Bombeiros prestam um serviço de excelência Escrito por Fernanda Ferreira

Há 83 anos, a Associação Humanitária dos Bombeiros de Albergaria-a-Velha presta serviços de extrema importância à comunidade albergariense. Nesta edição, o jornal Beira Vouga dedica algumas das suas páginas a esses homens e mulheres que fazem do bem-estar alheio a sua principal missão. Apesar do pouco apoio do Estado e das dificuldades conhecidas por todos, eles não cruzam os braços. Como disse Elísio Apolinário, presidente da Associação, “se para salvar uma vida for preciso usar todos os meios, usamos”.
Para José Bismarck, comandante dos bombeiros de Albergaria, “o voluntariado não está em crise”, o que prova que ainda há quem se preocupe com o próximo. Mas deixa um alerta: “Se cada um não sentir que tem deveres para com a sociedade, o sistema está condenado”.
Há décadas a comunidade albergariense reuniu-se em torno de uma causa comum e angariou fundos para a construção do quartel dos Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha.

Hoje, dado o espírito vivo de uma corporação que não pára de crescer, é preciso mudar de casa. Em breve será oficialmente acordado com a Câmara a cedência de um terreno para a construção de um novo quartel que corresponda às reais necessidades dos soldados da paz.

Homens e mulheres que saem do conforto dos seus lares para dar um pouco de si a quem precisa, sem olhar a credos, raças ou cores políticas. Acidentes, serviços de socorro, incêndios e tantas outras situações que fazem com que os bombeiros tenham um papel de extrema importância na resolução das mais diversas dificuldades.

Nas páginas que se seguem poderá conhecer melhor a estrutura de uma corporação que é reconhecida no país como um caso de sucesso. Formação contínua, meios modernos e avançados, grupos especiais e de intervenção que fazem da Associação Humanitária dos Bombeiros de Albergaria-a-Velha um exemplo a seguir, motivo de orgulho para os albergarienses.

“Se para salvar uma vida for preciso usar todos os meios, usamos. Isso é eficácia”
Elísio Apolinário desempenha as funções de presidente da Associação dos Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha há 11 anos. “Não era uma situação previsível porque se há eleições de três em três anos, porque um presidente há de estar quatro mandatos? Se calhar era desejável mais rotatividade”, afirma Elísio Apolinário dando conta que o êxito da gestão dos últimos anos pode explicar a sua permanência.
“Houve algum sucesso nessa gestão e em verdade gosto muito de estar aqui, o que também me levou a recandidatar-me”, explica. Se a calendarização estiver correcta o seu nome vai ficar marcado como o presidente que ajudou a desatar alguns nós do dossier do novo quartel dos bombeiros. “Em princípio o novo quartel será inaugurado até o final do mandato, ou seja, 2009. Se assim for, tudo o que propusemos em 1997, está cumprido”, afirma.
Em conversa com o Beira Vouga, recordou tempos, falou de sucessos e dificuldades, num discurso directo e simples, com o à vontade de quem está à frente de uma instituição por gosto, a querer sempre o melhor para Albergaria-a-Velha.

“Se cada um não sentir que tem deveres para com a sociedade, o sistema está condenado”
Em 1983 entrou para a Associação de Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha e desde então fez do ofício uma das suas maiores paixões. Há 11 anos é comandante, tendo passado por todas as categorias. O desejo em seguir a profissão veio de criança, altura em que se fascinava com a azáfama do quartel, próximo da casa dos pais, cada vez que tocava a sirene. As actividades de Ocupação dos Tempos Livres (OTL) durante o Verão permitiram-lhe um primeiro contacto com um mundo que passou a ser seu. Em conversa com o Beira Vouga, José Bismarck contou as delícias e agruras de ser o comandante de uma das corporações mais respeitadas do país.

