As acções do Banco Espírito Santo e da Semapa continuam a ser as mais representativas nas carteiras dos fundos de investimento mobiliários portugueses, que em Dezembro do ano passado voltaram a reforçar a aposta na bolsa portuguesa.

De acordo com os dados hoje divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o BES continua a representar quase um quarto (24,9%) do investimento dos fundos em acções portuguesas.

O investimento dos fundos no BES aumentou 1,2% para 215 milhões de euros, enquanto na Semapa, que também permanece em segundo lugar, aumentou 5,2% para 62,2 milhões de euros.

A terceira acção portuguesa mais representativa nas carteiras dos fundos é agora a Galp Energia (peso de 6,2%), tendo trocado de lugar com a Zon Multimédia, que viu o investimento dos fundos baixar 4,1%.

PT, Brisa e BCP surgem nas posições seguintes, com a Mota, Sonae SGPS e a Sonaecom a completarem o lote das 10 mais representativas.

Dezembro voltou a ser um mês em que os gestores de fundos reforçaram a aposta nas acções portuguesas. Segundo a CMVM, o investimento aumentou 1,3% para 862,4 milhões de euros.

Contudo, outras bolsas foram alvo de um reforço mais forte. No total o investimento dos fundos portugueses em acções aumentou 6,6%, com as maiores subidas a ocorrerem na União Europeia.


Fonte: Jornal de Negócios