1. #1
    Avatar de ZON
    Registo
    Sep 2006
    Idade
    25
    Posts
    1.792

    Padrão Pneus (parte 1 e 2)

    Pneus (parte 1)

    Os pneus são os únicos componentes de um carro que estão em contacto com o solo. Daí que o comportamento do carro esteja intimamente ligado às performances dos pneus. Em termos de segurança são um elemento importantíssimo ao qual se deve dar a devida atenção. A verificação da profundidade do piso, de desgastes anormais e da pressão são alguns dos cuidados a ter periodicamente. Os pneus quando são projectados, são feitas várias concessões a nível de performance em seco e molhado, borracha de composto mais mole ou mais duro, melhor conforto ou mais performance, etc. Por estas razões nem todos os pneus são iguais e têm um desempenho bom em todas as situações. Um pneu mais confortável tem um perfil alto e dobra em curva quando sujeito a grandes esforços. Um pneu mais desportivo tem um perfil mais baixo e dobra menos em curva, o conforto normalmente é pior. Um pneu pode ser muito bom em piso seco, com grande poder de tracção e ter uma profundidade de piso pequena, mas esse pneu em molhado será uma desgraça! Uma borracha mais macia vai ter mais poder de tracção mas normalmente gasta mais rápido. Na escolha de um pneu, e por isso necessário escolher aquele que se adaptará melhor ao tipo de condução e condições de utilização que se lhe vai dar. O conjunto jante + pneu é muito importante por isso não dispense a leitura do artigo sobre jantes.

    Marcas laterais

    Quantos de vós já reparam bem nas inscrições laterais de um pneu? Existem sem dúvida muitos números e letras, mas o que significam? Tomemos como exemplo um pneu comum. Na leteral poderemos ver em grande destaque, para além da marca do pneu, as medidas do mesmo, ex:

    185/60 R14 82 H a informação que isto traduz é:
    185 é a largura do pneu em milímetros.
    60 é o aspect ratio em % (a altura do pneu a dividir pela largura)
    R tipo de construção, neste caso Radial ( D=diagonal ; B=belted)
    14 diâmetro da jante em polegadas
    82 índice de carga
    H índice de velocidade

    Outros códigos...
    DOT DVDE MTA 129: significa que este pneu satisfaz os requisitos do Departament of Transportation dos E.U.A (DOT)
    129 é a data de fabrico; 12 é o mês-Dezembro e 9 o ano-1999.
    Aspect Ratio(%)= altura/largura*100
    Indice de velocidade

    Todos os pneus têm uma letra que indicam a velocidade máxima para que o pneu foi desenvolvido. Se for ultrapassado este valor de velocidade uma ou outra vez não haverá problema, mas não se deverá rodar frequentemente numa velocidade superior ao que foi especificado para determinado pneu. A seguinte tabela mostra a letra do índice de velocidade e a velocidade máxima para que foi desenvolvido em km/h e mph.

    Indice de carga

    Todos os pneus têm uma indicação do índice de carga, que corresponde ao peso máximo suportado sobre cada pneu.

    Pressão dos pneus

    Os pneus suportam o peso do veículo, certo? bem, na realidade é a pressão do ar dentro dos pneus que suportam esse peso! Rodar com a pressão correcta em todos os pneus é, por isso, muito importante. Se a pressão não for idêntica em pneus do mesmo eixo pode levar a um comportamento anormal do carro. A pressão correcta para os pneus pode ser encontrada no manual do carro. Rodar com pressões baixas nos pneus pode provocar aquecimento excessivo e provocar a destruição prematura do pneu. Também não se deve ultrapassar a pressão máxima permitida por cada pneu. Se for alterada as medidas dos pneus, pode ser necessário alterar a pressão dos pneus. Deve-se verificar a pressão periodicamente pois as alterações climatéricas ou pequenos furos podem provocar alterações.
    Se os pneus têm mais tendência para gastar no centro, isso pode significar uma pressão excessiva. Se gastarem mais dos lados pode ser devido ao uso dos pneus com uma pressão muito baixa. A pressão dos pneus deve ser sempre verificada com os pneus frios, caso contrário, o calor do ar no interior pode levar a uma indicação errada. A pressão dos pneus pode ser ajustada para modificar o comportamento do carro tornando-o mais sub-virador ou sobre-virador.

