No cinema, os três filmes da série The Fast and the Furious são os mais populares a retratar o mundo do tuning. Nestes filmes, a história serve apenas para justificar o ambiente em que acontecem, mostrando uma visão sobre o mundo do tuning nos Estados Unidos. Apesar de mostrarem carros verdadeiramente surpreendentes e bem transformados, raramente no filme se aborda a vertente da modificação, sendo dada mais ênfase à condução fora da lei nas ruas das cidades (street racing). Por outro lado os filmes pecam por no seu argumento associarem à criminalidade ou máfia parte das personagens intervenientes, o que acaba por dar uma má imagem a quem está por fora do assunto. Por outro lado os filmes não são realistas em muitas das cenas que mostram. Podiam ser enumeradas muitas, mas por ex a do Dodge Charger 1969 com V8 e quase 800cv que num arranque com o Toyota Supra se mantém em duas rodas durante vários segundos, ou por exemplo nas perseguições dos camiões onde um Honda Civic passa por baixo de um dos camiões. Mas todos os carros são reais e muitas vezes foram filmados com os donos ao volante. A produtora do filme recrutou os carros através do NIRA (National Import Racing Association). Apareceram mais de 1.500 carros, dos quais 150 foram seleccionados e apareceram no filme.
Com estes filmes, houve uma maior divulgação do tuning e da espectacularidade que os carros alterados podem ter. Contudo notou-se também que começaram a surgir muitos mais problemas relacionados com praticas de street racing.