Terrorismo: Detenções recentes forçam mudança de estratégia
Duas mulheres à frente da ETA


Os recentes golpes na estrutura directiva da ETA, com a captura de três líderes em menos de seis meses, forçaram o grupo terrorista a mudar radicalmente a sua estratégia. Em vez de um comando único, a ETA dispõe agora de uma liderança militar tripartida, com dois dos cargos principais a serem ocupados por mulheres, facto inédito na história recente do grupo.



Segundo fontes dos serviços de segurança espanhóis contactadas pelo jornal ‘20 minutos’, a nova liderança militar da ETA é formada por Iratxe Sorzábal Díaz, de 37 anos, Izaskun Lesaka Arguelles, de 33, e Iurgi Mendinueta, de 27 anos. As duas primeiras, apesar de pertencerem à ETA há vários anos, não têm muita experiência na luta armada, facto que, segundo as fontes citadas pelo ‘20 minutos’, prova o "desespero" do grupo terrorista, que nos últimos seis meses perdeu três líderes. O primeiro a cair foi Garikoitz Aspiazu, mais conhecido como ‘Txeroki’; o seu sucessor, Aitzol Iriondo Gurbitz, foi preso poucos meses depois; finalmente, na semana passada, foi a vez de Jurdan Martitegi Arlas, o sucessor do sucessor de ‘Txeroki’.

APRENDER COM OS ERROS

Após a captura deste último, a ETA decidiu mudar a sua estrutura organizativa, distribuindo a liderança militar por três pessoas, para evitar que a captura de uma delas deixe o grupo sem líder. "A ETA aprende com os seus erros. Além de já não ter ninguém com peso suficiente para liderar sozinho o aparelho militar, decidiu criar uma espécie de liderança colegial, para que a queda de um dos seus membros não deixe decapitado o aparelho militar", afirmaram as fontes citadas pelo ‘20 minutos’.

ESPANHA E FRANÇA REFORÇAM LUTA ANTITERRORISTA

Os bons resultados da cooperação franco-espanhola na luta contra a ETA levaram as autoridades de Madrid e Paris a reforçar essa colaboração e a alargá-la a outras áreas. Nesse sentido, o primeiro-ministro espanhol José Luis Zapatero e o presidente francês Nicolas Sarkozy assinam hoje em Madrid um protocolo para a criação de um Comité de Coordenação Estratégica e Operacional, que não só reforça a cooperação na luta contra a ETA, mas alarga-a também ao combate ao crime organizado e ao narcotráfico, entre outras áreas.

PORMENORES

INEXPERIENTES

Iratxe Díaz e Izaskun Arguelles são relativamente inexperientes. A primeira esteve ligada às organizações de juventude pró-ETA Jarrai e Segi. Já a segunda fez parte das Gestoras Pro Amnistía, associação de apoio aos presos etarras.

BUSCAS EM FRANÇA

Mais de 250 polícias continuavam ontem a passar a pente-fino o bosque de Moulins-Englbert, no centro de França, para tentar localizar dois etarras fugidos.