Santarém: Golpes desferidos em rixa numa pastelaria
Ficou com a faca cravada no pescoço

Um brasileiro, de 21 anos, foi agredido por um compatriota, que lhe deixou uma faca com uma lâmina de vinte centímetros cravada no pescoço, junto à coluna vertebral, em S. Domingos, Santarém. "Ele foi esfaqueado três vezes, na barriga, no ombro e no pescoço, tendo ficado com a faca espetada junto à coluna", contou ontem o dono da pastelaria Aquazul, Fernando Lopes, onde ocorreu a rixa.



De acordo com o relato do proprietário, a equipa do INEM que socorreu a vítima "ainda tentou remover a faca, que tinha uma lâmina bastante grande [20 centímetros], mas acabou por o levar para o hospital sem a retirar. Ele queixava-se muito com dores".

Segundo Fernando Lopes, a agressão ocorreu "numa fracção de segundos", por volta das 13h00 de sábado. As razões do desentendimento entre os dois brasileiros são desconhecidas, mas, segundo algumas testemunhas, estarão relacionadas com a disputa de mulheres ou com a divisão de um prémio do Euromilhões.

"O que foi esfaqueado vinha a fugir e entrou de repente no café, tentando fechar a porta. O que vinha a persegui-lo partiu o vidro com uma joelhada e empurrou-o", explicou Fernando Lopes. De seguida, desferiu os golpes antes que o dono ou algum dos três clientes que estavam no interior tivessem tempo de reagir.

O autor da agressão, que terá cerca de 25 anos, fugiu imediatamente de carro do local, mas está identificado pela PSP de Santarém.

A vítima "permanece ainda internada, mas está fora de perigo", disse ontem o chefe de equipa do Hospital de Santarém, José Lima, que, no entanto, se recusou a adiantar mais pormenores sobre o estado de saúde da vítima.

Ainda no sábado, duas irmãs do brasileiro, que residem em Setúbal, foram ao Hospital de Santarém mas não puderam estar com ele por não receber visitas. "Elas estiveram aqui e contaram que o irmão não sentia as pernas", disse Fernando Lopes.

PORMENORES

VIDRO PARTIDO

A rixa causou um prejuízo de dez euros ao proprietário do café, que teve de substituir o vidro da porta que o agressor partiu.

MORAM NO BAIRRO

Os dois homens residem há vários anos no bairro de S. Domingos, próximo do café.