Suspeito de violação de menina está em prisão preventiva
Poucas horas depois do alegado crime de violação sexual de uma menina de oito anos de Cantanhede ( Coimbra ) , como ontem o nosso Jornal noticiou, o presumível autor do acto criminoso foi “apanhado” pela Polícia Judiciária de Coimbra. Eram 23h00 da noite de quinta-feira, quando os inspectores da PJ foram à freguesia de Outil deter Jaime, de 30 anos, que reside naquela localidade em casa da mãe. O automóvel do alegado violador utilizado para a prática do crime, um BMW de cor preta, foi apreendido na ocasião pelos investigadores. O suspeito, que também vive em
união de facto com uma rapariga de 20 anos, é operário numa fábrica de torneiras sedeada na zona industrial de Cantanhede, não tem antecedentes criminais e, de acordo com o que apuramos, ninguém na freguesia onde reside suspeitava que tivesse instintos de predador sexual. Freguesia onde, ontem, diga-se, não se falava noutra coisa!
«Sei que é um indivíduo que trabalha em Cantanhede, não frequenta os cafés da freguesia, é pouco visto por aqui, mas toda a gente já fala nesse hediondo crime», disse ao nosso Jornal um morador daquela localidade que conhece «toda a família» do alegado violador.
Para a rápida detenção do suspeito (cerca de 10 horas depois do crime), os inspectores da Polícia Judiciária contaram com a preciosa ajuda da vítima, a menina de oito anos, que, de acordo com fonte da PJ, «revelou-nos pormenores cruciais», descrevendo as características da viatura e do próprio abusador sexual, levando os investigadores a Outil, onde encontraram a viatura e o suspeito. Com o efeito surpresa na altura da detenção, o alegado violador não esboçou qualquer tipo de resistência.
O Diário de Coimbra sabe, também, que a menina abusada e a mãe estiveram ontem pela manhã nas instalações da Directoria de Coimbra da Polícia Judiciária para um reconhecimento formal do suspeito. Ou seja, o alegado violador foi colocado numa sala “misturado” com outros seis indivíduos e a criança, na sala oposta separada por um vidro espelhado «apontou de imediato e sem hesitações o homem que lhe terá feito mal».

Metida na mala à força
O suspeito terá estudado os passos da menina dias antes do alegado crime. Ao ter a certeza de que a criança ia para a escola sozinha (reside a poucos metros da EB 1 Sul, que frequenta, perto do Centro de Saúde de Cantanhede), esperou uns metros antes do estabelecimento de ensino e abordou-a. A criança terá reagido mal e Jaime, apurou o DC, agarrou-a e meteu-a dentro da mala do carro, transportando-a para um local (quase) ermo, nas traseiras de uma urbanização na zona Sul de Cantanhede, praticando aí o abuso sexual.
Depois de satisfeitos os seus instintos libidinosos, o suspeito abandonou a menina, que se dirigiu para a escola em pânico, motivando a desconfiança do seu professor, que alertou a mãe e a enviou para o Centro de Saúde, como o nosso Jornal ontem noticiou. A partir daqui, a Directoria de Coimbra da PJ tomou conta das investigações e, em poucas horas, o violador foi apanhado. O BMW que utilizou para a prática do crime, apreendido, também foi crucial.
«A menina detalhou ao pormenor todo o interior da mala do carro onde foi metida, descreveu alguns objectos que ali (mala) estavam, e quando fizemos a inspecção ao veículo tudo batia certo», disse fonte da PJ ao nosso Jornal. Pormenores e objectos que a vítima não podia “adivinhar”, uma vez que o suspeito «é desconhecido da família, da própria criança, e esta nunca tinha visto o carro antes», revelou a nossa fonte, adiantando, ainda, que o suspeito além do crime de violação sexual incorre, igualmente, no crime de sequestro. Jaime passou ontem toda a tarde no Tribunal de Cantanhede, onde foi ouvido por um juiz de instrução criminal, num interrogatório que se prolongou até cerca das 23h00. O suspeito vai aguardar julgamento, por ordem do Tribunal, em prisão preventiva.

in D.Coimbra.