aspecto quanto ao nível e viscosidade.

Refrigeração
1. Verifique o sistema de refrigeração do motor. O líquido visível no depósito de água não deve apresentar sinais de ferrugem nem aspecto oleoso. Os tubos de borracha não devem estar rachados, quebrados ou ressecados;

2. Veja se o filtro de ar está limpo;

3. Os cabos da ignição devem estar em bom estado, sem fendas ou rasgões;

4. A ventoinha deve girar de maneira uniforme, sem grandes vibrações. A correia não deve apresentar rachaduras nem deformações.

Dentro do Carro

Palas
Confira o estado da pala de protecção contra o sol.

Banco
Sente-se para verificar se os bancos estão afundados, soltos ou tortos. Observe se estão rasgados, sujos ou quebrados.

Sistema Eléctrico
Examine todos os comandos, como faróis, limpadores de pára-brisas, desembaçiador, indicadores de direcção, luzes de travagem, buzina, velocímetro, sinalização de emergência, indicador de temperatura etc.

Outros
Confira o estado dos espelhos retrovisores, pára-choques, lanternas, travão de mão e de pé.

Vedação
Se encontrar pontos de ferrugem e água ou humidade por debaixo dos tapetes, há problemas com a vedação (borrachas dos vidros e portas) ou furos no fundo do carro.

Travões
Com o motor ligado e o carro parado, acione o travão, mantendo o pé no pedal por algum tempo. Se ele baixar aos poucos, é sinal de que há uma fuga do oléo dos travões.

Equipamentos
Certifique-se de que estão em conformidade os equipamentos de segurança obrigatórios do veículo, como extintor de incêndio, macaco, triângulo de sinalização, chave de roda, cintos de segurança, etc.

Atenção
Modificações no motor, acessórios ou equipamentos instalados no carro tem de estar devidamente homologadas pela DGV. No livrete do veículo devem constar as alterações realizadas ao veículo original, como: alteração da cor original, modificações de suspensões, a instalação de faróis adicionais, da medida dos pneus, o uso de películas escuras nos vidros, etc. caso essas modificações tenham sido realizadas.

Recomendações Finais

Alguns estabelecimentos comerciais emitem na nota ou no recibo de compra e venda a expressão "o cliente ao assinar este contrato assumem que o veiculo se encontra em bom estado de conservação ". O consumidor deve exijir que sejam incluidos no contrato todos os defeitos de mecânica e chapa. Não realize a compra sem antes verificar se o veículo é furtado ou tem multas pendentes. A DGV poderá informar sobre a situação do veículo: se houve furto, se existem multas, etc.

Só aceite documentos originais. Recuse papéis com rasuras ou fotocópias, mesmo autenticadas.

Agora que sabe, porque espera? Conduza com segurança e boas compras!


Fonte: expomotor