Deposição de areia na Costa da Caparica termina hoje

A alimentação artificial com areia de oito praias da Costa de Caparica, iniciada há mais de dois meses para contrariar a erosão costeira, termina hoje, numa acção acompanhada pelo ministro do Ambiente, Francisco Nunes Correia.

A deposição de areias, inserida no Programa Polis, começou a 11 de Agosto na Praia da Saúde e Praia Nova e a sua conclusão, que estava inicialmente prevista para o passado dia 19, ocorre hoje, disse fonte do Ministério. Este atraso deveu-se às «severas restrições» durante a realização dos trabalhos, causadas pela existência de ondulações superiores a dois metros.

A intervenção abrangeu as praias da Saúde, Nova, do Dragão Vermelho, do Paraíso, Tarquínio, do CDS, de Santo António e de São João.

A alimentação artificial das praias teve como objectivo contrariar a tendência erosiva, através do seu reforço com um milhão de metros cúbicos de areia, vindos do chamado «Banco do Bugio» da barra do porto de Lisboa.

Esta foi a segunda fase de requalificação das praias da Costa de Caparica, uma zona particularmente atingida pelo avanço do mar, que no Inverno de 2007, durante as marés-vivas, chegou a romper o paredão de rochas na zona da praia de São João.

A primeira intervenção, entre Julho e Setembro do ano passado, incidiu entre as praias do Primoroso e a praia do Inatel, numa obra que se prolongou por um mês e meio, e que colocou nos areais da Costa de Caparica 500 mil metros cúbicos de areia.

De acordo com o projecto inicial, o procedimento deverá repetir-se anualmente até ser alcançado o valor inicial apontado para este reforço das praias com areia: três milhões de metros cúbicos de areia.

A alimentação artificial das praias teve este ano um custo total de 5,6 milhões de euros, valor suportado pelo Instituto da Água e Administração do Porto de Lisboa.


Diário Digital / Lusa