O índice japonês Nikkei encerrou a sessão em mínimo de 26 anos devido ao agravamento da crise económica do país e ao aumento do desemprego nos Estados Unidos, principal mercado de muitas empresas japonesas.

A Honda Motor, que realiza mais de metade das suas vendas na América do Norte, caiu mais de 3%, enquanto a Mazda Motor perdeu 4,4% e a Toyota Motor recuou 2,1%.

O índice Nikkei perdeu 1,2% para os 7.086,03 pontos, o nível mais baixo desde Outubro de 1982. O índice já perdeu um quinto do seu valor desde o início do ano devido à crise económica e financeira.

No passado mês de Janeiro, e pela primeira vez desde Janeiro de 1996, o país registou um défice na conta corrente, revelou esta manhã o Ministro das Finanças do país. O défice atingiu os 172,8 mil milhões de ienes, quando os economistas esperavam um défice de 15,3 mil milhões de ienes.

O mercado bolsita japonês foi ainda penalizado pelos dados do desemprego nos Estados Unidos, revelados na passada sexta-feira. Em Fevereiro, a taxa de desemprego do país atingiu os 8,1%, o nível mais elevado desde Dezembro de 1983.

O sentimento negativo do mercado japonês foi sentido na maioria dos mercados da região. À excepção da Austrália e da Coreia do Sul, todas as outras bolsas encerram em queda.

Jornal de Negócios