O emissário norte-americano Richard Holbrooke abandonou hoje Nova Deli, última etapa do seu périplo pelo Sul da Ásia, considerando que os Estados Unidos, a Índia e o Paquistão estão «confrontados com a mesma ameaça», que emana de organizações terroristas.

«Pela primeira vez em 60 anos, desde a independência, o vosso país (a Índia), o Paquistão e os Estados Unidos estão todos confrontados com um inimigo que faz pesar uma ameaça directa sobre os nossos governos, as nossas capitais e as nossas populações», declarou Holbrooke, após uma reunião com o ministro indiano dos Negócios estrangeiros, Pranab Mukherjee, antes de regressar a Washington.

O emissário norte-americano para o Paquistão e o Afeganistão passou toda a semana em Islamabad e Cabul antes de viajar para a Índia no domingo à noite, numa viagem «de informação» pelo sul da Ásia.

Este périplo realizou-se no âmbito da nova abordagem desejada pelo presidente Barack Obama para combater os talibãs e a Al-Qaida, nomeadamente na fronteira entre Paquistão e Afeganistão, a linha de frente «na guerra contra o terrorismo».

Obama prometeu uma nova abordagem na luta contra a revolta dos talibãs no Afeganistão, ligando-a a ataques contra as suas bases e da Al-Qaida nas zonas tribais do noroeste do Paquistão.

Nova Deli considera o Paquistão como «o epicentro do terrorismo» mundial e acusa os serviços de informações paquistaneses de estarem envolvidos na preparação dos atentados de Bombaim, de 26 a 29 de Novembro de 2008 (que provocaram 174 mortos, 26 dos quais estrangeiros e nove suicidas).

Islamabad admitiu quinta-feira que estes ataques foram planeados «em parte» em solo paquistanês e interpôs processos judiciais contra oito «cérebros e organizadores», seis dos quais estão já em prisão preventiva.

Estas medidas foram consideradas «positivas» por Nova Deli, que contudo exigiu do Paquistão que «desmantele as infra-estruturas terroristas» no seu território.

Lusa/SOL