    Superfície de contacto

    A forma da superfície de contacto do pneu com o asfalto influência e determina as performances e comportamento do mesmo. Essa superfície de contacto é dependente do perfil ou aspect ratio do pneu. Os pneus de baixo perfil tem uma superfície de contacto curta mas larga o que facilita a resposta do carro às ordens do condutor, o handling, a estabilidade em curva e a tracção, especialmente com piso seco. Os pneus de alto perfil têm uma superfície de contacto longa e estreita o que ajuda a proporcionar um comportamento previsível, mais confortável e têm melhor tracção na neve.

    Equilibragem dos pneus

    O pneu correctamente equilibrado é aquele em que as massas estão distribuídas uniformemente sobre o eixo de rotação, ou ainda, o centro de gravidade está posicionado no centro de rotação. Um pneu bem equilibrado pode ser a diferença entre uma condução confortável ou não. Um pneu mal equilibrado causa vibrações desnecessárias que diminuem a vida útil dos pneus e de outros componentes da suspensão. Se existir uma vibração no volante dependente da velocidade, que se pode notar a partir dos 80km/h, pode ser devido a um pneu mal equilibrado ou mesmo ao facto de não ser completamente redondo devido a uma travagem brusca ou a buracos na estrada. Os pneus devem ser calibrados periodicamente.

    Rotação dos pneus

    Os pneus do eixo onde o carro tem tracção poderão ter maior tendência para gastar mais depressa. Pode também verificar-se um gastar não homogéneo em toda a superfície dos pneus deverá verificar-se a pressão e se possível fazer uma rotação dos pneus. É necessário ter em atenção que alguns pneus de alta performance são assimétricos e não podem ser montados em qualquer posição sendo necessário respeitar o sentido de rotação.





    Quem é Zon esta ON!!!!!!!

  2. #2
    Avatar de ZON
    Registo
    Sep 2006
    Idade
    25
    Posts
    1.792

    Padrão Pneus (parte 2)

    Pneus (parte 2)

    Tuning

    Quando se pretende fazer alterações ao conjunto jante + pneu normalmente opta-se por uma operação plus 1 ou plus 2, o que significa aumentar o diâmetro da jante em 1 ou 2 polegadas e consequentemente diminuir a altura do pneu. As larguras dos pneus usados neste caso são maiores o que traz vantagens em termos de tracção, distâncias de travagem e grip, mas por outro lado a maior largura pode significar uma maior aptidão para o aquaplanning. Mas quase sempre quando se opta por estas medidas mais extremas tem se acesso a pneus topo de gama que não estão disponíveis nas medidas mas normais e que tem comportamentos bons em quase todos os tipos de circunstâncias.
    Normalmente os pneus topo de gama em termos desportivos estão disponíveis em perfis inferiores ao 50. O preço dos pneus também sobe em flecha quando se aumenta o seu diâmetro e se baixa ao perfil. Muitas vezes há medidas mais comuns, mesmo para jantes de grande diâmetro, que por serem mais comercializaveis, tem um custo menor. Outro aspecto que cada vez tem mais importância é o aspecto do pneu e a tecnologia envolvida no seu fabrico. O desing dos pneus não é obra do acaso. Já houve casos de grandes estilistas projectarem o aspecto dos pneus como o caso destes Vredestein da imagem que foram desenhados por Giugiaro ou os mais recentes Ultrac Sessanta.

