Alcino Tavares, de 25 anos, foi assassinado à facada, ontem, quinta-feira, no Barreiro, na sequência de um confronto com o antigo companheiro da namorada. A vítima tinha ido ver a namorada.

O crime ocorreu pouco depois das 13 horas, num prédio da Rua Voz do Operário, nas escadas que dão acesso ao andar onde vivia a namorada de Alcino Tavares.

Vítima e agressor, de 33 anos, angolano, residiam no Vale da Amoreira, um bairro problemático do concelho da Moita, já seriam conhecidos e inclusivamente teria havido conflitos anteriores.

Ao início da tarde de ontem, a vítima foi ver a namorada, que residia com a mãe e chegou a estar com ela. Naquela residência vive também um menor, filho do antigo companheiro.

No entanto, cerca das 13 horas, surgiu o suspeito do crime, que justificou a sua presença com a necessidade de ver o filho. O recém-chegado começou a discutir com a antiga companheira e Alcino interveio para apoiar a namorada, chegando a haver confrontos físicos entre os dois.

O antigo companheiro da mulher acabou por puxar de uma arma branca, com a qual lhe desferiu dois golpes, um no peito e outro na perna de Alcino, fugindo logo depois. A vítima foi transportada ao hospital, mas acabou por morrer, esvaindo-se em sangue.

Não obstante as graves consequências, o caso foi, no entanto, muito rápido e os vizinhos só se aperceberam depois de uma ambulância e os carros da PSP começarem a chegar à zona. "Ninguém deu por nada", adiantou um morador ao JN.

No próprio prédio os moradores não tiveram a noção de que tinha ocorrido um homicídio. O casal que vive no andar abaixo do apartamento onde reside a jovem disse, ao JN, não ter dado conta de nada. "Tínhamos as duas televisões ligadas", afirmaram.

Cerca das 22 horas de ontem, a Polícia Judiciária e a PSP ainda procuravam o suspeito do crime, no Vale da Amoreira, na Cidade Sol e no Bairro das Palmeiras, locais para onde o indivíduo poderia ter fugido.


JN