Dois militares da GNR de Fafe, chamados a uma desavença entre vizinhos, foram agredidos. A um, tiraram-lhe a arma, que lhe encostaram à barriga e dispararam três vezes, em seco; se tivessem puxado a culatra, matavam-no.

Cerca das 18.20 horas de ontem, uma patrulha da GNR de Fafe circulava na freguesia de Cepães (Fafe), quando foi abordada por uma senhora que se queixava de estar a ser apoquentada e injuriada por uma família vizinha.

Os dois elementos da patrulha - uma mulher e um homem -, abeiraram-se da família e, quando os abordaram para se inteirar da situação, foram agredidos.
Segundo o JN apurou, os militares foram recebidos por indivíduos com sacholas, cabos de vassoura e outros objectos de dimensão considerável. Na residência dos agressores estava um casal e os três filhos, de 42, 40 e 26 anos.

No meio deste imbróglio, o pai, indivíduo com 67 anos conseguiu retirar a arma de serviço do coldre do militar e, segundo fonte policial, ter-lhe-á dado "três gatilhadas na zona do abdómen".
Tivesse o agressor puxado a culatra antes de disparar e o militar teria sido morto.

Em apuros, a patrulha mista solicitou reforço para o local e, volvidos cerca de 20 minutos, a força da GNR já estava composta por mais 10 guardas, que para ali se deslocaram de postos limítrofes sob a égide do Destacamento Territorial da GNR de Guimarães.

Os indivíduos foram finalmente controlados e transportados para o posto da GNR de Fafe. Ali, foram chamados ao local três ambulâncias dos Bombeiros Voluntários de Fafe e a ambulância de Suporte Básico de Vida do INEM.

O aparato de meios de socorro e de viaturas da GNR atraiu para junto do posto várias dezenas de populares que tentavam perceber as suas causas.
Depois de estabilizados pelas equipas de bombeiros e pelo INEM, os feridos foram transportados para as Unidades de Fafe e de Guimarães do Centro Hospitalar do Alto Ave. Deram entrada nos hospitais os três filhos do casal envolvidos na luta e quatro militares da GNR.

O JN apurou, junto de fonte hospitalar que dos três agressores, dois entraram em Guimarães com ferimentos considerados ligeiros e o outro com suspeita de fractura numa das pernas. Apresentavam várias escoriações na zona da cabeça e das pernas. Os ferimentos nos agentes da autoridade eram considerados ligeiros.

No posto de Fafe ficaram detidos os dois elementos do casal e, à hora do fecho desta edição, esperava-se ainda para saber se os três agressores que estavam no hospital iriam receber alta médica. Caso recebessem alta ainda durante a madrugada, seriam conduzidos para os calabouços da GNR para serem hoje presentes ao Tribunal de Fafe, onde o casal também será ouvido.

Trata-se de uma família problemática. Ontem, junto do posto da GNR alguns moradores faziam menção a isso mesmo e ao mal-estar que provocam junto da vizinhança.


JN