Freguesia da Branca é palco do primeiro dia de comemorações dos Bombeiros de Albergaria
A Associação de Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha completa em 2008, 83 anos ao serviço da comunidade albergariense. Uma festa, que decorre no primeiro fim-de-semana de Abril (dias 5 e 6), aberta a todos que queiram participar.
Este ano, a freguesia da Branca é o palco do primeiro dia de comemorações. Um quartel aberto na freguesia, um simulacro e um convívio com a população fazem parte da programação. Com o quartel aberto, a Associação visa transpor, na medida do possível, o quartel para determinado local, neste caso a Branca. O quartel aberto é uma forma de dar a conhecer melhor o trabalho realizado pelos bombeiros. Para às 15:00 horas, está marcado o simulacro que será de um acidente de viação e cerca de uma hora depois, será feita a confraternização através de um lanche convívio.
Bênção da nova viatura
No domingo, dia 6 de Abril, os festejos começam cedo, pelas 9:00 horas, com a recepção aos convidados e formatura geral. Cerca de 15 minutos depois, decorrerá a imposição de condecorações, e às 9:30 horas, a sessão solene. Uma hora mais tarde, pelas 10:30 horas, será feita a romagem ao Monumento do Bombeiro e às 11:00 horas será celebrada uma missa solene. Pelas 12:30 horas, a Alameda 5 de Outubro é o palco para a bênção de uma nova viatura (ABSC-1), tal como aconteceu no ano passado, sendo já uma tradição da Associação inaugurar um novo veículo sempre que a corporação comemora o seu aniversário.

Incêndio perto do edifício dos Correios alertou para a necessidade da criação de um corpo de bombeiros

A primeira notícia de que temos conhecimento sobre o combate a incêndios em Albergaria-a-Velha, remonta a 3 de Agosto de 1909. A Câmara Municipal decidiu “adquirir uma bomba para extinção e incêndios, bem como uma sineta para dar alarme, quando preciso, que será colocada nos paços do Concelho”, em virtude de um pequeno incêndio que ocorrera no edifício dos Paços do Concelho.

Grupos Especiais e os Grupos de Intervenção dignificam Bombeiros de Albergaria-a-Velha
Na emergência, o treino faz a diferença. É com este lema que os Bombeiros de Albergaria realizam diversos simulacros e testam a sua operacionalidade de forma a garantir respostas rápidas e eficazes. Para isso, foram criadas equipas especiais capazes de responder a qualquer tipo de situação. Além dos Grupos Especiais, a corporação de Albergaria conta com quatro Grupos de Intervenção: Grupo de Emergência Pré-Hospitalar (GEPH), Grupo de Primeira Intervenção (GPI), Grupo de Primeira Intervenção Helitransportado (GPIH) e Grupo de Manobras, Honras e Continências (GMHC).

2008 é o Ano Nacional do Voluntariado nos Bombeiros

Ao longo dos 140 anos da sua existência, o movimento das associações humanitárias de bombeiros voluntários registou um grande crescimento, um pouco por todo o país.
Actualmente, existem 436 associações deste tipo no Continente e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, congregando nas suas fileiras cerca de um milhão e duzentos mil portugueses, entre associados, dirigentes e bombeiros voluntários.

80% do socorro prestado

De acordo com a Liga dos Bombeiros Portugueses, “estas instituições são anualmente responsáveis por 80% da totalidade dos actos de socorro prestados à população”. No passado dia 13 de Agosto de 2007 foi publicado no Diário da República o Regime Jurídico das Associações Humanitárias de Bombeiros, abrindo um novo ciclo na actividade e na história destas instituições e do voluntariado que mobiliza.
Ao promover a comemoração do Ano Nacional do Voluntariado nos Bombeiros, a Liga dos Bombeiros Portugueses “pretende conciliar os valores humanistas de que o voluntariado é depositário com a modernidade que o desafia”.

Albergaria vai ser palco de um encontro nacional de cães de busca e salvamento
É já nos dias 12 e 13 de Abril que Albergaria vai receber o 1.º Encontro de Trabalho com Cães de Busca e Salvamento, uma organização dos Bombeiros Voluntários de Albergaria-a-Velha. Criar um clima de trabalho saudável entre os diversos participantes e propiciar a troca de experiências entre as diversas formações presentes (GNR, PSP e outras) são alguns dos objectivos de acordo com a organização que garante características únicas ao evento.
“O que acontece na maior parte dos encontros nacionais é que há muita teoria. Aqui haverá teoria, através das palestras, mas também haverá treino em situação real. A ideia é pôr em prática um teste operacional surpresa, o que nunca foi feito em Portugal”, explica o Chefe Bandeira, da organização e responsável pela Unidade Canina de Albergaria.

(Leia o especial sobre o 83.º Aniversário dos Bombeiros de Albergaria-a-Velha na íntegra na edição da 1.ª quinzena de Abril do Beira Vouga)


Fonte: