Em Parada, uma pequena freguesia do concelho de Vila do Conde, sem que ninguém o autorizasse, nem a Câmara nem a diocese, a Igreja da aldeia com cerca de dois séculos foi demolida.



A fachada da Igreja está intacta, assim como a parte traseira. O problema é que no meio existe um buraco, cheio de pedras amontoadas.

O caso vai chegar a tribunal. O presidente da Junta de Freguesia, diz que vai entregar uma queixa ao Ministério Público e que há muito pedia um restauro da Igreja.

Um grupo de paroquianos mostrou-se contra este projecto e resolveu tomar a resolução de destruir o local pelas suas próprias mãos, porque reivindicam uma Igreja nova, explicou em declarações à TSF, o responsável pela Junta, Aníbal Pereira.

Paulo Campos é uma das pessoas a favor da demolição, embora negue que tenha sido da autoria dos populares a ideia de deitar abaixo a Igreja, que considera «pouco estética».

«Foi tudo uma confusão», garante Paulo Campos, adiantando que a população desconhecia o projecto de remodelação da Igreja.

TSF