Cientistas criam tomate roxo que previne o cancro

O tomate, concebido em laboratório, possui o mesmo antioxidante encontrado nas amoras, que previne o desenvolvimento de células cancerígenas.

«Este é o primeiro organismo geneticamente modificado com um elemento que realmente oferece um benefício potencial a todos os consumidores», disse Cathie Martin, citada pela BBC.

A especialista integra o grupo de cientistas do John Innes Centre, em Norwich, Inglaterra, que desenvolveu o fruto.

O tomate deve a sua cor roxa aos genes da planta boca-de-dragão, rica em antocianina, um pigmento natural presente nas amoras.

Os investigadores testaram o alimento em ratos criados para serem suscetíveis ao cancro e concluíram que os animais viveram mais tempo, em relação aos que comeram tomates vermelhos.

O próximo passo será, agora, testar o fruto em humanos, para concluir se é eficaz na prevenção da doença.

A pesquisa foi publicada na revista científica Nature Biotechnology.




ciberia