Cientistas da Universidade de Umea, na Suécia, encontraram no noroeste do país uma árvore de 9.550 anos, a mais antiga e ainda viva já identificada no planeta.

O pinheiro, da espécie Picea abis, além de ser encontrado em toda a Europa, é usado como enfeite natalino nos países nórdicos, apreciado pelos adeptos da jardinagem e empregado na fabricação de violinos da marca Stradivarius.

Sob a copa de uma conífera de aproximadamente quatro metros de altura do Parque Nacional de Fulufjället, na província de Dalarna, pesquisadores acharam partes remanescentes de pinheiros datadas de 375, 5.660, 9.000 e 9.550 anos.

Segundo Leif Kullman, professor de Geografia Natural da universidade e director do estudo, a idade dos troncos e pequenos galhos foi determinada em um laboratório de Miami (Estados Unidos), mediante o método conhecido como carbono 14.

A longevidade do pinheiro se explica por sua dupla capacidade de "auto clonagem", de modo que do sistema de raízes nascem novos talos e troncos.

Outro factor que contribui para a preservação da conífera são as adaptações às mudanças do clima, que fazem com que árvore evolua na forma de um arbusto encolhido sobre si mesma.


.