Gratificados: Ordem interna do director nacional
PSP não policia sem pagamento


O director nacional da PSP é inflexível. Os comandos distritais, divisões e esquadras da polícia, através dos respectivos comandantes, não devem escalar agentes para efectuar policiamento gratificado se as entidades requisitantes forem devedoras à PSP.



O CM teve acesso a uma ordem interna, datada de 30 de Março e assinada pelo superintendente-chefe Oliveira Pereira, que deixa claro aos oficiais que devem primeiro apurar o "histórico" de requisições de gratificados de cada entidade, "seja ela pública ou privada". "O escalamento de agentes só deve ser feito quando estiverem dadas todas as garantias de que o pagamento será efectuado."

No entanto, depois de a norma interna ter entrado em vigor, continuam a verificar-se desrespeitos à mesma. Um dos quais tem como protagonista o próprio Ministério da Administração Interna (MAI), responsável pelo pagamento dos gratificados dos jogos de futebol das camadas jovens. Fontes policiais dizem ser impossível, para já, quantificar o número de polícias credores do MAI. "A época do futebol jovem começou em Setembro e desde então nada foi pago. Mesmo assim, continua a haver policiamento", disse um responsável.

Fonte oficial do MAI negou ao CM ser "entidade devedora". "A secretaria-geral do MAI é receptora das verbas que lhe são entregues pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e depois distribui-as pela PSP e GNR. A PSP recebeu, já este ano, 311 700 euros para pagamento de gratificados", disse.

Cumpridor da norma foi, ao invés, o comandante do comando da PSP de Faro. O intendente Vítor Rodrigues negou policiamento à Semana Académica do Algarve, enquanto a Associação Académica não pagasse o que devia de anteriores gratificados. O diferendo acabou resolvido após a Câmara de Faro se responsabilizar pelo pagamento da Semana Académica, em Maio.

PORMENORES

ESTRELA DA AMADORA

Outro caso de desrespeito à norma interna da PSP sobre gratificados envolve o Estrela da Amadora. Como o ‘CM’ já noticiou, o clube deve mais de 9 mil euros de policiamento gratificado aos agentes.

PAGOS SÓ TRÊS MESES

Entretanto, já terá regularizado três meses da corrente época, mas continua sem pagar o policiamento feito em 2009. Mesmo assim, continuam a ser escalados agentes para aquele estádio.

DENUNCIAR CASOS

O Sindicato Unificado de Polícia, através do seu presidente, Peixoto Rodrigues, disse ao ‘CM’ que desde o início deste mês "está a reunir todos os casos de desrespeito desta norma interna".

ATENTOS

"Trata-se de uma ordem do director nacional da PSP, e como tal vamos estar atentos às escalas de policiamento feitas pelos comandantes", disse.