O primeiro tipo tornou-se popular há alguns anos e causou polémica entre dermatologistas. A tonalidade morena é adquirida por meio de câmaras que emitem raios ultravioletas (componentes presentes no sol que causam o bronzeado). Dentre estes raios, 98% são de ultravioleta A e 2% de ultravioleta B.


Anos atrás, pesquisas apontavam que o responsável pelo cancro de pele era o UVB, justificando assim, poucos riscos envolvidos neste tipo de bronzeamento. No

Nas camas de bronzeamento predominam os raios UVA filtrados. O bronzeamento adquirido fica uniforme, a pele não descasca nem fica vermelha. A incidência de irradiação UVB é de apenas 0,7% à 1,4%, que é o responsável pelo eritema (vermelhidão) e provoca 100 vezes mais variações de DNA que o UVA. As peles bronzeadas estão mais protegidas contra as agressões do sol, Prevenindo queimaduras e a formação de radicais livres.


Normas e procedimentos de segurança:

- Controle do tempo de exposição de acordo com o tipo de pele
- Proteção dos olhos com óculos especiais
- Ficha de anamnese (para detectar possíveis contra-indicações ao bronzeamento artificial)
- Intervalo entre as sessões
- Número de sessões anuais permitidas
- Hidratação da pele

Vantagens:

- Bronzeado uniforme, gradativo e duradouro
- Controle do tempo de exposição
- Relaxamento físico e mental
- Estimula a síntese de vitamina D (osteoporose)
- Aumenta as defesa naturais do organismo, previnindo resfriados e reumatismo
- Tratamento de acne, psoríase e vitiligo
- Estimula o hormônio sexual