Simulação do gelo pentagonal (branco e vermelho) sobre a superfície plana de uma placa de cobre (marron).[Imagem: LCN]
A água normalmente cristaliza-se - torna-se sólida - na forma de anéis hexagonais, mas cientistas da Universidade de Liverpool, na Inglaterra, descobriram um cristal de gelo que desafia essa normalidade, gerando estruturas pentagonais.
Muito além de uma mera curiosidade científica, a descoberta poderá abrir novas formas de manipulação do clima, sobretudo para a aspersão das nuvens com materiais que façam chover ou para dispersar neblinas.
Cristalização da água
Os momentos iniciais da solidificação da água representam um elemento vital na formação das nuvens na atmosfera e no início de sua precipitação na forma de chuva.
Analisando a cristalização da água sobre uma placa de cobre, os cientistas conseguiram acompanhar sua mudança de fase em escala molecular. Foi assim que eles descobriram uma estrutura atômica unidimensional construída com anéis pentagonais, em vez das tradicionais estruturas hexagonais, extensamente observadas em cristais de neve.
"A água é um material que está por toda parte e é central para muitos processos biológicos e reações químicas, mas sua influência é frequentemente indireta e difícil de entender. A água normalmente forma arranjos hexagonais, como aqueles observados em flocos de neve, mas nossa pesquisa demonstrou que a intrincada estrutura do gelo em nanoescala pode ser realmente construída com pentágonos unidimensionais," diz o professor Andrew Hodgson.
Fazendo chover
A descoberta poderá permitir o desenvolvimento de novos materiais para aspersão sobre as nuvens para gerar chuva ou para dispersar cerrações e neblinas ao redor de aeroportos.
As substâncias atualmente disponíveis para essa finalidade foram projetadas para se ligarem ao gelo hexagonal, mas esta nova pesquisa sugere que o processo pode ser mais eficiente se o material se ligar também a estruturas pentagonais.