A polícia chinesa prendeu 3.470 pessoas neste ano e as autoridades do país tiraram do ar milhares de sites pornográficos em uma campanha contra pornografia on-line, segundo informações da mídia estatal.

Em agosto, a China recuou formalmente de um plano de obrigar computadores vendidos no país a terem um software de filtragem do conteúdo da internet pré-instalado, depois de uma onda de repúdio nacional e internacional.

Mas o governo acabou mantendo rígidos os controles sobre a rede mundial de computadores no país, afirmando que precisa fazer isso para proteger os jovens de influências negativas.

Ativistas afirmam que o controle está mais relacionado com uma estratégia para sufocar as críticas contra o Partido Comunista.

A agência oficial de notícias Xinhua, citando o Ministério de Segurança Pública, informou que "mais de 1,25 milhão de itens de conteúdo on-line lascivo e quase 7.000 sites pornográficos" foram removidos da internet este ano.

"A polícia também agiu contra mais de 3.500 casos de pornografia", disse a agência --sem dar detalhes, contudo.

O objetivo da campanha é "purificar o ambiente social e proteger a saúde mental de menores", afirma a agência.

Apesar das palavras duras, pornografia segue sendo relativamente fácil de se conseguir na China, principalmente na forma de DVDs pirateados vendidos nas ruas das cidades do país.

Fonte: Folha Online