A Universidade Fernando Pessoa (UFP) está a promover, até ao próximo dia 28 de Maio, a terceira edição do CSI - Curso Sintético de Investigação Criminal.

O sucesso alcançado nas duas primeiras edições do CSI – cerca de duas centenas de inscrições de alunos provenientes das mais variadas áreas profissionais - Direito, Jornalismo, Biologia, Microbiologia, Psicologia, Medicina Legal, Forças de Segurança – ditou a realização de uma terceira edição, que arrancou no passado dia 5 de Maio.

Com duração de 30 horas, a terceira edição do CSI é constituída por dois módulos – Criminalística não Biológica e Criminalística Biológica e Identificação Genética Individual -, e vai decorrer nas instalações da UFP, à segunda e à quarta-feira, entre as 17h00 e as 21h00, até ao próximo dia 28 de Maio.

Aberto ao público em geral, o CSI pretende transmitir aos participantes uma perspectiva realista da investigação na cena de crime e os subsequentes passos até à elaboração do relatório pericial, colocando-os em contacto com situações práticas que lhes permitirão adquirir espírito crítico na interpretação de resultados.

Ao mesmo tempo que pretende dotá-los de conhecimentos na área da Genética Forense com aplicação prática desta área à resolução de perícias no âmbito da Criminalística Biológica (homicídios, agressões sexuais, entre outras) e Identificação de Genética Individual, em especial de restos de cadáveres.
Para além disto, os alunos terão ainda a oportunidade de adquirir conhecimentos na área da Criminalística não Biológica – Lofoscopia, Queiloscopia, Análise de Documentos, Análise de Escrita e Balística.

O corpo docente é constituído por um conjunto de especialistas que integra elementos do Instituto Nacional de Medicina Legal, da Polícia Judiciária, da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, e da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa.

CienciaPT