    Tem por hábito vigiar o estado dos seus pneus? Sabe ler as indicações que o desgaste desigual no piso dos pneus traduz? Já pensou nos problemas que pode evitar se estiver atento pneus do seu carro?
    Não é preciso ser técnico para perceber se o seu carro está realmente em forma. Aquele barulho que ouve e não sabe identificar, será que através dos pneus conseguirá saber a origem? Pois é, muitas vezes pensamos nos pneus como “aquelas coisas redondas e pretas” que nos ligam ao solo. Mas se tiver alguma atenção e cuidado, verá que além de evitar trocas dispendiosas pode descobrir que outras coisas estão mal no seu carro.

    Desgaste no centro

    O desgaste excessivo no centro do pneu é atribuído, normalmente, a um excesso de pressão. Evitar esse problema é fácil: basta olhar para o manual de instruções e semanalmente verificar a pressão dos pneus. Nunca exceda a pressão máxima admitida, pois assim não deixa que os flancos contactem o piso, esforçando sem necessidade o centro do pneu.

    Desgaste nos ombros

    Falta de pressão é a causa normal para o desgaste dos ombros e flancos dos pneus. Pode suceder que uma condução demasiado agressiva possa levar ao desgaste prematuro. A falta de pressão leva a um esforço exagerado nos flancos deixando o centro sem utilização.

    Desgaste num só lado

    Quando se observa desgaste anormal apenas num dos lados do pneu, isso é causado por mau alinhamento da direcção, juntas homocinéticas desgastadas ou peças de suspensão a precisar de substituição.

    Desgaste assimétrico

    Assim que verificar um desgaste assimétrico no piso do pneu (por exemplo, de um lado liso, do outro enrugado) isso significa que anda demasiado depressa para o índice de velocidade do pneu ou então que existe um mau alinhamento do caster e do camber.

    Golpes ou buracos

    Se isto suceder nos seus pneus isso significa que a suspensão está severamente afectada e que precisa de reparação rápida.

    Desgaste localizado

    Quando por qualquer motivo realizamos uma travagem de pânico num carro sem ABS, o pneu fica, diz-se na gíria, “quadrado”. Nestas situações, evite prolongar a vida do pneu, pois a única solução segura para este caso é a substituição.

    Desgaste anormal

    Pequenas zonas sem piso ou áreas do pneu com desgaste anormal apenas num dado local, podem significar que o pneu está mal calibrado. Se à frente é fácil perceber que isso sucede pela sensação na direcção, os pneus traseiros necessitam de maiores cuidados, pois são é mais difícil descortinar um desequilíbrio.

    Bolhas no piso ou na parede latera

    Estas são causadas por pancadas secas dadas em buracos, passeios ou outros obstáculos e regra geral, obrigam a troca do pneu. Não confie num pneu com esta anomalia, pois pode rebentar e provocar um acidente. É fundamental vigiar com atenção os pneus em busca deste problema.
    Além de tudo isto, recomendamos que monitorize o estado do piso, a altura das ranhuras de escoamento de água e faça a rotação dos pneus nos períodos recomendados pelo fabricante.





    Quem é Zon esta ON!!!!!!!

  3. #3

    Registo
    Mar 2008
    Posts
    31
    Última edição por neca79; 10-12-2013 às 10:54.

  4. #4

    Registo
    Dec 2015
    Idade
    28
    Posts
    12
    Falta o treadwear, que indica se é um pneu duro ou macio, mais ou menos duradouro e reverte em mais ou menos grip.

  5. #5

    Registo
    Oct 2006
    Idade
    41
    Posts
    93
    Tabela de Indice de Velocidade
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         indicevelocidade.jpg
Visualizações:	7
Tamanho: 	41,2 KB
ID:      	144193

    Tabela de Indice de Carga
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         indice carga_001.jpg
Visualizações:	7
Tamanho: 	249,6 KB
ID:      	144194
    Última edição por npgomes; 14-12-2015 às 16:33.

Tags para este Tópico

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •  

Conectar

Conectar