Uma das imagens curiosas que guardo da adolescência é relativa ao “fim-do-mundo” que algumas personagens de filmes norte-americanos apregoavam. Recordo-me de um homem de barba branca (normalmente com um ar miserável) a anunciar o fim do mundo no ano 2000 e o “apocalipse”… Dizia-se então que a passagem do milénio seria o cruzar da barreira em direcção à destruição total. Bem… estamos em 2008 e o mundo ainda não acabou…

Muito do que gira em torno do tuning parece também querer conviver com um anunciado fim. “Isto está mal” - ouve-se dizer, "as concentrações tem cada vez menos pessoas" (embora cada vez haja mais no calendário…), e outras expressões idênticas que aparecem um pouco ao sabor dos interesses de uns e outros.

Mas não há como negar. O mês de Abril ficará na história do tuning. É um facto. Custe o que custar a muitos detractores e anunciantes de “apocalipse”.

Tal como a passagem do milénio, o tuning está para ficar e não se compadecerá com as habituais sinas que lhe rezam. A vitalidade do sector mostra-se em acções como a que deu origem à legalização das películas. Um bem haja aos empresários deste sector que se mexeram no rumo certo e alcançaram os seus objectivos. Obviamente que aqui, como em muitas outras coisas, houve aqueles que realmente fizeram por isso e os outros que acabam por benefeciar também.

Abril pode ficar na história do tuning por diversos motivos, mas o mais importante será, concerteza a grande manifestação pedestre planeada para Lisboa. Dia 12 de Abril são esperados milhares de entusiastas na Praça do Marquês de Pombal para mostrarem aos governantes a importância do sector.

Fonte: "Maxi Tuning"