O útero ainda não está suficientemente grande para ser notado exteriormente, mas a grávida já poderá reparar que as roupas não lhe servem. A pele pode começar a secar e a possibilidade de surgirem estrias aumenta, sobretudo nos seios, abdómen, coxas e ancas. Não há como preveni-las totalmente, mas a adopção de um hidratante poderá ajudar. Por outro lado, é importante beber muita água e seguir uma alimentação saudável.
Quanto ao bebé, por volta da 13ª semana de gravidez, tem um rosto cada vez mais humano. Os olhos começam a juntar-se, e o mesmo acontece com as orelhas.
Os intestinos, que faziam parte do cordão umbilical, deslocam-se para a cavidade abdominal.
Começam também a formar-se as cordas vocais.

14ª à 18ª semana

A 14ª semana de gestação é um marco muito importante, porque assinala o final de um período crítico no desenvolvimento do bebé. Com efeito, apesar de ele ter apenas 9 cm e pesar cerca de 14 g, todas as estruturas básicas do corpo estão formadas.
Por esta altura, ele irá começar a ensaiar movimentos respiratórios de inspiração e expiração. Nos dedos tem já as suas impressões digitais e as suas mãos tornam-se mais funcionais, pelo que começará a aprender a movimentá-las.
Pela 15ª semana, a sua pele fina e transparente estará coberta de uma pelugem ultra-fina (lanugo), que irá continuar a crescer até à 26ª semana.
Através dos impulsos cerebrais, o bebé começa também a exercitar os músculos faciais, a revirar os olhos e a fazer caretas. Por outro lado, já começou a desenvolver a habilidade de agarrar e poderá ser capaz de chuchar no dedo.
O bebé continua a inspirar e expirar líquido amniótico, o que ajuda a desenvolver os alvéolos dos pulmões. O sistema circulatório estará bem desenvolvido, os ossos cada vez mais fortes e as pernas e os braços cada vez maiores.
Nesta altura, e devido ao bom desenvolvimento do diafragma, o bebé poderá ter soluços, que a mãe sentirá como movimentos súbitos e repetitivos. Embora continue de pálpebras fechadas, é possível que ele se aperceba da luz.
À 18ª semana, as feições humanas estão completas. Nas meninas, o útero e as trompas de Falópio estão formados, e nos meninos os genitais são já perceptíveis, embora possam estar escondidos durante as ecografias.
No que diz respeito à mãe, esta pode notar que as veias dos seios estão mais dilatadas e visíveis e que as aréolas dos mamilos estão maiores e escuras.
Entre a 16ª e a 17ª semana, é cada vez mais provável que comece a sentir os movimentos do bebé. Apesar disso, são sensações muito ténues e podem até confundir-se com gases intestinais.
Entretanto, e à medida que o útero estica, é possível que ocorram pontadas no abdómen, causadas pelos estiramentos dos músculos. Apesar de naturais, se forem intensas e persistentes, dever-se-á alertar o médico.

19ª à 23ª semana
Na 19ª semana o bebé já deve pesar cerca de 250 g e medir 15 cm. Nesta fase, uma ecografia já poderá identificar o sexo, embora seja mais seguro fazê-lo entre a 20ª e 24ª semana de gestação.
Os braços e as pernas são agora mais proporcionais e os rins continuam a produzir urina. Começa também a crescer algum cabelo. Esta fase é marcada pelo desenvolvimento dos
sentidos: o cérebro do bebé começa a definir áreas especializadas para o cheiro, o paladar, a audição, a visão e o tacto. De facto, o bebé começa a ouvir tudo o que se passa à sua volta, nomeadamente a voz da mãe, o sangue dela a correr, a sua respiração, batimentos cardíacos e ruídos do estômago. Forma-se a vérnix caseosa, uma substância de cor branca que protege a pele do bebé, e às 21 semanas o bebé já produz mecónio, as suas primeiras fezes quando chegar ao mundo exterior.
Entre a 22ª e a 23ª semana, o corpo do bebé - com cerca de 350 g e 20 cm - está cada vez mais proporcional e tem aspecto de um recém-nascido em miniatura. Começam a nascer as primeiras sobrancelhas, assim como as unhas. Os lábios tornam-se mais nítidos e começam a surgir os primeiros sinais de dentes. Os olhos do bebé já estão formados, mas a íris ainda não tem a pigmentação. A cor definitiva dos olhos, aliás, só acontece aos 3 meses de idade.
Durante estas semanas, o bebé ganhará tecido gorduroso, tornando-se mais rechonchudo. Desenvolve-se também o pâncreas, que produzirá hormonas após o nascimento.
O volume do útero já estará por cima do umbigo, pelo que a mulher começa a revelar uma barriguinha bem visível. A partir da 20.ª semana, ele irá subir cerca de 1 cm por semana, começando a empurrar os pulmões para cima e a barriga para a frente, o que pode fazer com que o umbigo fique saliente. Pode-se também formar uma linha escura entre os pêlos púbicos e o umbigo, que só irá desaparecer depois do parto.
Periodicamente, algumas mulheres poderão sentir o útero a contrair ou a barriga a endurecer. São as chamadas contracções de Braxton Hicks, que são perfeitamente normais, indolores e acontecem em intervalos irregulares. É apenas um sinal que o corpo da mulher está a preparar-se para o grande dia. De qualquer forma, se surgirem mais do que 4 vezes por hora é imperativo contactar o médico.
De salientar ainda que, a partir da 23ª semana a grávida poderá começar a engordar entre 300 g e 400 g por semana.

24ª à 28ª semana
Quando atinge as 24 semanas, o bebé já tem hipóteses de sobreviver fora do útero, com assistência médica adequada. Contudo, o seu sistema respiratório ainda está em desenvolvimento.
Com efeito, às 25 semanas, os vasos sanguíneos dos pulmões estão ainda em franco crescimento e na semana seguinte acabam de se formar os alvéolos.
Os pulmões continuam também a produzir surfactante, que permitirá que o bebé respire à nascença. Paralelamente, o cérebro continua a aperfeiçoar as zonas que controlam os sistemas visual e auditivo.
O bebé continua a acumular ainda mais gordura, adquire o pigmento que atribui cor à pele e apresenta um sentido do paladar bastante desenvolvido.
À 27ª semana pesa cerca de 1 kg e mede cerca de 30 cm. O sentido da audição está desenvolvido e os olhos estão abertos. Agora mais sensível ao ambiente à sua volta, o bebé poderá perceber alguns estímulos externos, respondendo ao toque ou assustando-se com barulhos fortes.
Com 28 semanas, talvez porque já consegue abrir e fechar os olhos, o bebé já tem uma rotina de sono, mantendo-se a dormir ou acordado com intervalos regulares.
Quanto à futura mãe, já sentirá diariamente os movimentos do bebé, que ainda tem muito espaço para se mover, chutar, saltar e dar cambalhotas.