O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, anunciou nesta quarta-feira (15), em Bruxelas, a intenção de vetar o plano de acção europeu contra as mudanças climáticas devido ao seu custo e à crise financeira.

"Manifestei a minha intenção de utilizar meu veto. A Polónia está connosco", declarou Berlusconi, na reunião de cúpula de líderes da UE (União Europeia).

"Nossas empresas não estão em condições, hoje em dia, de suportar os custos da regulamentação proposta", disse o político italiano.

A perspectiva de recessão económica reabriu o debate na União Europeia sobre a conveniência de se manter seus objectivos na luta contra as mudanças climáticas.

Em 2007, os líderes europeus concordaram em reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa em 20% antes de 2020. Além disso, se comprometeram a fazer com que as energias renováveis representem 20% do total das fontes energéticas.


.