A relação entre Elvira e Eusébio Mata já não andava boa. Ontem de manhã acabou à facada. Em sua casa, no Prior Velho, Loures, Eusébio perdeu a cabeça e deu 15 facadas à mulher, depois de ela lhe ter contado que estava grávida de três meses (alegadamente de um amigo de Eusébio) e que ia sair de casa. Isto em frente às duas filhas do casal.

Segundo contaram os vizinhos ao CM, Elvira andava com um amigo de Eusébio. "Ela até já tinha arrendado casa em Camarate e ele [o amante] já tinha uma chave", disse um dos vizinhos. Ao contar a Eusébio que estaria grávida de três meses e que ia sair de casa, o homem perdeu a cabeça e deu-lhe as 15 facadas. Em pânico, as filhas correram para a rua a pedir socorro. "A mãe morreu, a mãe morreu", gritavam. Elvira conseguiu chegar à rua e pediu aos taxistas para a levarem ao hospital, o que foi recusado por todos, contaram os moradores. Eusébio também saiu de casa, ainda com a faca na mão, que deixou cair na rua, e foi entregar--se a um agente da PSP de serviço num supermercado próximo.

"Ela tinha um buraco no tórax, outro debaixo do seio e um risco ao longo do peito", contou ao CM um vizinho que viu a mulher a pedir socorro na rua. Foi levada para o Hospital de Santa Maria às 12h00 e ao final do dia, segundo fonte policial, a sua situação era "estável".

VIZINHOS SURPREENDIDOS COM A VIOLÊNCIA

Todos os vizinhos se afirmam surpreendidos com a atitude de Eusébio. "O senhor era muito simpático. Foi uma surpresa muito grande para mim, até porque nunca ouvi uma discussão entre os dois", refere uma vizinha. Apesar das aparências, a relação não andaria bem pois, segundo outro morador, "um amigo dele andava com a mulher e ela queria separar-se. Foi o amigo que lhe estragou o lar", diz.

Depois de ter esfaqueado a mulher, Eusébio foi para a rua ainda de faca na mão. Deixou-a cair e foi direito entregar-se a um agente da PSP, que fazia serviço num supermercado próximo. "Passámos por ele e nem adivinhávamos o que se tinha passado. Estava muito calmo", asseguram dois moradores que passaram por ele . Eusébio foi entregue à PJ de Lisboa.

"ESTAVA COBERTA DE SANGUE"

Apenas uma vizinha afirma ter ouvido os gritos desesperados de Elvira Mata, que correu para a rua a pedir socorro. O rasto de sangue ainda se mantinha ontem à noite, de um lado e do outro da estrada que fica defronte da modesta casa onde habita. Segundo referiu ao CM um morador, Elvira "estava coberta de sangue, a pedir auxílio aos taxistas" que param naquela rua. Elvira teve, no entanto, de aguardar pelo INEM para seguir para o Hospital de Santa Maria.

PORMENORES

VIZINHA GUARDOU FACA

Pouco passava das 19h30 quando a PJ foi buscar a arma do crime, uma faca que ficou caída na rua e que tinha sido entregue a uma vizinha por uma das filhas de Eusébio.

CASAL DAVA-SE "BEM"

Os vizinhos asseguram que nunca ouviram uma discussão entre o casal, que se dava "bem".

FILHOS EM CASA

Em casa estavam as duas filhas do casal, menores, e duas filhas de Eusébio, maiores e fruto de uma relação anterior. Terão presenciado as agressões a Elvira.
Helder Almeida